10 modelos LGBTQ+ que estão mudando a indústria da moda

Nomes que arrasam nas passarelas e campanhas de grifes internacionais!

Por Sofia Duarte Atualizado em 7 jun 2020, 10h43 - Publicado em 7 jun 2020, 10h00

A representatividade LGBTQ+ se faz necessária em todas as áreas e profissões, inclusive na moda. E muitos modelos de diferentes sexualidades e identificação de gênero estão contribuindo para mudar a indústria fashion e seu histórico de seguir um padrão de beleza inatingível e excluir minorias sociais. Conheça 10 tops que estão fazendo a diferença nesse universo:

Cara Delevingne

A top britânica começou a fazer sucesso em 2012, quando foi o rosto de campanhas da Burberry, passou a desfilar para várias grifes internacionais e foi eleita “a nova Twiggy” pela revista francesa Jalouse. Em 2015, Cara falou pela primeira vez sobre ser bissexual à Vogue americana e, recentemente, ela disse à Variety que se considera pansexual: “Não importa como a pessoa se defina, se é como ‘eles’, ‘ele’, ‘ela’, eu me apaixono pela pessoa e é isso. Eu me sinto atraída pela pessoa.” Maravilhosa!

Cara Delevigne em desfile da Chanel na semana de moda de Paris, em março de 2019 Estrop/Getty Images

Hunter Schafer

Hunter é uma mulher transsexual e ficou mais conhecida ao estrear como atriz na série Euphoria. Na época, afirmou à Variety: “Precisamos de mais papéis em que pessoas trans não estão lidando apenas com serem trans; elas são trans enquanto lidam com outros problemas. Nós somos muito mais complexos do que nossa identidade”. Sua carreira como modelo de passarela e principalmente de ensaios fotográficos vem bem antes disso, e ela já trabalhou com grifes como Dior, Miu Miu e Marc Jacobs.

Hunter Schafer com vestido bordô e bota de plataforma Jon Kopaloff/Getty Images

Lea T

A modelo e mulher trans brasileira ficou famosa na Europa ao estrelar uma campanha da Givenchy em 2010. Depois disso, a mineira foi a musa de várias capas de revistas e, em 2012, foi eleita pela Forbes como uma das 12 mulheres que mudaram a moda italiana. Ela continua rompendo paradigmas, além de sempre se posicionar e levantar a bandeira do ativismo.

Lea T em desfile da Burberry na semana de moda de Londres em fevereiro de 2020 David M. Benett/Dave Benett/Burberry/Getty Images

Valentina Sampaio

A brasileira de 23 anos fez história ao se tornar a primeira modelo trans a fazer parte do casting da Victoria’s Secret. Essa notícia foi revelada em agosto de 2019 e, na época, a cearense disse: “Um sonho realizado e que representa muito!”. Ela também já trabalhou para marcas como Marc Jacobs, Balmain e L’Oréal.

Valentina Sampaio no baile da amfAR em Nova York, em fevereiro de 2020 Theo Wargo/Getty Images

Stella Maxwell

A modelo belga é angel da Victoria’s Secret desde 2015 e também desfila para outras grifes renomadas, tipo a Versace e a Moschino. Ela já namorou divas como Kristen Stewart e Miley Cyrus.

Continua após a publicidade
Stella Maxwell desfilando para a Versace na semana de moda de Milão, em fevereiro de 2020 John Phillips/WireImage/Getty Images
  • Leyna Bloom

    A atriz e modelo deixou – ainda está deixando – marcas na indústria da moda e do cinema. Em outubro de 2017, a americana foi a primeira negra trans a aparecer na Vogue India. Um ano depois, ela se tornou a primeira negra trans protagonista de um filme a ser exibido no Festival de Cannes, no longa Port Authority.

    Leyna Bloom no desfile da Longchamp na semana de moda de Nova York, em fevereiro de 2020 Cindy Ord/NYFW: The Shows/Getty Images

    Andreja Pejic

    A modelo trans nasceu na Bósnia, mas, com a guerra no país (de 1992 a 1995), fugiu para a Sérvia como refugiada junto com sua mãe e avó. Em 1999, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) bombardeou a antiga Iuguslávia, durante a Guerra do Kosovo, e a família de Andreja foi para a Austrália como refugiados políticos. Que história de vida, né? Na moda, ela começou a ganhar destaque a partir de 2011, nas passarelas de roupas femininas de Jean-Paul Gaultier e de roupas masculinas de Marc Jacobs na semana de moda de Paris. Nos últimos anos, ela tem aparecido em revistas como a Elle russa, a Vogue norte-americana e em campanhas de marcas como Fendi e Kérastase.

    Andreja Pejic em baile de gala da National Gallery of Victoria em novembro de 2019, em Melbourne, na Austrália Hanna Lassen/NGV/Getty Images

    Erika Linder

    A sueca Erika Linder namora a também modelo Heather Kemesky e é conhecida por ser uma top andrógina, ou seja, que desfila tanto roupas masculinas como femininas, mas é importante pontuar que isso não tem a ver com a orientação sexual dela, viu? Erika sempre brilha nas passarelas da Chanel!

    Erika Linder em desfile da Chanel na semana de moda de Paris, em março de 2020 Estrop/Getty Images

    Freja Beha

    A dinamarquesa é famosa por seu visual andrógino e por sempre estar nas passarelas da Prada, Saint Laurent, Louis Vuitton e outras gigantes da moda. Além disso, era conhecida como uma das musas de Karl Lagerfeld.

    Freja Beha Erichsen desfilando para a Saint Laurent na semana de moda de Paris, em fevereiro de 2020 Peter White/Getty Images

    Indya Moore

    A modelo e ativista americana de 25 anos foi a primeira mulher trans a aparecer na capa da Elle americana, na edição de junho de 2019. Ela também ficou conhecida por atuar na série Pose, que mostra a realidade da comunidade LGBTQ+ na Nova York dos anos 1980.

    Indya Moore no desfile da Louis Vuitton na semana de moda de Paris, em outubro de 2019 Pascal Le Segretain/Getty Images

    E aí, você já conhecia estas modelos? Qual delas vai começar a acompanhar?

    Continua após a publicidade
    Publicidade