Retrospectiva: Veja os fatos marcantes no mundo das séries em 2020

Os obstáculos para gravar durante a pandemia, a saída de alguns personagens, séries canceladas e briga com um país inteiro! Veja a lista completa.

Por Amábile Reis Atualizado em 9 dez 2020, 11h00 - Publicado em 1 jan 2021, 10h00
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Reprodução

É, 2020 foi difícil, a gente sabe… Mas, entre as coisas que nos ajudaram a garantir um pouco de leveza nesse ano, precisamos mencionar as séries. Os nossos seriados queridinhos foram grandes aliados ao longo desses dias, né? E, é óbvio que, assim como esperávamos, esse universo teve fatos marcantes e que merecem uma retrospectiva especial por aqui. Quer ver só? Confira a lista abaixo:

Os obstáculos das gravações durante a pandemia

A pandemia do Covid-19 colocou o mundo inteiro em quarentena e isso causou um forte impacto nas gravações de filmes e séries, que precisaram ser postergadas. Com o tempo e flexibilização, as produções retomaram. Mas, mesmo assim, as filmagens precisaram ser adaptadas para que ninguém da equipe corresse riscos. O elenco de Riverdale, que está gravando a quinta temporada do seriado, já falou abertamente várias vezes sobre o assunto.

Lili Reinhart explicou que precisou ficar quinze dias em isolamento total antes de começar a gravar e que não poderia visitar nem familiares durante esse período. A atriz levantou uma polêmica ao dizer que isso se assimilava a uma prisão, rs. 

Já KJ Apa e Camila Mendes mostraram como são feitas atualmente as cenas de beijo. Eles precisam usar enxaguante bucal antes de trocarem saliva – que pode ser uma das maneiras de contaminação do Covid-19. Os atores fazem o bochecho por cerca de 1 minuto e, em seguida, descartam o ~cuspe~ individualmente em sacos plásticos.

Ainda sobre Riverdale, uma atriz quis sair da série, mas voltou atrás… Oi?

É, gente… Esse assunto rendeu, viu? Após a saída do ator Skeet Ulrich (FP Jones) da série, Marisol Nichols (Hermione) disse que também iria deixar a produção por um motivo bem específico. Ela acreditava que o seu papel estava tomando um rumo com o qual não concordava.

“Estava realmente me incomodando que ela estava em todos os sentidos e propósitos em um relacionamento abusivo e mudando quem ela era para ficar com Hiram. Não que ela fosse inocente, mas isso estava me incomodando. Estava me incomodando como mulher. Eu queria vê-la ter força e poder, se defender e não ser estúpida por falta de um trabalho melhor”, comentou Marisol em entrevista.

Nichols voltou atrás após Roberto Aguirre-Sacasa, o criador da série, mudar, então, a história de sua personagem.

Uma série cancelada causou revolta na web!

Como é de praxe, todos os anos algumas produções são canceladas. Agora, o que ninguém esperava é que O Mundo Sombrio de Sabrina entrasse para essa estatística, rs. Em julho, a Netflix avisou que a quarta temporada seria a última do seriado. Os fãs, óbvio, ficaram revoltados com a decisão da plataforma de streaming.

Os últimos episódios de Sabrina estreiam dia 31 de dezembro no serviço.

E houve também as séries que chegaram ao fim!

Em 2020, precisamos nos despedir de duas séries que amamos demais: 13 Reasons Why e Supernatural. A produção da Netflix chegou ao fim em junho após quatro temporadas tensas. Dylan Minnette, que interpretou Clay, chegou a sugerir que a plataforma fizesse mais uma temporada inusitada do título durante a pandemia. “Clay estaria cumprindo a quarentena em Evergreen County com seus pais e os fantasmas dos amigos falecidos: Justin, Bryce, Montgomery e Hannah”, pontuou. A ideia não foi pra frente, mas seria curioso, né?

Em outubro, a Warner começou a transmitir os últimos episódios da saga dos irmãos Winchester após *quinze temporadas*. “Vou sentir muita falta [do personagem], mas mais do que sentir falta do Bobby, vou sentir falta do elenco. A gente virou uma família nos últimos anos e eu amo muito todos. Eles sempre estarão no meu coração”, disse Jim Beaver, que faz Bobby Singer no enredo, durante a CCXP 2020. Vamos sentir saudades!

Cena de Supernatural
Reprodução/Reprodução
Foto do reboot de Gossip Girl
Gotham/GC Images/Getty Images

Uma série americana foi baseada em uma produção brasileira!

O Brasil conquistou algo inédito nesse ano. A série brasileira Julie e os Fantasmas, de 2011, serviu como inspiração para Kenny Ortega desenvolver Julie and the Phantoms na Netflix. Uau! Nós entrevistamos o diretor e o elenco do título da plataforma de streaming e eles comentaram sobre o assunto. Assista abaixo:

Uma briga com um país inteirinho!

Exageros a parte, Emily em Paris conseguiu irritar profundamente críticos franceses, apesar de seu sucesso estrondoso. Enquanto para o criador Darren Star a representação da cidade da luz seja uma prova de amor, os franceses consideraram os clichês “deploráveis”. “É a imagem completamente errada de Paris. (…) Eu me pergunto por que os atores franceses aceitaram atuar na série“, afirmou o site AlloCiné.

Continua após a publicidade

A publicação Les Inrocks comentou que a Paris representada no original Netflix é tão real quanto a do desenho Ratatouille. Ouch! “Os roteiristas podiam ter hesitado por dois ou três minutos em colocar uma baguete embaixo do braço de cada francês ou até uma boina para distingui-los claramente“, apontou o site Sens Critique.

Apesar desses apontamentos, o seriado foi renovado para uma segunda temporada, ainda sem data de estreia.

Um recorde surpreendente!

Nesse ano, O Gambito da Rainha quebrou um recorde histórico na Netflix. A produção foi assistida por simplesmente 62 milhões de contas nos primeiros 28 dias de estreia. E alcançou o Top10 em 92 países. Sendo que, em 63, ficou em primeiro lugar. Quem aqui ficou a fim de aprender a jogar xadrez após a maratona?

A saída dos personagens de Elite

Após a terceira temporada, a Netflix informou os fãs que Carla (Ester Expósito), Lucrécia (Danna Paola), Nadia (Mina El Hammani), Polo (Álvaro Rico) e Valerio (Jorge López) deixariam definitivamente Elite.

Para nos deixar ainda mais tristinhas, em entrevista para o site Hola, os atores Itzán Escamilla e Omar Ayuso, que interpretam Samuel e Omar, nos jogaram um balde de água fria e avisaram que sairão da série após a próxima temporada. AH, NÃO!

A volta de um personagem que marcou história!

Grey’s Anatomy chegou a 17ª temporada abordando o tema do Coronavírus no hospital de Seattle. Em um episódio, Meredith (Ellen Pompeo) passa mal, desmaia e tem um sonho. E é aí que vemos o retorno breve de um dos nossos personagens queridinhos da trama: Dr. Sheperd, o MC Dreamy (Patrick Dempsey). Ao contrário de outras ocasiões em que Derek surge com o auxílio de tecnologias ou com o uso de filmagens antigas, dessa vez o ator realmente gravou a cena de reencontro com Mer.

A cena em questão foi um dos assuntos mais comentados do Twitter na época do lançamento do episódio. Assista:

Novas versões chegando aí!

Além de estreias, confusões e episódios brilhantes, 2020 também foi marcado com novas versões dos nossos seriados queridinhos sendo produzidas.

O reboot de Gossip Girl, feito pela HBO Max, por exemplo, começou a ser gravado no fim do ano. Assim como a original, a novidade também se passa em Nova York. Com a diferença de que, agora, o elenco possui bem mais diverso que o anterior. O criador Joshua Safran disse estar orgulhoso, pois a maior parte dos personagens mostrará diversidade e/ou será LGBTQIA+.

Foto do reboot de Gossip Girl
Gotham/GC Images/Getty Images

A HBO Max também desenvolveu um spin-off de Pretty Little Liars, chamado Pretty Little Liars: Original Sin. O seriado agora se passa em Milwood, onde há vinte anos aconteceu uma série de eventos trágicos que quase destruíram a cidade operária. Um criminoso obriga um grupo de garotas a pagarem pelo pecado secreto que seus pais cometeram no passado. Quem está à frente da novidade é Roberto Aguirre-Sacasa, o criador de Riverdale.

E, para fechar, em dezembro a Netflix anunciou que fará um remake de La Casa de Papel na Coréia do Sul. Álex Pina, que é quem criou a série espanhola, seria também o produtor dessa novidade, que deve começar a rodar após o fim do seriado do Professor. As três novidades ainda não possuem data de estreia.

Cena de La Casa de Papel

Chegada de um novo serviço de streaming

E, em novembro, demos boas vindas ao Disney+ no Brasil. As assinaturas variam de preço: o valor mensal custa R$ 27,90 e o anual sai por R$ 279,90, com um desconto de R$ 54,10.

O serviço conta com vários títulos incríveis e precisamos ~tirar o chapéu~ para a série High School Musical: The Musical: The Series. Nós entrevistamos os protagonistas do seriado. Assista abaixo:

E aí, qual desses fatos foi o mais marcante para você?

Continua após a publicidade
Publicidade