O show de Taylor Swift no AMA foi cheio de mensagens subliminares

Vocês acharam que a cantora não ia espalhar vários easter eggs na premiação?

Taylor Swift foi homenageada como Artista da Década no American Music Awards deste ano, que aconteceu no último domingo (24), e comemorou em grande estilo, com uma performance que contava com um medley de seus maiores hits durante a premiação.

Embora antes do grande dia Tay tenha desabafado sobre todo o imbróglio com sua antiga gravadora nas redes sociais, muita gente achou que ela pegou leve e não fez referências a Scooter Braun e Scott Borchetta no show. Mas, na verdade, a apresentação da loira foi cheia de mensagens subliminares! Quer ver?

Taylor começou a apresentação cantando The Man, que fala sobre o machismo na indústria da música. Para a ocasião, ela escolheu vestir uma camisa com os nomes de seus seis primeiros álbuns, todos cujo direito pertencem à gravadora Big Machine Records, comprada por Scooter Braun no começo do ano.

Logo ela foi acompanhada de garotinhas no palco vestindo o mesmo look, o que pode simbolizar a inocência de seus primeiros anos de carreira.

Teve alguns fãs que perceberam também a semelhança do look com a capa do documentário Shut Up & Sing, do Dixie Chicks, que fala sobre as críticas que o grupo sofreu após falar contra o presidente Bush em 2003.

dixie-chikcs-shut-up-and-sing

 (Reprodução/Instagram)

Daí ela tirou a camisa, mas não sem antes mostrar a palavra “fearless”  (sem medo) na parte de trás.

Reparou também que o microfone de Taylor trazia o nome de seu último álbum, Lover? Isso provavelmente representa o fato de agora ela ter sua própria voz.

Embora ela não tenha feito nenhuma referência direta a Scooter Braun e à Big Machine Records, a galera reparou também que o cenário de fogo usado durante a música I Knew You Were Trouble lembra bastante o logo de sua antiga gravadora… Já sabia que era cilada, né, miga?

Já na hora de Shake It Off, você reparou que os dançarinos usavam roupas parecidas com as da cantora no clipe? Tinha as líderes de torcida, a galera do hip-hop…

E não para por aí! Quando cantou Lover, Taylor trouxe um piano rosa para o palco, que além de vários rococós escavados nele, tinha os nomes de seus antigos álbuns escritos em letra cursiva.

E tinha também títulos de algumas músicas da cantora, como Delicate, Eyes Open e Ours

… o que fez com que fãs acreditassem que as letras dessas músicas fossem uma forma de resposta para todo o drama com a antiga gravadora da cantora. É que Eyes Open, por exemplo, fala sobre a perda da inocência. “Toda lição forma uma nova cicatriz. Eles nunca pensaram que você chegaria tão longe”, canta ela. Já em Ours, ela diz: “as pessoas jogam pedras em coisas brilhantes, mas não podem tirar o que é nosso”.

E aí, o que achou dos easter eggs que ela escondeu na premiação?

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s