“O Brasil é um lugar muito especial para nós”, diz BM, do KARD

Em entrevista à CH, o artista de K-pop fala sobre sua estreia solo, como tem enfrentando a pandemia e a saudade dos fãs brasileiros

Por Gustavo Balducci 16 jul 2021, 17h41
de um lado, o hidratante, o perfume e a máscara facial hello stars, dispostos lado a lado. De outro, as frases: Cada estrela é única, como você. Conheça a nova linha Hello Stars. Todos os elementos estão em um fundo azul escuro com estrelas que brilham
CAPRICHO/Divulgação

Ao lado do KARDum quarteto misto de K-pop lançado em 2016, o artista BM já conquistou milhares de seguidores, fez shows internacionais — incluindo três turnês de sucesso no Brasil — e se consolidou como rapper. Agora, aos 28 anos, ele decidiu se aventurar em carreira solo através do projeto The First Statement, um conjunto de três faixas entregue aos fãs no começo de julho. “Trabalhar na minha estreia solo foi uma grande benção. Foi de abrir os olhos”, revelou BM em conversa com a CH. “Eu acho que foi uma experiência ótima e um grande começo para a minha carreira independente. Me sinto simplesmente abençoado de poder lançar músicas”.

Em Broken Me, primeiro single divulgado, o cantor reflete sobre questões internas e reforça a importância da saúde mental. “Gravar Broken Me foi uma experiência muito boa. Eu estava na produção dessa música e tive a oportunidade de escrevê-la com o meu time da Apex, uma produtora que eu pude me juntar como artista solo e eles simplesmente ajudaram a descobrir um lado meu que era mais introspectivo e mais voltado à dor. Foi muito divertido conseguir revisitar as emoções passadas que eu tinha quando ainda era um trainee no K-pop”, disse. Broken Me foi um ótimo primeiro single e eu amo o fato de que todo mundo está em sintonia com ela”.

Montagem com quatro imagens de Kard
“O Brasil é um lugar muito especial para nós”, diz BM, do KARD Divulgação/Divulgação

Segundo ele, a dica para enfrentar problemas pessoais é encará-los de frente e buscar ajuda quando necessário: “Dê um passo de cada vez e mantenha sua mente saudável. Todos nós passamos por conflitos internos, então é sempre importante buscar ajuda através de amigos, família e profissionais da área. Às vezes é algo que nós simplesmente temos que passar, mas no fim você sai dessa mais forte e maduro”.

Apostando em sonoridades diversas, as músicas 13IVI e Body movin completam o disco transmitindo a versatilidade que BM alcançou com o tempo. “Foi um processo divertido. Como você disse, essas são todas músicas com diferentes sonoridades. No entanto, todas elas mostram um lado do BM que sempre esteve lá, então eu mal posso esperar para apresentar mais lados diferentes de mim mesmo ao público”, contou. Em 13IVI, que ganhou um videoclipe explosivo onde o rapper interpreta um gangster procurado pelo FBI, a coreografia também teve um papel de destaque com vídeos extras dedicados aos passos de dança. “A coreografia foi muito energética de aprender! Eu trabalhei com o We Dem Boyz e eles são meus diretores de performance. Eles foram capazes de me dirigir profissionalmente por toda a coreografia e foi ótimo, foi realmente muito bom trabalhar com eles. Eles são como família para mim, ótimas pessoas e são muito amigos meus. Eu só, você sabe, tenho o maior apreço por eles por fazerem uma coreografia tão incrível para mim e minha música”.

The First Statement também recebeu um documentário onde BM e toda a sua equipe revelaram detalhes sobre o projeto. “Meu processo criativo é bem diferente a cada vez, e foi por isso que eu quis fazer um documentário mostrando todos os detalhes não só desse projeto, mas também das pessoas que estão por trás das cenas e que me ajudaram nessa jornada de fazer um grande álbum solo. No que se refere à música, meu processo também pode variar, às vezes a melodia vem primeiro, às vezes as letras vem primeiro, às vezes é a batida, ou a ideia… é realmente diferente a cada vez. Dessa vez, começou pela música e daí veio a coreografia e depois o vídeo, e tudo se encaixou realmente fácil e suave”.

Continua após a publicidade

Escrevendo e produzindo as próprias canções, o artista diz que se sente feliz com o retorno positivo que tem recebido dos fãs: “Produzir minha própria música é incrível, é simplesmente uma benção poder criar algo do nada e ter pessoas se identificando com isso e apreciando. Vale muito mais do que dinheiro ou fama. É tão recompensador poder ter fãs que me dizem que seus dias estão melhores e que eles estão entretidos graças ao meu som. Qualquer tipo de comentário ou retorno positivo é sempre uma bênção tão grande, é realmente para isso que eu faço música. Pelos fãs”.

No ano passado, diversos nomes do K-pop, incluindo BTS, Monsta X, ATEEZ e CL, se pronunciaram publicamente sobre o movimento Black Lives Matter. Para BM (que também compartilhou seu apoio nas redes sociais), é importante que os artistas sul-coreanos reconheçam e falem sobre causas como essa. “Eu acho que é importante que os artistas coreanos se pronunciem sobre o assunto, mas no fim o que acontece é que muitas gravadoras mantém os seus artistas sob seu controle e não os deixam dizer o que eles precisam e querem. Espalhar a consciência sempre ajuda, especialmente quando se trata do crescimento conjunto como pessoas”.

  • Para enfrentar a pandemia e o isolamento social, o rapper conta que fazer música, ir à academia e jogar videogame tem sido seu refúgio. “Tento ser o mais cauteloso possível quando preciso sair de casa e estou em público. E claro, estar sempre de máscara é muito importante. Algo que me deu força durante esse momento difícil foi o pensamento de ver meus fãs de novo. Eu simplesmente mal posso esperar que a pandemia acabe para que eu finalmente possa encontrá-los, isso é o que eu mais quero ver nesse momento”.

    Animado para reencontrar o fandom brasileiro, BM já tem data marcada para vir ao país em 2022 junto com o KARD para uma nova rodada de shows. “O Brasil é um lugar muito especial para nós e nós amamos os fãs brasileiros. A gente sempre aprecia demais nosso Hidden KARD brasileiro. É um amor grande, grande, grande!”, comemora. E será que na próxima turnê o rapper pretende apresentar sua música solo para os fãs? “Seria emocionante! Eu adoraria performar minhas músicas na nossa próxima turnê pelo Brasil! Todas elas, se eu pudesse, sério. E eu tenho mais ainda vindo por aí, então, se der tempo, eu posso produzir novas músicas e ter ainda mais repertório para mostrar quando nós estivermos de volta”.

    Concluindo nossa conversa especial, o músico reforça sua gratidão e carinho por todos que acompanham seu trabalho: “Quero dizer o quanto sou grato pelas demonstrações constantes de amor e apoio dos nossos fãs. Vocês poderiam amar e apoiar qualquer outra pessoa, mas vocês decidiram nos amar e apoiar, e nós nunca tomamos isso como garantido. Quero agradecer muito a vocês, sempre. E nós realmente mal podemos esperar para ver nossos fãs brasileiros de novo e simplesmente festejar com vocês, cantar e dançar em uma grande casa de shows e compartilhar um tempo precioso juntos e nos divertirmos”.

    Acompanhe todas as novidades sobre BM no Instagram.

    Continua após a publicidade
    Publicidade