13 Reasons Why: tudo sobre a 2ª temporada

A CAPRICHO visitou o set de filmagem e traz pra você entrevistas e curiosidades sobre a série da Netflix

Alisha Boe: "Quando uma garota é estuprada, toda sua vida muda"

Especial começa com Alisha e Brandon Flynn contando o que acontecerá com Jessica e Justin

Alisha Boe em cena da segunda temporada de 13 Reasons Why

Alisha Boe em cena da segunda temporada de 13 Reasons Why (Beth Dubber/Netflix/Divulgação)

No dia 18 de maio, estreia na Netflix a segunda temporada de 13 Reasons Why e finalmente poderemos ver as consequências do suicídio de Hannah Baker (Katherine Langford), mas principalmente como ficará a vida de Jessica (Alisha Boe), após ela ter revelado aos pais que foi estuprada.

Quem assistiu a série sabe que o estuprador de Jessica (e Hannah) foi Bryce Walker (Justin Prentice). No caso da personagem de Alisha, a violência sexual teve o consentimento do namorado, Justin (Brandon Flynn), personagem que também terá que se recuperar e estará ainda mais afundado nas drogas.

No final do ano passado, a CAPRICHO foi até o set de filmagens da segunda temporada de 13 Reasons Why nos estúdios da Paramount, em Vallejo, na Califórnia, para conversar com o elenco e ver algumas cenas serem gravadas. E a primeira série de entrevistas começa com Alisha Boe e Brandon Flynn.

CAPRICHO: Vocês são alguns dos personagens mais fascinantes da primeira temporada. Pela forma como começaram e se transformaram no final, com muitos dramas e camadas. Quanto mais de vocês poderemos ver na segunda temporada?

Brandon Flynn: Tem muito mais! Acho que nesta temporada vai ser mais uma recuperação, e cada um de nós está lidando com a própria forma de recuperação. Nesse processo nós vamos descobrir que somos muito mais fortes do que pensamos. Estar em recuperação é muito mais difícil do que estar na merda, entende? Porque você primeiro tem que tomar a decisão de se recuperar, o que é muito difícil. Você acaba trazendo à tona todos os seus demônios durante esse processo. Isso vai ser explorado bastante por todos os personagens durante a segunda temporada, mas muito mais com a Jessica e o Justin.

Jessica sofrerá ameaças…

Jessica sofrerá ameaças… (Netflix/Reprodução)

Alisha Boe: Sinto que a Jessica é um pessoa totalmente diferente do que era no começo, porque na primeira temporada ela está lutando, mas não sabe direito o que está acontecendo com ela. Aí, no final da temporada, como vocês viram, ela vai até o pai e diz, ‘isso foi o que aconteceu comigo’. A segunda temporada já começa com ela indo para a terapia, achando que está pronta para retornar ao colégio, meio que voltando para a vida, para o mundo real, e tendo que ir pra escola junto com seu estuprador. Como ela está tentando se recuperar emocionalmente, e isso é como uma jornada, tem os altos e baixos. Quando Jessica pensa que as coisas estão dando certo, elas acabam dando terrivelmente errado.

Justin é o produto do ambiente familiar que ele tem, de tudo que o namorado da mãe dele fez com ele na primeira temporada. Como isso será desenvolvido agora?

BF: Essa temporada começa cinco meses depois dos acontecimentos da primeira. Se você for pensar, cinco meses não é muito tempo, mas as coisas que podem acontecer são infinitas. Justin tem algumas mudanças bem obscuras, outras positivas, mas por questões dramáticas, acho que as pessoas estão esperando muito mais pelas coisas negativas. Na segunda temporada, nós encontramos o Justin morando na rua, realmente virando um produto daquele lar em que ele estava morando, se é que dá pra chamar aquilo de lar. O Justin morando na rua parece ser até mais um lar comparado com o que ele tinha. As drogas são uma grande parte do Justin agora, ele está bem perdido no começo da segunda temporada.

Você acha que ele é mais uma vítima agora do que um vilão? Porque muita gente o considerava um vilão pelo que tinha feito, mas agora ele se parece mais como uma vítima do próprio meio em que vivia, certo?

BF: Sim, 100%. Acho que ele é uma vítima em vários aspectos, e um que eu considero muito importante é que ele é uma vítima dele mesmo. O que é algo com que muita gente está familiarizada.

O que vocês acharam do trailer da segunda temporada de 13 Reasons Why?

O que vocês acharam do trailer da segunda temporada de 13 Reasons Why? (Netflix/Reprodução)

Nós vimos tudo que aconteceu com a Hannah e com a Jessica na primeira temporada. Como foi feita essa preparação? Você conhece pessoas que passaram pelo que vocês passaram na escola?

AB: Especialmente durante o High School, muitas amigas minhas foram abusadas sexualmente.

Sério?

AB: Sim. Principalmente porque vivemos na era dos celulares, então muitas delas tiveram fotos nuas vazadas na escola. O que é quase que uma epidemia, algo normal, infelizmente. Mas, quando eu tinha 16 anos, não tinha a noção de que aquilo era um abuso sexual. Então, interpretar esse papel, pude realmente entender o que era o abuso sexual. Nós conversamos com muitos psicólogos que são especialistas no tema. Comecei a falar com algumas pessoas da minha família e descobri que o que aconteceu com a Jessica é mais comum do que deveria ser. Aconteceu com pessoas da minha família, com minhas amigas, com todas essas mulheres que nunca falaram sobre o assunto, porque elas nunca acharam que alguém quisesse as ouvir, e também não queriam ser culpadas por serem vítimas. Após a série sair, muitas garotas me procuraram para falar que a série as fez perceber que o que aconteceu com elas era um abuso sexual, e que agora elas finalmente podem falar sobre o assunto, porque elas agora têm uma plataforma para jovens garotas entenderem o que é certo e o que é errado, e que é OK falar sobre o assunto.

