Mito ou verdade: franja curta estimula a oleosidade da testa?

A CH conversou com especialistas e responde a pergunta!

Por Beatriz Arruda 2 jun 2018, 17h50

As franjinhas têm conquistado cada vez mais adeptos. Carla Diaz, Giovanna Lancelotti e Gleici Damasceno foram algumas das famosas que passaram pela transformação neste ano. E uma coisa é certa: quem tem franja curta ou pensou em ter uma já ouviu que ela estimula a oleosidade da pele. Mas será que isso é realmente verdade?  

giovanna-lancelotti-franja
Instagram/Reprodução

Depende! A franja, de fato, pode contribuir para o aumento da oleosidade na região da testa e, inclusive, estimular o aparecimento de espinhas, mas não é uma regra, tá?

Isso ocorre com mais facilidade em pessoas que possuem a pele ou o cabelo oleosos – se os fios têm essa tendência, podem transmitir a oleosidade para a pele que está em contato direto com a franja. Condicionadores e cremes, que costumam ter ingredientes oleosos, também influenciam. Além disso, a franja é responsável por criar um abafamento na região e pode reter a secreção sebácea, estimulando a oleosidade.

  • Porém, esses fatos não querem dizer que quem tem o cabelo ou a pele oleosa não pode ter franja. Existem alguns cuidados que ajudam bastante. O mais indicado, então, é lavar a franja com mais frequência (e com xampu para fios oleosos). Uma outra dica é investir no xampu seco, item que, embora não substitua a lavagem, dribla a oleosidade por algum tempo. Também é importante não esquecer da sua rotina de higienização do rosto, com produtos próprios para sua pele.

    Quem deu as informações: os dermatologistas Emily Alvernaz, da clínica Goa; Isabella Gomide, da clínica Regis; e Rodrigo Pirmez, da clínica Dr. André Braz. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade