“Só penso em morrer”, desabafa Luisa Mell sobre violência médica sofrida

Gilberto Zaborowsky, ex-marido da ativista, autorizou que uma lipoaspiração fosse feita na mulher sem que ela soubesse

Por Isabella Otto 29 set 2021, 10h26

Nesta semana, mais precisamente no dia 24, Luisa Mell contou em seu Instagram que havia passado por um procedimento cirúrgico para reparar os erros de uma violência médica sofrida. Gilberto Zaborowsky, ex-marido da ativista, com quem ficou casada por dez anos, autorizou que uma lipoaspiração fosse feita nas axilas da até então esposa sem que ela soubesse.

À esquerda, print da live de Luisa Mell, em que a ativista aparece abusivo, Gilberto
À esquerda, Luisa chorando em live. À direita, ela posando com o ex-marido, Gilberto Luisa Mell/Instagram/Reprodução

Luisa contou que foi ao hospital realizar uma cirurgia pouco invasiva e acordou da anestesia toda enfaixada e dolorida. O médico que realizou a ação garantiu que Gilberto deu o aval e disse que a mulher estava com muita gordura na região. “Eu só penso em morrer nos últimos tempos. Deus me livre! Mas eu tenho filhos, eu tenho meus bichos, mas eu não quero viver assim”, desabafou em live.

  • A ativista da causa animal disse ainda que sempre foi uma pessoa que perdoa muito fácil as outras, mas que não tem sido fácil trabalhar o perdão com os traumas físicos e mentais que ainda existem pelo episódio passado: “Como perdoar se a dor ainda é viva? Tive o ano mais triste da minha vida. Ainda estou lutando para sobreviver ao horror que me fizeram. Como vou conseguir perdoar se ainda dói tanto? Se ainda choro quando me olho? Destruíram meu amor próprio porque eles achavam que eu podia ficar melhor. Faz nove meses que vou em médicos tentando achar uma solução, como vou conseguir perdoar?“.

    Ver essa foto no Instagram

    Uma publicação compartilhada por Luisa mell (@luisamell)

    De acordo com a coluna LeoDias, do jornal Metrópoles, Gilberto Zaborowsky traía a esposa, que estava presa a um relacionamento abusivo. Luisa chegou a pesar 47 kg e garantiu que estava emagrecendo de tanta tristeza e tantos problemas. Realizar a cirurgia para reverter os danos causados pela violência médica e de gênero anterior foi um grande passo, já que, anteriormente, o procedimento não era possível por causa do peso e da saúde de Mell. “Vocês sabem que estou lutando para conseguir reparar os erros… Mais um passo dado!”, celebrou.

    Desejamos muita força e aproveitamos para lembrar que o suicídio não é nunca a saída ou a solução. Se estiver precisando de ajuda, entre em contato com o Centro de Valorização da Vida, ligando 188, de forma anônima e gratuita.

    Continua após a publicidade
    Publicidade