Blog da Galera: Modelos protestam contra assédio usando hashtag

Letícia Lair, integrante da Galera CAPRICHO, fala sobre o que está por trás da hashtag #MyJobShouldNotIncludeAbuse.

Por Da Redação - 30 out 2017, 13h25

Oi, gente! Tudo bem? Letícia Lair aqui e hoje vim falar sobre o que vem rolando no mundo da moda com relação às acusações de assédio.

A gente ama moda, mas é muito importante saber o que rola por trás dessa indústria. Afinal, muitas modelos têm que passar por situações horríveis envolvendo assédio no ambiente de trabalho. Até mesmo Cara Delevingne já se pronunciou sobre o assunto, sabia? “Eu não acho que isso acontece só no mercado das modelos, apesar de achar que é pior lá”, ela disse ao The Times recentemente, e acrescentou: “nós começamos muito novas e somos sujeitas a coisas não muito boas“.

Pascal Le Segretain/Getty Images/Reprodução

Felizmente, cada vez mais mulheres decidem falar abertamente sobre o assunto. A modelo Cameron Russell, por exemplo, lançou a hashtag #MyJobShouldNotIncludeAbuse (“Meu trabalho não deveria incluir abuso”) e, desde então, compartilha em seu Instagram várias histórias de modelos que passaram pela mesma situação.

A modelo Sara Sampaio também aderiu à hashtag e desabafou, em seu Instagram, sobre a pressão que sofreu para posar nua na revista francesa Lui. Apesar de ter insistido no set, dizendo que não posaria, partes do corpo de Sara, que ela não queria expor, apareceram “acidentalmente” em algumas fotos. Mesmo depois de garantir para Sara que as fotos em questão não seriam publicadas, a agência responsável colocou uma delas como capa.

View this post on Instagram

I was reluctant even scared about posting this but now more than ever is important to speak out! As models and as women, we need to stand together and demand the respect we deserve. Keep ➡️➡️ #MyJobShouldNotIncludeAbuse

Continua após a publicidade

A post shared by Sara Sampaio (@sarasampaio) on

Graças a toda essa repercussão, alguns resultados já começaram a aparecer. Recentemente, o fotógrafo Terry Richardson foi banido das revistas do grupo Condé Nast International, como a Vogue e Vanity Fair. Outras marcas também já anunciaram que cortarão relações com o fotógrafo, como a Valentino e Bulgari. Richardson recebe diversas acusações há anos, mas todas foram negadas por ele e não tiveram muita repercussão no público até pouco tempo.

A visibilidade para esses casos só aumenta cada vez mais, mostrando que esse tipo de situação não pode ser visto como algo normal. Assédio não deve ser tolerado dentro da indústria da moda ou em qualquer outro lugar!

Mil beijos,
@leticialair

 

Continua após a publicidade
Publicidade