Policial e ativista do movimento trans, Paulo vaz é encontrado morto

Vaz, que tinha 36 anos, morreu na noite da última segunda-feira; a causa da morte não foi divulgada.

Por Isabella Otto Atualizado em 15 mar 2022, 14h02 - Publicado em 15 mar 2022, 09h59

O influenciador, investigador da Polícia Civil e homem trans Paulo Vaz, de 36 anos, foi encontrado morto nesta segunda-feira (14). A informação foi confirmada pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), nas redes sociais. A causa da morte não foi divulgada.

Paulo era querido e amado por todas a sua volta. Ativista engajado e dedicado a luta trans, sempre fez questão de construir pontes, atuar no enfrentamento da transfobia e em defesa das pessoas transmasculinas”, escreveu a organização em nota oficial.

Conhecido nas redes como “Popo Vaz”, o mineiro era casado com Pedro HMC, do canal “Põe na Roda”. O casal era um dos mais admirados da comunidade LGBTQIA+, e juntos praticavam o ativismo contra a homofobia e a transfobia.

Dois homens estão deitados na cama com uma cachorrinha poodle no meio. Os dois têm barba e um deles usa óculos
Pedro, Godofredo e Paulo em um momento família @popo_vaz/Instagram

A suspeita de suicídio se deu porque Paulo foi encontrado morto uma dia depois de um vídeo íntimo de seu marido com um ator viralizar nas redes sociais. O investigador começou então a receber ataques de pessoas dizendo que ele não era “homem o suficiente” – por ser transgênero – e por isso seu parceiro teria procurado algo fora da relação.

 

Nas redes sociais, influenciadores do movimento se pronunciaram sobre o caso. “A internet nunca foi um ambiente seguro para pessoas trans. Nossa saúde mental sempre foi alvo do ódio, da dor e da transfobia de vocês pessoas cis. São comentários, tweets, dedos apontados e julgamentos que por mais resistente que sejamos, acabam com o nosso dia ou vida. Hoje perdi um amigo, a nossa comunidade perdeu um ícone, um homem trans que foi referência para que eu pudesse tá aqui compartilhando minha vida pra vocês e tantos outros”, publicou a comunicadora e historiadora Giovanna Heliodoro.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Giovanna Heliodoro (@transpreta)

A vereadora de São Paulo Erika Hilton escreveu que ficou devastada com a notícia, assim como Jonas Maria: “Fiquei muito triste quando soube. Que perda que tivemos. Espero que todas as pessoas que conviviam diariamente com o Popo consigam receber o apoio e conforto necessário nesse momento de tanta dor”, desabafou.

Pedro HMC ainda não se manifestou sobre o trágico ocorrido e a conta no Instagram do canal “Põe na Roda” está fora do ar. Em seu último Story postado, Popo, que já havia manifestado anteriromente quadros de depressão, falou negativamente sobre fazer plantão de trabalho e reclamou de estar com a saúde mental abalada.

Veja a repercussão do caso nas redes:

Continua após a publicidade

Publicidade