Carlinhos Maia comenta afirmação polêmica sobre suicídio

O influencer foi criticado por fazer declarações que podem ser consideradas um gatilho para quem tem depressão e ansiedade

Por Gabriela Zocchi - Atualizado em 2 set 2019, 19h56 - Publicado em 2 set 2019, 16h15

Carlinhos Maia se viu em mais uma polêmica neste final de semana. É que neste domingo (1) o influencer postou em seus Stories alguns vídeos nos quais falava sobre pessoas invejosas e que desistem fácil, e criticou jovens que consideram o suicídio, chamado-os de “imbecis”.

“Quem disse que [a vida] era fácil? Você acha mesmo que ia ser fácil? Às vezes recebo mensagens de meninos de 16 anos me mandando ‘eu quero me matar’. Vai, imbecil, vai se matar porque você nem começou a vida ainda. Venha perguntar a uma mulher de 75 anos, que até hoje trabalha, sustenta os netos, que está varrendo o quintal, que está catando latinha na rua para sustentar os bisnetos. Venha perguntar se ela se matou com 16 anos. Eu não sei os seus motivos, mas sei os dela, que com certeza não são menores que os seus. Comece a ser forte porque a vida, a internet, não é para os fracos. Bota Deus na frente e vai”, dizia ele em determinado trecho do vídeo, depois apagado de seu perfil.

carlinhos-maia-suicidio
Carlinhos Maia Instagram/Reprodução

As declarações de Carlinhos logo foram criticadas por diversas pessoas, que consideraram suas palavras bastante perigosas, principalmente pelo fato de ele mandar as pessoas que pensam em se matar tirarem logo suas próprias vidas. Frases como as ditas por ele, por exemplo, podem ser consideradas gatilhos para aqueles que enfrentam algumas doenças mentais, como depressão e ansiedade. Por isso muita gente, incluindo outros influencers, decidiram se manifestar sobre o vídeo polêmico de Maia.

“Imagine que ao enviar uma mensagem para seu ídolo dizendo que está pensando em suicídio – na esperança de ouvir alguma palavra de conforto – ele responde da seguinte forma: ‘Vai, ô imbecil, vai se matar’. Depressão é coisa séria! Tratar isso como ‘frescura’ é pura ignorância”, escreveu Castanhari.

Felipe Neto, por sua vez, postou um vídeo no qual não citava nomes, mas dizia que as pessoas que pensavam em se matar deveriam buscar ajuda. “Nesse momento do mundo, não existe nada mais importante, principalmente para quem fala com jovens, do que se informar a respeito da depressão e de tudo que envolve essa doença. (…) Se você ouviu alguma pessoa falando que se você tem 16 anos e sente vontade de se matar tem mais é que se matar mesmo, pelo amor de Deus, ignore isso completamente. Sua dor é legitima, seu sofrimento é real, e ninguém pode dizer que não é“, disse ele.

A RESPOSTA

Na manhã desta segunda-feira (2), Carlinhos decidiu se manifestar sobre a polêmica em seus Stories. “Fui dormir completamente despido de qualquer culpa. Vou postar o vídeo completo, porque passaram só um pedacinho. Em momento nenhum eu estava incitando nada. O assunto não era depressão, era gente que quer desistir na primeira pancada e cobiça o que é do outro. Eu estava falando de um todo, de quando as pessoas mal começam a vida e levam um tombo. Não quem tem distúrbios psicológicos”, se defendeu.

Ele então postou os tais vídeos polêmicos novamente, tentando explicar seu lado. Os posts começavam com ele falando sobre pessoas que o chamavam de pecador e disse que não cabia a ninguém contestar a fé das pessoas. “Ô, idiota, começa a entender que sua vida só vai ter sentido, que você só vai ter as coisas que você quer quando começar a ser uma pessoa melhor, mesmo que errante. Para de olhar a vida dos outros querendo o que os outros têm! (…) O problema com certeza deve estar em você, porque nós temos os mesmos braços, as mesmas pernas, os mesmos cérebros, só mudamos a essência. Cada um tem o que merece. Se você não está tendo aquilo que acha que merece, é porque não está merecendo. Para de invejar o que é do outro”, dizia ele no vídeo.

“Não desista na primeira pancada que lhe derem. Não pergunte porque o outro cresceu e você não. É óbvio, porque ele não desistiu. Mesmo com tudo dando errado, ele não parou. Às vezes merece levar uma sacolejada para você entender que sua vida não vai para frente porque você não vai pra frente por dentro. Vai ser difícil! Quem disse que era fácil? Você acha mesmo que ia ser fácil?”, questionou antes de falar então sobre os garotos de 16 anos que mandam mensagem para ele dizendo que querem se matar.

“Quem viu a reflexão todinha viu que eu não estava incitando nada para quem tinha depressão. Eu finalizo minha reflexão falando ‘coloca Deus na frente e vai’. Qual o contexto dessa reflexão? Não é quem tem distúrbio psicológicos. É você mal começar a vida e já querer o que é do outro e já achar que sua vida não está perfeita. (…) Pedi para dar um exemplo para que essas pessoas jovens conversem com pessoas mais velhas para entender que a vida não é fácil e mesmo assim elas não desistiram”, justificou ele.

Em maio deste ano, Carlinhos se envolveu em outra polêmica com Whindersson Nunes e chegou a menosprezar a saúde mental do comediante, ao comentar “Oxe, não era ele que estava com depressão?” após ver um tuíte do youtuber no qual ele dava várias risadas.

Neste mês é celebrado Setembro Amarelo, que vem para reforçar que saúde mental é coisa séria e que ansiedade e depressão são doenças reais, que se não tratadas podem levar a situações extremas como o suicídio. O suicídio é a terceira principal causa de morte de jovens adultos no mundo, e no Brasil, a cada 45 minutos uma pessoa decide tirar sua própria vida, por isso é um tema que deve ser tratado com todo o cuidado e responsabilidade. Pessoas que pensam em se matar não tomam essa decisão por serem “fracas” ou “preguiçosas”, mas porque, por diversos motivos, acreditam que suas vidas param de fazer sentido, e por isso precisam de ajuda.

Se você precisa de apoio emocional ou conhece alguém que passa por isso, entre em contato com o serviço gratuito de prevenção do suicídio CVV, o Centro de Valorização da Vida, através do telefone 188 ou do site www.cvv.org.br. Não hesite em buscar ajuda.

Continua após a publicidade
Publicidade