Victoria’s Secret contrata sua primeira modelo plus size

A top estrelou uma parceria da marca com outra grife de lingerie que cria peças para mulheres de todos os corpos e tamanhos

Por Thais Varela Atualizado em 9 out 2019, 15h55 - Publicado em 9 out 2019, 15h51

Depois de se envolver em diversas polêmicas por não trazer diversidade para suas fotos (seja de corpos, gênero ou estilo), a Victoria’s Secret está tentando reformular sua imagem e atender as demandas do público de se tornar uma marca mais inclusiva. Recentemente, a grife contratou sua primeira modelo transsexual, a brasileira Valentina Sampaio. E, agora, eles anunciaram a nova campanha da marca com a primeira top plus size de sua história.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

At the launch today for @victoriassecret and @bluebella at their flagship store in NYC. I believe I’m the first size 14 on @victoriassecret? Regardless I’m pretty stoked to work with a brand I idolized when I was a teen. Great step in the right direction for bodies. Available online @victoriassecret and at select stores across the country and UK.

A post shared by Ali Tate (@ali_tate_cutler) on

A modelo Ali Tate Cutler estrelou imagens de uma parceria da VS com a grife de lingerie Bluebella, de Londres, que cria peças para mulheres de diferentes corpos e tamanhos. Ao site E!, ela revelou que foi contratada primeiro pela empresa londrina e, então, soube que suas fotos estariam também na Victoria’s Secret.

Em seu Instagram, a top anunciou a novidade dizendo: “Eu acredito que sou a primeira modelo tamanho 48 da Victoria’s Secret. Apesar disso, eu estou muito feliz por trabalhar com uma marca que eu idolatrava quando era adolescente. Grande passo na direção certa de mostrar todos os corpos.”

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

The bold and the beautiful. #BluebellaforVS launches tomorrow.

A post shared by Victoria's Secret (@victoriassecret) on

Em entrevista à revista Glamour norte-americana, Ali falou mais da experiência e sobre o fato da Victoria’s Secret ter se recusado por tanto tempo a ter diversidade em seu casting: “Eu nunca achei que eu veria uma imagem minha na parede ao lado dessas supermodelos que eu sempre admirei desde que eu era uma criança.” E continuou: “Eu sinto que a marca está caminhando na direção correta e escutando seu público, que vem pedindo cada vez mais por corpos e tamanhos diversos nas propagandas. Eu acredito que se eles continuarem assim, eles vão ficar bem, porque isso reflete o que a mulher norte-americana quer.”

  •  

     

    Vale lembrar que a Victoria’s Secret vinha sofrendo críticas há tempos por reforçar um padrão de beleza inalcançável. Porém, tudo piorou quando, no início do ano, um então executivo da empresa fez declarações preconceituosas sobre modelos plus size e transsexuaisEm março, a grife anunciou que o icônico Victoria’s Secret Fashion Show não seria transmitido pela televisão. E, recentemente, uma angel revelou que o desfile deste ano havia sido cancelado. Em contrapartida, outras marcas de lingerie começaram a se destacar por trazerem representatividade e empoderamento para mulheres de diferentes corpos, origens e características, como a Savage X Fenty, de Rihanna.

    Torcendo para que a grife se torne cada vez mais inclusiva!

    Continua após a publicidade
    Publicidade