Em entrevista, Billie Eilish desabafa sobre autoestima: “Odiava meu corpo”

A cantora tocou no assunto ao falar com a Vogue americana sobre depressão

Por Da Redação - Atualizado em 21 Maio 2020, 18h07 - Publicado em 4 fev 2020, 17h48

Billie Eilish é a estrela de capa da edição de março da Vogue norte-americana. Em entrevista à publicação, a cantora falou sobre diversos assuntos, entre eles sua relação com o próprio corpo no passado e como a baixa autoestima prejudicou sua saúde mental.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

COVER OF VOGUE MARCH ISSUE

A post shared by BILLIE EILISH (@billieeilish) on

Continua após a publicidade

A jovem de 18 anos já deu várias declarações sobre a fase em que teve que lidar com a depressão. Na conversa com a revista, ela comentou que vários motivos contribuíram para a piora do problema, entre eles um grupo de amigos tóxicos, um relacionamento romântico com alguém que a maltratava e a visão que ela tinha de sua própria aparência.

Eu odiava meu corpo. Teria feito qualquer coisa para estar em um [corpo] diferente“, disse. A cantora comentou que se desenvolveu cedo: “Aos 9 anos, tinha seios. Menstruei aos 11. Então, meu corpo estava indo mais rápido do que meu cérebro. É engraçado, porque, quando você é criança, não pensa no seu corpo. E, de repente, você olha pra baixo fica tipo: ‘Whoa’! O que posso fazer para que isso desapareça?”, continuou.

View this post on Instagram

Continua após a publicidade

cпасибо

A post shared by BILLIE EILISH (@billieeilish) on

A situação ficou cada vez mais complicada, a ponto de Billie chegar a pensar em suicídio. De acordo com a Vogue, em junho do ano passado, após algumas mudanças sobre as quais ela preferiu não dar detalhes, as coisas começaram a melhorar. “Quando as pessoas me perguntam o que eu diria para alguém que procura conselhos sobre saúde mental, a única coisa que posso dizer é: ‘Paciência’. Tive paciência comigo mesma. Não dei o último passo. Esperei. As coisas desaparecem”, completou.

Continua após a publicidade

É muito bom saber que Billie está bem hoje em dia. E que ela fique cada vez melhor! E lembre-se: se você está passando por algo semelhante e precisa de apoio emocional, não deixe de buscar ajuda. Entre em contato com o CVV, o Centro de Valorização da Vida, através do telefone 188 ou do site http://www.cvv.org.br.

Publicidade