Jessica Jung revela detalhes sobre seu livro Shine: Uma chance de brilhar

Em entrevista à CH, a estrela do K-pop falou sobre inspiração, Girls’ Generation e seus desafios como trainee

Por Gustavo Balducci Atualizado em 27 jan 2021, 11h18 - Publicado em 11 jan 2021, 11h40

Depois de se tornar um dos maiores nomes do K-pop ao lado do grupo Girls’ Generation, a cantora Jessica Jung saiu em carreira solo, lançou sua própria linha de roupas, estrelou campanhas internacionais e participou de projetos audiovisuais. Sua mais nova empreitada foi no mundo literário através do livro Shine: Uma chance para brilhar. Em seu romance de estreia, lançado no Brasil pela editora IntrínsecaJessica usou e abusou de suas experiências como idol de K-pop para contar a história de Rachel Kim, uma jovem trainee que está em busca de realizar o sonho de ser escolhida para a próxima girl group formada pela DB Entertainment. Entre os desafios, intrigas, bullying e muita pressão fazem parte do seu cotidiano, mas o que Rachel não esperava era se apaixonar por Jason Lee, o maior astro da agência.

Revelando parte dos bastidores da indústria, Jessica Jung mostra que a realidade dos artistas de K-pop nem sempre é glamourosa, e que temas como saúde mental e desumanização de idols também merecem atenção. Em entrevista à CH, a autora revelou detalhes sobre o livro, sua adaptação para as telonas e conversou sobre a sequência que já está em fase de produção. Confira:

  • CH: Em Shine, fica evidente que suas experiências no K-pop foram referência para as aventuras de Rachel Kim. O você sentiu escrevendo esse livro e qual é a mensagem principal que gostaria de passar através dele?

    Jessica: Eu amei escrever esse livro. Na vida, nós geralmente não temos uma oportunidade tão sólida de refletir, então foi maravilhoso que Shine tenha me dado essa oportunidade de analisar o meu passado e até onde eu cheguei. Eu quero que os leitores fiquem com a mensagem de que eles nunca devem parar de sonhar, e que nenhum sonho é grande demais.

    CH: Existem algumas semelhanças entre você e a protagonista, o quanto você se identifica com Rachel?

    Jessica: Eu era muito como a Rachel na idade dela: ela é determinada e ambiciosa, mas cheia de incertezas sobre se o trabalho duro dela vai valer a pena no futuro.

    CH: No livro, as dificuldades enfrentadas por ela durante o período de treinamento também fazem parte da rotina de alguns idols no mundo real. Hoje, já existem agências falando abertamente sobre temas como saúde mental, bullying e namoro. Você acredita que a indústria está melhorando nesse sentido? Como você imagina o futuro ideal para o K-pop?

    Jessica: Eu vejo que a indústria progrediu bastante desde que eu me tornei parte dela. Idealmente, eu espero que as agências de K-pop tenham mais transparência, e os artistas mais poder.

    CH: Durante a leitura, é possível encontrar palavras e expressões em coreano espalhadas pela história — e isso aproxima ainda mais o leitor com esse universo. Qual a importância de ensinar e conscientizar os fãs sobre a cultura coreana?

    Jessica: Eu sempre gostei de aprender sobre outras culturas, então eu espero que, ao usar palavras em coreano no meu livro, eu possa inspirar alguns leitores a pesquisar essas palavras e aprender um pouco sobre a língua. A cultura coreana é tão rica e bonita, e eu amei poder compartilhar um pedaço dela em Shine.

    CH: Você sente que as artistas femininas de K-pop estão ganhando mais voz e espaço na cena?

    Jessica: Eu acho que as vozes das mulheres definitivamente são mais ouvidas, mas nós ainda temos que progredir muito quando se trata de igualdade e padrões duplos.

    Continua após a publicidade

    CH: Quais são as lembranças mais incríveis e felizes que você guarda da sua época como integrante do Girls’ Generation? E como sua vida foi impactada por essa experiência?

    Jessica: Os momentos mais incríveis e felizes que eu tive como idol de K-pop ao lado do  Girls’ Generation foram os momentos com meus fãs. Meus fãs são os melhores! Eu sempre fico emocionada com o seu apoio a mim e, por sua vez, eu sempre amo ouvir o quanto eles se conectaram com a minha música.

    CH: Já existem planos para a adaptação cinematográfica de Shine. O que você espera desse projeto?

    Jessica: Shine é apenas o começo da história de Rachel e há tanta coisa legal pra contar ainda. Estou pronta e muito animada em ver elementos do livro se misturarem com algumas novas ideias também.

    CH: Você também já está escrevendo uma sequência para o livro. Que tipo de aventuras gostaria de contar dessa vez? Pode revelar um pouco sobre o que vem por aí?

    Jessica: A sequência de Shine vai contar a história de Rachel no pico da sua carreira, como integrante do maior grupo feminino que existe. E como uma grande estrela, ela é parte de um mundo muito mais deslumbrante do que quando ela era uma jovem trainee. O processo de escrever, no entanto, é diferente nesse projeto, pois agora eu estou mais ciente de como as pessoas receberam o primeiro livro, então eu definitivamente sinto mais o peso da expectativa. E eu estou medindo o quanto da minha própria história eu coloco nas páginas.

    CH: No Brasil, existem milhares de fãs apaixonados pelo seu trabalho dentro e fora do Girls’ Generation. Que mensagem você gostaria de deixar para eles? E que tal visitar nosso país um dia?

    Jessica: Para meus fãs brasileiros: muito obrigado a todos por todo amor e apoio! E claro, eu adoraria visitá-los a qualquer hora!

    View this post on Instagram

    A post shared by Jessica Jung (@jessica.syj)

    O livro Shine: Uma chance de brilhar pode ser encontrado aqui.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade