Paula Fernandes relembra tentativa de suicídio durante depressão

A cantora enfrentou uma crise de depressão aos 18 anos e abriu o jogo sobre o momento ao Fantástico

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 5 ago 2019, 19h55 - Publicado em 5 ago 2019, 19h03

Neste domingo (4), o Fantástico iniciou um quadro sobre depressão chamado “Não tá tudo bem, mas vai ficar”, comandado por Drauzio Varella. E, para a estreia, o médico entrevistou a cantora Paula Fernandes, que topou falar sobre quando enfrentou a doença aos 18 anos.

paula-fernandes-depressao
Paula Fernandes abriu o jogo sobre depressão no Fantástico Reprodução/Globo

“Eu não entendia [o que estava acontecendo]. Quando a minha depressão chegou no ápice – de 0 a 10 chegou no 9 –, meu cabelo já tinha caído bastante, perdi 7 kg num espaço de tempo curtíssimo, porque eu já não comia”, disse ela.

Já nesta segunda-feira (5), Paula participou do programa Encontro e voltou a falar sobre o assunto. Lá foi exibido também outro trecho da entrevista, que não tinha ido ao ar no Fantástico, no qual a cantora afirmou que chegou muito perto de cometer suicídio. “Escolhi a janela. Eu ia pular, porque estava tomada [pela depressão]. É como se você não enxergasse um palmo à frente. Você desiste de tudo. Não vê possibilidade, perspectiva de nada. Achava que tinha sido derrotada”, disse ela.

View this post on Instagram

Hoje estreia #NãoTáTudoBemMaisVaiFicar, no @showdavida. Na série o Dr. Drauzio Varella fala sobre depressão. Uma doença que cresce cada vez mais! E é extremamente importante que todos tenham conhecimento do sintomas. Conversei um pouco com ele sobre o que eu vivi e como foi todo o processo de tratamento e cura. Vale a pena assistir, se informar e ajudar quem precisa! 🙏 #aconteceucomigo

Continua após a publicidade

A post shared by Paula Fernandes (@paulafernandes) on

Paula afirmou que, apesar de ter sido muito preparada para lidar com a carreira de artista, deixou de lado questões psicológicas e pessoais. “Faltava estrutura pessoal, social e humana para mim. Eu era artista já, muito preparada para ser artista, mas falou o lado ‘pessoa'”, explicou.

A cantora disse ainda ter sido salva por sua mãe, que a encontrou perto da janela. “Minha mãe se desesperou, com medo de fazer um movimento e eu saltar. Foi ela quem me salvou”, disse Paula na entrevista.

  • Ao comentar o vídeo durante o Encontro, ela revelou que foi uma frase que a mãe disse que a fez repensar tudo o que vinha passando e buscar ajuda: “Ela falou para mim que, como não iria dar conta [de me perder], iria pular também. Ela me questionou e me assustou: ‘Se você pular, vou pular também, porque não vou aguentar ficar sem você'”, contou. Tenso, né? Por sorte Paula procurou ajuda, hoje já sabe lidar com a doença e está bem melhor.

    Vale lembrar que depressão e ansiedade são doenças consideradas pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como o “mal da adolescência”. Só no Brasil são registrados por volta de 11 mil casos de suicídio por ano, segundo dados do Ministério da Saúde de 2018. Caso você esteja passando por problemas, se sentindo triste o tempo todo ou sem ver razão na vida, procure ajuda, seja com alguém que você conhece, um psicólogo ou com o CVV (Centro de Valorização da Vida), uma organização que funciona 24h e presta auxílio às pessoas que estão tendo alguma crise de depressão e/ou pensando em se matar. É possível entrar em contato e buscar ajuda por telefone, ligando gratuitamente no 188, ou pelo site, conversando com um atendente no Chat. Falar é preciso. Você não está só.

    Continua após a publicidade
    Publicidade