Dieta: desabafo de Mel Maia é um alerta sobre restrições rígidas demais

A CH conversou com a Maria Fernanda Vischi D'Ottavio, nutricionista do HCor, para entender os perigos das restrições alimentares

Por Izabel Gimenez Atualizado em 19 ago 2020, 16h15 - Publicado em 19 ago 2020, 14h39

Não é de hoje que Mel Maia se diz insegura sobre seu corpo. A adolescente de 16 anos, que trabalha com sua imagem desde muito cedo, desabafou há um tempo na internet sobre a dificuldade que sentiu para conseguir se aceitar, principalmente depois do seu trabalho na novela A Dona do Pedaço quando começou a perceber mudanças em sua rotina e as pessoas passaram a comentar sobre o assunto nas redes sociais.

Na terça-feira (18/8), a atriz usou internet para comentar que a quarentena afetou a relação com seu corpo e que, por não estar se sentindo 100%, decidiu fazer uma reeducação alimentar – e um de seus Stories levantou um alerta. “Poxa, estou com muita fome! A minha mãe está fazendo a minha comida, mas estou com vontade de comer um bolo de chocolate. Um bolo de cenoura com chocolate… Gente, socorro! Quero um doce, mas estou de dieta”, disse. “Meu nutricionista tem muita paciência comigo”, completou. 

Continua após a publicidade

Depois de um tempo, e de alguns comentários sobre sua declaração, Mel voltou para explicar que seu nutricionista disponibiliza uma série de receitas fitness, como bolinho de banana, barrinha de cereal, cookie, bolo de chocolate e outras opções. “Do jeito que eu falei vai parecer que ele é muito rigoroso, mas não é, foi só um desabafo”, disse.

É claro que a alimentação saudável é importante (para a sua saúde, não para ter um corpo deste ou daquele jeito), mas qualquer dieta restritiva pode causar um efeito diferente do desejado. É preciso entender a forma como você se relaciona com os alimentos. Não existe nenhuma comida que seja vilã, muito menos uma que seja milagrosa. Por isso, manter uma rotina balanceada, com nutrientes, mas sem esquecer de cuidar da saúde mental e de suprir seus desejos, é o ideal! Tá tudo bem comer um bolo de chocolate, ok?

De acordo com a Maria Fernanda Vischi D’Ottavio, nutricionista do HCor, o Ministério da Saúde e a Sociedade Brasileira de Nutrição priorizam uma alimentação equilibrada. “A restrição, a longo prazo, não funciona porque se torna sacrificante. Precisamos entender que a alimentação está envolvida com questões sociais e de prazer, por isso, é tão importante ter um equilíbrio”, explica.

  • A especialista ainda lembra que a dieta é algo muito individualizado, principalmente por causa dos diferentes biotipos. “Essas restrições, a longo prazo, podem acabar gerando algum tipo de transtorno, inclusive desenvolvendo ansiedades e compulsões principalmente para pessoas que já têm essa tendência“, alerta. “Outra questão importante é que essa rotina acaba gerando a necessidade de compensação dos alimentos, o que também não é certo nem saudável”, garante.

    Por fim, a profissional ressalta que é essencial procurar um especialista para entender o seu corpo. Nada de buscar deitas malucas na internet, viu?! “Quando não ingerimos a quantidade necessária de nutrientes, podemos causar problemas como alterações hormonais e metabólicas no nosso corpo, que podem gerar queda de cabelo, fraqueza entre outras questões. A alimentação precisa ser vista como uma companheira, não como uma inimiga ou uma dificuldade“.

    Vale lembrar: você não precisa emagrecer – basta se amar muito e tratar seu corpo com carinho que ele merece <3

    Continua após a publicidade
    Publicidade