Billie Eilish sobre seu estilo: “Me sinto presa na persona que eu criei”

Em entrevista, a cantora revela o lado negativo de usar roupas largas, sua marca registrada na moda

Por Sofia Duarte Atualizado em 8 jun 2020, 20h01 - Publicado em 8 jun 2020, 13h30

Billie Eilish já explicou algumas vezes por que usa roupas oversized, e um dos motivos está relacionado ao fato de que ela pretende evitar a sexualização do seu corpo. “Ninguém pode ter uma opinião, porque eles não podem ver o que está por baixo”, disse em maio do ano passado.

Agora, em recente entrevista à GQ britânica, a cantora revela o lado negativo dessa sua ~marca registrada~, que são as peças mais largas. “Às vezes, eu me visto como um garoto. Às vezes, eu me visto como uma garota swaggy. E, às vezes, eu me sinto presa nessa persona que eu criei, porque às vezes sinto que as pessoas não me veem como uma mulher“, afirma.

View this post on Instagram

"#AliciaKeys called me and she's like, ‘don’t be embarrassed for being dope'." @jonathangq spoke to award-winning, record-breaking artist #BillieEilish for our July/August cover story. LINK IN BIO for the full interview. 📸 @daniellelevitt 👖 @samanthaburkhartstylist // #GQ Editor @dylanjonesgq

A post shared by British GQ (@britishgq) on

A escolha das roupas que não mostram o seu corpo está relacionada com o medo do julgamento das pessoas. “Aqui está uma revelação: eu nunca me senti desejada. Meus namorados nunca fizeram com que eu me sentisse desejada. Nenhum deles. E é uma grande coisa na minha vida que eu nunca tenha sido fisicamente desejada por alguém. Então, eu me visto do jeito que eu visto, e eu não gosto de pensar que vocês ficam me julgando por isso, ou pelo tamanho das roupas.” No entanto, isso não elimina a possibilidade de ela aparecer com uma regata, por exemplo. “Isso não significa que eu não vou acordar um dia e decidir usar uma regata, o que eu já fiz antes”, continua.

No mês passado, Billie lançou um vídeo poderoso em que fala sobre body shaming e apareceu de regata nele. A repercussão não foi exatamente uma surpresa, mas ela conta que não se importou muito. “Eu faço isso e, de repente, meus seios estão nos Trending Topics do Twitter. E tudo bem. Aquela produção ficou legal.”

Aos 18 anos, a artista passa por uma relação complexa com seu corpo, ao mesmo tempo em que lida com vários questionamentos típicos do processo de autoaceitação durante o auge da sua carreira. “O vídeo que eu liberei é tipo: ‘Olha, tem um corpo por baixo dessas roupas e você não pode vê-lo. O meu corpo é meu, e o seu é seu. Nossos próprios corpos são tipo as únicas coisas que realmente são nossas. Eu posso vê-lo e mostrá-lo quando eu quero’“, finaliza.

Continua após a publicidade

Publicidade