Billie Eilish revela que quase se suicidou por mensagens de ódio na web

Em 2018, a cantora por pouco não tirou a própria vida devido a comentários maldosos nas redes sociais

Por ambilereis - Atualizado em 4 jun 2020, 20h58 - Publicado em 4 jun 2020, 15h13
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Nesta quinta-feira (4/6), a GQ britânica divulgou uma entrevista com Billie Eilish em que a cantora revelou que pensou em suicídio ao ler comentários maldosos na internet. 

A publicação ressaltou (e concordamos) que o bullying virtual talvez seja um dos maiores perigos atuais enfrentados por jovens. E as celebridades, por estarem mais “próximas” do que nunca dos internautas, acabam precisando enfrentar críticas que, na maior parte das vezes, estão mais para mensagens maldosas e gratuitas nas redes sociais.

“É inacreditável. Eu quase me matei por conta de um tuíte há alguns anos”, afirmou. A matéria confirmou que a situação a que a americana está se referindo aconteceu em um hotel em Berlim, em 2018. Ela disse que ficou horas scrollando e lendo mensagens horríveis no Twitter. E que aquilo foi como uma sensação venenosa a consumindo.

“Eu só pensava na maneira como ia morrer”, falou. Billie contou que só voltou à “realidade” e decidiu não tomar nenhuma atitude quando a mãe e o irmão apareceram de repente no quarto e perguntaram se estava tudo bem.

Continua após a publicidade

Embora o hate exista nas plataformas digitais, a jovem reconheceu que esse é o espaço também de milhões de fãs que estão dando tudo pelos artistas que amam dia e noite.

“Mesmo quando eu tento evitar, o que eu faço atualmente, acabo vendo algo porque os fãs, que de fato me defendem, repostam e respondem o comentário maldoso original no feed deles. Eu não consigo ganhar. Tentei apagar os comentários do Instagram, mas, sabe, eu me sinto igualmente mal de fazer isso. Eu não posso me desligar completamente. O Instagram coloca os comentários de quem você segue, meus amigos, no topo dos posts, mas, se eu descer um pouco mais na seção de comentários, isso destrói meu mundo. É tão difícil não ler o ódio”, esclareceu.

*A CAPRICHO deixa aqui um recado para quem se sente da mesma maneira que Billie: ainda que tudo pareça muito difícil, saiba que você pode procurar ajuda. O Centro de Valorização da Vida (CVV) presta apoio 24h. Se necessário, ligue 188 ou acesse o site. Você não está só, mesmo que muitas vezes pareça o contrário. Não desista!

Publicidade