10 segredos e curiosidades sobre o clitóris

Você sabia que ele é bem parecido com o órgão sexual masculino? E que muitas mulheres têm essa parte do corpo mutilada em rituais?

Por Isabella Otto 20 jun 2019, 10h03

A mulher sempre foi desencorajada a mostrar sua sexualidade e falar sobre ela. Os homens, por outro lado, sempre foram estimulados e aplaudidos por serem os famosos garanhões. Inclusive, poucas pessoas sabem, mas a mutilação feminina ainda é uma realidade aterrorizante em lugares como na Colômbia, na Somália, no Egito e em Portugal.

“Hoje, o clitóris continua vivendo na obscuridade.” Imagem tirada do documentário animado Le clitoris, de Lori Malépart-Traversy (2016)/Reprodução

Mas não é curioso que as mulheres sejam desestimuladas a explorarem sua sexualidade – e até mesmo julgadas se fizerem o contrário -, quando são as únicas que possuem um órgão cuja a única função é dar prazer? É isso mesmo! Nós estamos falando do clitóris, uma parte importante do corpo feminino que não é tão conhecida justamente por ser diretamente ligada à satisfação sexual. E mulheres não podem nem devem falar sobre isso, né? (risos irônicos) Aqui na CAPRICHO o papo é reto e sério! E aí, garota, pronta para descobrir mais sobre essa partezinha do seu corpo?

1. O clitóris é parecido com um pênis
Você pode até achar que não. Afinal, como algo tão pequenininho e discreto pode ser parecido com o órgão sexual masculino? De acordo com alguns estudos publicados nas revistas Nature e Scientific Reports, tanto o clitóris quanto o pênis se desenvolvem no estágio embrionário humano. Isso significa que até mais ou menos os dois primeiros meses de gestação, nossos corpos são bastante parecidos. É por isso que é preciso esperar um pouco mais para descobrir o sexo do bebê. Ah! E ele também fica erétil, viu? Quando a mulher fica excitada, o clitóris pode dobrar de tamanho!

2. Ele é bem maior do que parece
Se você já viu Titanic, vai entender ainda melhor a analogia que faremos a seguir. O clitóris é como se fosse um iceberg. Apenas a pontinha dele fica visível, sendo que a sua maior parte fica escondida dentro do ~oceano~ que é o corpo feminino. A parte externa varia de 0,4cm a 4cm de altura, de acordo com um estudo publicado pelo Journal of Minimally Invasive Gynecology. A parte interna ainda é pouco estudada e bastante incerta, mas sabe-se que ela pode chegar a até 9cm de altura! Ela é composta por dois corpos cavernosos, que parecem duas perninhas, dão sustentação e ficam dentro do que chamamos de crus (ou crura, em português).

“O clitóris é como se fosse um pequeno pênis.” Imagem tirada do documentário animado Le clitoris, de Lori Malépart-Traversy (2016)/Reprodução

3. Contém mais de 8 mil terminações nervosas
E só na glândula externa! Esse número representa o dobro de terminações nervosas de um pênis, por exemplo. “Por causa das suas milhares de terminações nervosas, o clitóris é a parte da vagina mais sensível ao toque, ao contato e à fricção, podendo levar a mulher ao orgasmo”, afirmou a ginecologista Carolina Teixeira de Carvalho, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), ao site Mundo Estranho.

4. É onde fica o ponto C
Sim, é isso mesmo: C de clitóris. Por ficar na parte externa da vagina, ele é mais fácil de encontrar e estimular. De acordo com Ian Kerner, um renomado sexólogo americano, esse ponto é extremamente sensível e deve ser estimulado no momento certo, para não esfriar o clima. O ponto C é quase tão eficaz quanto o famigerado e misterioso ponto G. A diferença é que esse segundo fica na região interna da vagina (há quem diga que é a raiz do clitóris) e é muito mais difícil de se encontrar e estimular.

5. Só serve para dar prazer
Uma exclusividade feminina, as mulheres são as únicas que possuem um órgão que serve apenas para satisfazê-la. Ele pode ser estimulado tanto durante a masturbação quanto durante o sexo. Inclusive, apenas uma pequena parcela das mulheres alcançam o orgasmo com a penetração. Cerca de 30%. As outras precisam da ajudinha do ponto C para ~chegar lá~. E se essa é a única razão de sua existência, por que não?!

Continua após a publicidade
“Por que não usar o clitóris?” Imagem tirada do documentário animado Le clitoris, de Lori Malépart-Traversy (2016)/Reprodução

6. A mutilação do clitóris ainda é uma triste realidade
A mutilação genital feminina, também conhecida como MGF, é a remoção total ou parcial dos órgãos genitais externos. Geralmente, a prática cruel faz parte de rituais, em sua grande maioria religiosos. Além do clitóris ser lesionado, muitas garotas têm a vulva fechada, deixando espaço apenas para a saída da urina e da menstruação. Para muitas crenças, isso evita que a honra da família seja manchada. Países da África como Djibuti, Eritreia, Somália e Sudão são os campeões de mutilação feminina – e machismo, crueldade e morte.

7. É um verdadeiro símbolo girl power
Muitas culturas acham que a masturbação feminina é pecado, que a mulher, diferente do homem, não pode sentir prazer sexual. O clitóris é, muitas vezes, considerado um vilão quando, na verdade, não passa de um órgão como outro qualquer. Cada órgão do corpo tem uma função, certo? A do coração é bombear sangue oxigenado para todo o corpo. A do estômago é digerir os alimentos. E a do clitóris é dar prazer! Ele está lá e existe por uma razão, assim como toda partezinha do nosso corpo, e merece ser cuidado e respeitado. Sem contar que só nós, mulheres, temos. Há!

Esse é o seu clitóris, uma “bolinha” que fica na parte superior na vagina, bem acima da entrada da uretra. Reprodução/Reprodução

8. Nunca envelhece
Passe o tempo que passar, ele continuará intacto. Isso significa que o clitóris continua te proporcionando as mesmas sensações tenha você 15 ou 95 anos. Mas você pode exercitá-lo para torná-lo ainda mais poderoso, viu? Estima-se que uma mulher que caminha cerca de 20 minutos por dia aumente sua satisfação sexual em quase 170%!

9. Nenhum é igual ao outro
Assim como existem vários tipos de vagina, existem vários tipos de clitóris. A parte externa de alguns é mais visível que a de outros. Uns são mais sensíveis, outros são mais resistentes ao toque. Quando estimulados, alguns ficam mais eretos. Outros, ficam mais gordinhos, mas não crescem tanto de altura.

10. Tem um grande papel na cirurgia de redesignação sexual
Popularmente conhecida como cirurgia de mudança de sexo, a mais comum propõe um descolamento do clitóris que, aliado ao uso de hormônios masculinos, faz com que o órgão feminino cresça de tamanho e fique semelhante a um micropênis. Quando ele alcança aproximadamente 6cm, é reimplantado em outra parte para ter mais autonomia e movimento.

Viu só? Tem muito segredo, mas nenhum tabu. Assuntos como esse não devem te assustar – mas a falta de informação sobre eles, sim. Go, clitóris!

 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade