Diário de intercâmbio: me preparando para o frio canadense! | Capricho

Diário de intercâmbio: me preparando para o frio canadense!

Marcela Bonafé, nossa intercambista no Canadá, em breve, enfrentará temperaturas de -30°C!

Por Da Redação 1 dez 2017, 15h00

Por Marcela Bonafé

Eu sempre fui do tipo de pessoa que diz amar o frio. De fato, eu prefiro. Mas é muito fácil dizer que gosta das temperaturas baixas quando nunca presenciou mínimas negativas. Eu sabia que, quando eu viesse para o intercâmbio na Canadá, o negócio seria bem mais hard core. Então, fui me preparando na medida do possível para isso. Mas tem coisas que a gente só entende quando de fato vive… O frio é uma delas!

Uma situação é você ir passar as férias na Europa durante o Inverno. Você passeia, faz a turista e tem toda aquela magia de viajar. Outra bem diferente é viver o dia a dia gelado e cinzento enquanto estuda. Imagine acordar de manhã para ir à escola, olhar a previsão do tempo para saber o que vestir e ver que a sensação térmica está de -14°C, sendo que ainda nem é Inverno?!

Bota peludinha = melhor companheira. Reprodução/Reprodução

Claro que eu estou amando a experiência e continuo gostando mais de frio que de calor, mas preciso confessar que, às vezes, é meio desesperador. Acho que a parte que mais me deixa balançada é que, quando o relógio dá 16h30, já está completamente escuro! Meu relógio biológico está confuso, preciso admitir. Você olha para fora, vê que está noite, pensa que já é hora de dormir, mas aí o celular marca só 17h. Ou seja, se quiser aproveitar alguns passeios ao ar livre com claridade, não sobra muito tempo.

Aliás, não só os passeios, mas o simples fato de estar ao ar livre já fica complicado. Às vezes, é tanto vento e frio que você só quer encontrar algum lugar quentinho. Fora que pequenos detalhes te pegam de surpresa. Esses dias, por exemplo, minha garrafa de água abriu na mochila, molhou tudo e, quando fui para a rua, minha mochila congelou. Dois dias depois, fui sair de casa e pisei numa poça de água – só que ela estava congelada e, obviamente, levei o maior tombo. Aliás, deu para perceber que o frio traz mais riscos para pessoas desastradas, né? (risos)

Continua após a publicidade
À esquerda, o estilo esquimó que salva neste frio. À direita, a poça que me fez pagar micão. Reprodução/Reprodução

Outro detalhe importantíssimo é que acaba sendo necessário comprar roupas bem quentes para aguentar. E aí o bolso chora um pouco: bota, calça térmica, luva, cachecol, meia… E se você não quiser usar mil camadas de roupas, investir em um casacão bom e próprio para o frio canadense pode custar uns bons dólares – mas, em compensação, ele te protege da chuva, do vento, da neve e do frio de todos os dias.

Enfim, a ideia não é desencorajar ninguém. Destinos mais frios para intercâmbio são incríveis e dá para se divertir muito! É só que, pelo fato de ser bem diferente do frio que a gente tem no Brasil, é preciso se preparar. O que eu fiz e recomendo é: tente chegar ao país antes do auge do inverno, assim seu corpo vai se acostumando aos poucos e você sente menos o choque. Fiz isso e hoje, quando faz 0°C, eu aguento com jeans, blusa de manga comprida e um moletom (o que era inimaginável para mim).

Estando bem agasalhado, dá para aproveitar muito no frio também – e as paisagens ficam lindas. Reprodução/Reprodução

Isso tudo estou dizendo com base nesse começo de frio, vamos ver como será encarar -30°C, né? (risos nervosos) De qualquer forma, prometo que volto com mais posts relacionados a esse assunto: (1) a neve e (2) a cidade subterrânea de Montréal.

Salut!

Ma Bonafé

 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade