Menstruação não é sinônimo de sujeira, vergonha ou impureza

Ou não deveria ser... E estes cinco fatos provam isso de uma vez por todas!

Por Isabella Otto 23 ago 2021, 16h54
de um lado, o hidratante, o perfume e a máscara facial hello stars, dispostos lado a lado. De outro, as frases: Cada estrela é única, como você. Conheça a nova linha Hello Stars. Todos os elementos estão em um fundo azul escuro com estrelas que brilham
CAPRICHO/Divulgação

Na última semana, mais precisamente na última quarta-feira, 18, Aline Riscado estava fazendo uma live de yoga quando acabou menstruando. Como estava de legging branca, a mancha de sangue foi logo notada pelos seguidores. Sem neuras, a modelo fez questão de terminar a transmissão e aproveitou para mandar um recado: “Aconteceu algo que para muitos foi um choque, para outros algo pavoroso(…) Eu fiquei menstruada no meio da live, estava de branco e me sujei. Isso é um problema?(…) Fico grata em ser esse canal para normalizar algo que é normal, algo que é divino, algo que é vida”, disse.

Prints da live da Aline Riscado em que ela menstruou ao vivo. Ela aparece com as pernas abertas e a legging branca tem uma mancha de sangue
Instagram/Aline Riscado/Reprodução

A menstruação ainda é carregada de tabus porque envolve conceitos culturais e religiosos. Por exemplo, em alguns lugares da África do Sul, da Índia e do Oriente Médio, o sangue menstrual é visto como impuro e, durante a menstruação, a mulher é inclusive tratada como “suja”, sendo impedidas de entrar em determinados cômodos da casa, como na cozinha, para não contaminar os alimentos.

Outras culturas enxergam o ciclo menstrual como algo divino, que conecta as mulheres com deusas e orixás como Ártemis, Atenas, Ewá e Onirá. Impossível também deixar de abordar a temática que vem sendo cada vez mais discutida envolvendo o fato de homens transexuais também menstruarem, algo que vai na contramão dessa visão que liga a menstruação exclusivamente ao corpo feminino.

  •  

    Falar sobre o assunto ignorando todas essas questões é delicado, mas nossa visão ocidentalizada do tema nos permite quebrar muitos tabus que acabam por contribuir com a pobreza menstrual, um caso de saúde pública no Brasil e no mundo.

    Continua após a publicidade

    1. Menstruação é sinônimo de limpeza

    Em um ciclo menstrual regulado, todo mês, o corpo se prepara para uma possível fecundação, ou seja, gravidez. O organismo produz uma grande quantidade dos hormônios estrogênio e progesterona, que formam uma camada interna no útero. Se após a ovulação a gestação não ocorrer, o próprio corpo “limpa” o órgão, pois entende que aquela “capa protetora” não será necessária. Concluindo: o próprio conceito da menstruação é sinônimo de limpeza!

    2. O sangue menstrual não é sujo

    Poxa, mas se tem limpeza é por que tem sujeita, certo? Errado. Não existe nenhum tipo de impureza no sangue menstrual. O corpo expele algo que se tornou obsoleto, não “estragado”. Muito do cheiro que podemos sentir durante a menstruação é resultado da oxidação do sangue com o ar, após entrar em contato com a calcinha ou o absorvente. Vale ressaltar que, na maioria das vezes, a menstruação é vendida como “suja” pela publicidade para fazer com que as marcas de produtos de higiene lucrem com as novidades “cheirosinhas”. E, vamos combinar, que isso só compactua com a ideia errada de que o sangue menstrual é sujo.

    Foto de um lençol branco com pequenas machinhas de sangue menstrual
    Arman Zhenikeyev/Getty Images

    3. A menstruação não libera nenhuma substância tóxica

    Sabia que, até os anos 50, na Europa, médicos acreditavam que as mulheres liberavam uma substância tóxica chamada menotoxina durante a menstruação? Esse era mais um motivo para isolá-las da sociedade. O estudo, como é de se imaginar, foi conduzido por um homem, o Dr. Béla Schick, que chegou a injetar sangue menstrual em animais para provar que ele era contaminado. Os bichos realmente morreram, mas, posteriormente, ficou provado que foi devido à contaminação bacteriana do sangue, não porque o sangue menstrual tinha substâncias tóxicas.

    4. Se manchar, é só limpar

    Um dos maiores medos de quem entra na idade fértil, principalmente durante a adolescência e a fase escolar, é a menstruação descer e manchar a roupa, a carteira, a cama, o sofá… Pode acontecer? Pode. E se acontecer é só lavar rapidamente o local com água e sabão, pois quando o sangue seca fica mais difícil de higienizar. Contudo, quando a pessoa não faz uso de algum anticoncepcional, o corpo envia uma série de sinaizinhos que avisam que a menstruação está chegando. Um deles é o corrimento parecido com clara de ovo que sai da vagina durante o período fértil. Além disso, as mamas costumam ficar mais doloridas conforte a aproximação da menstruação, a pessoa pode sentir cólicas, ficar com o intestino mais solto e ter alterações de humor devido aos hormônios (ei, mas isso não deve nunca ser usado de maneira machista para ofender alguém, combinado?).

    +: Vereadora luta para incluir homens trans na lei contra a pobreza menstrual

    5. A menstruação não deveria ser tratada como um segredo

    Para muitas especialistas, o sangue menstrual é o único carregado de tabus, já que vemos sangue com bastante naturalidade em filmes, séries, novelas, jornais… Só que quando é o causado pela menstruação… Caramba, parece o fim do mundo! A explicação é apenas uma: a origem desse fluído, que é a vagina. Isso só escancara e reforça a sociedade misógina em que vivemos, em que discussões acerca do corpo da mulher são carregadas de tabus, controle e julgamentos.

    Continua após a publicidade
    Publicidade