Vestido de morango exemplificou como a gordofobia está presente na moda

A modelo Tess Holliday usou a peça em janeiro deste ano e foi supercriticada. Agora, ela virou moda nas redes sociais ao aparecer em corpos magros

Por Thais Varela - Atualizado em 26 ago 2020, 20h29 - Publicado em 24 ago 2020, 14h40

A gordofobia é um dos preconceitos mais presentes em nossa sociedade, que ainda reforça padrões de beleza por meio de corpos magros em um discurso maquiado de preocupação com a saúde, que aparece muito mais focado na forma física do que realmente no bem-estar do organismo. Na moda, ela fica evidente pela exclusão das pessoas gordas da narrativa fashion e, em níveis ainda mais radicais, pelas críticas e “piadas” que essas pessoas sofrem ao usar roupas que, quando estão no corpo magro, não são alvo dos mesmos comentários.

Nas últimas semanas, a modelo Tess Holliday exemplificou esse preconceito ao relembrar que, quando usou um vestido de tule com morangos bordados no Grammy Awards em janeiro deste ano, sofreu várias críticas. Agora, a peça assinada pela estilista Lirika Matoshi se tornou uma das mais populares do TikTok, com mais de 13 milhões de visualizações na hashtag #strawberrydress, que faz referência a ela.

“Eu adoro como esse vestido me fez entrar para a lista das ‘mais malvestidas’ quando o vesti em janeiro, no Grammy, mas, agora, porque um monte de pessoas magras estão usando ele no TikTok, todo mundo gosta”, escreveu Tess em seu Instagram. “Resumindo: a nossa sociedade odeia pessoas gordas, especialmente quando elas estão fazendo sucesso.”

A peça se tornou viral nas redes sociais após fazer parte de um desafio que incentivava pessoas a apostarem em looks da tendência cottagecore, um estilo entre o bucólico e o folk que está bombando na internet.

View this post on Instagram

I like how this dress had me on worst dressed lists when I wore it in January to the Grammys, but now bc a bunch of skinny ppl wore it on TikTok everyone cares. 🤷🏻‍♀️ To sum it up: our society hates fat people, especially when we are winning. Thank you @lirika.matoshi & @meaghanpoconnor for making me feel like a princess 7 months ago 🍓💖✨

A post shared by T E S S H🍒L L I D A Y (@tessholliday) on

Continua após a publicidade

O questionamento da norte-americana é extremamente importante porque traz à tona o fato de que pessoas gordas não são vistas na sociedade como “lançadoras de tendências”. Em geral, esse posto fica restrito a modelos magras e brancas. Uma polêmica recente que aconteceu no Twitter com a foto de duas mulheres gordas reforça essa ideia. No clique, elas aparecem usando camisetas e bermudas em um estilo vintage que poderia facilmente estar no guarda-roupa de tops como Bella Hadid e Kendall Jenner, que amam a tendência. Porém, a imagem não viralizou por trazer uma inspiração de estilo, mas, sim, por fazer piada com as garotas e suas roupas.

Em entrevista à revista People, Tess revelou que contatou a estilista que criou o vestido um pouco antes da premiação para saber se ela poderia fazer o modelo no seu tamanho. “Eu não pensei que ela responderia a minha mensagem ou que gostaria de vestir uma pessoa tão gorda quanto eu. Não por nada relacionado a ela, mas apenas pela minha experiência pessoal de tentar fazer com que designers me vistam“, falou. Sobre a noite em que usou a peça, ela disse: “Provavelmente foi o tapete vermelho em que eu me senti mais bonita.”

Não à toa, a top ficou surpresa quando viu os comentários negativos sobre o seu look nos dias seguintes ao evento. “Ver tantas pessoas falando mal da minha roupa foi chocante”, disse. “[Meses depois] ver o vestido se tornar tão popular porque estava sendo usado por pessoas de corpos magros, eu fiquei tipo: ‘Você deve estar brincando comigo'”, disse.

Esse é o exemplo perfeito de como as pessoas gordas e plus size são apagadas da moda. Nós nunca somos vistas como tendência, glamourosas ou nada do tipo”, completou. “Por que algo precisa ser usado por uma pessoa magra para que os outros o valorizem e ajam como se fosse a primeira vez que estão vendo aquilo?”

Ter referências de pessoas gordas que estão por diferentes indústrias (não apenas na de moda ou de beleza), dar audiência para a voz de produtores de conteúdo que são gordos, exigir mais inclusão das marcas e não compactuar nunca com comentários e pensamentos gordofóbicos são algumas ações que podemos ter para contribuir com o fim desse preconceito.

Já segue a CH nas redes sociais?
INSTAGRAM | TIKTOK | TWITTER | FACEBOOK | YOUTUBE

Continua após a publicidade
Publicidade