Após a série sair, muitas garotas me procuraram para falar que a série as fez perceber que o que aconteceu com elas era um abuso sexual.

Alisha Boe

Você se sente de alguma forma pressionada por ser essa voz pra elas? Por que deve ser difícil pra você também, certo?

AB: É difícil, mas não me sinto pressionada. Sinto que a história precisa ser contada, ainda mais com tudo que tem sido publicado na mídia, com os casos do Harvey Weinstein. É uma epidemia nojenta, especialmente em Hollywood, onde homens são tão poderosos que acham que podem se aproveitar de jovens garotas e de mulheres. É errado, e não sinto que é uma pressão, e sim mais uma responsabilidade, ainda mais por ter a plataforma para falar sobre isso.

Todos vocês interpretam personagens muito intensos, como foi voltar a vivê-los? Como foi o primeiro dia no set da segunda temporada?

AB: É muito difícil definir isso em palavras. Estava muito ansiosa em poder contar a história de recuperação da Jéssica. Porque acho que é a coisa mais interessante de se mostrar. Quando uma garota é estuprada, toda sua vida muda, todo seu psicológico muda e, poder explorar isso. Principalmente se os garotos entenderem que, quando uma coisa dessas acontece, a vida da garota irá mudar para sempre. O estrago é permanente para elas.

Qual foi a história mais marcante que vocês receberam de fãs?

BF: Pra mim, as melhores histórias que recebi são aquelas em que os fãs falaram que puderam ajudar alguém. Acho que isso é muito legal. Porque no High School é muito desafiador, você ter que decidir se você vai ser aquele aluno mais quieto, ou o cara mais legal, ou o que é mais alternativo. Você ter que ser forte o tempo inteiro é muito difícil, assim como a vida.

* A CAPRICHO viajou à Califórnia a convite da Netflix.

Elenco de 13 Reasons Why explica fotos antigas e fala de 2ª temporada

Alisha Boe (Jessica), Christian Navarro (Tony) e Brandon Flynn (Justin) falaram com a CAPRICHO em São Paulo

Christian Navarro, Alisha Boe e Brandon Flynn experimentaram experimentar açaí, água de coco, abacaxi e caju

Christian Navarro, Alisha Boe e Brandon Flynn experimentaram experimentar açaí, água de coco, abacaxi e caju (Mauricio Santana / Netflix/Divulgação)

Os fãs brasileiros de 13 Reasons Why podem se considerar alguns dos mais sortudos do mundo! Faltando bem pouco pra segunda temporada estrear na Netflix, Alisha Boe (Jessica), Christian Navarro (Tony) e Brandon Flynn (Justin), vieram ao Brasil e a CAPRICHO conversou com eles nesta quarta-feira (9/5), em São Paulo.

Depois de terem provado novas iguarias brasileiras – ano passado a gente já tinha apresentado paçoca e brigadeiro pra eles -, os três toparam o desafio de explicar algumas fotos antigas de seus perfis no Instagram, além de comentarem um pouco sobre a nova temporada. Dá uma olhada:

"Precisamos mostrar o imperfeito na TV", diz Christian Navarro

Ao lado de Ross Butler (Zach) e Miles Heizer (Alex), ator falou sobre a segunda temporada de 13 Reasons Why

Tony e Caleb em 13 Reasons Why

Tony e Caleb em 13 Reasons Why (Reprodução/Netflix)

Além de mostrar o outro lado na história de Hannah (Katherine Langford) e as consequências do que aconteceu com Jessica (Alisha Boe), a segunda temporada de 13 Reasons Why trará uma mensagem muito importante: precisamos criar melhor os nossos garotos.

Porque, no final das contas, foi exatamente o machismo e a cultura do estupro, muito presente nos colégios americanos, que fizeram com que Hannah se matasse, que prejudicou permanentemente a vida de Jessica e, de uma forma indireta, fez com que Alex (Miles Heizer) tentasse se matar, imitando a atitude da amiga, algo mais comum em nossa sociedade do que se pensa. Infelizmente.

Ano passado, a CAPRICHO foi até o set de filmagens da série da Netflix e conversou com boa parte do elenco. Entre eles, Ross Butler, Christian Navarro e Miles Heizer:

CAPRICHO: Como seus personagens evoluíram na segunda temporada?

Christian Navarro: No final da primeira temporada, dá pra ver o Tony aceitando que ele faz parte de uma comunidade, deixando de ser um cara isolado. Agora, realmente embarcamos em uma jornada, vendo ele se abrir, permitindo ser amado. Ele se entregou muito ao amor pelo Clay, pela Hannah e pelo ex na série durante a primeira temporada. Agora podemos o ver numa posição em que está tudo bem ser amado, e esperamos que até o fim da temporada ele possa aceitar melhor o senso de comunidade, que ele pode fazer parte dessa comunidade.

Ross Butler: Ao fim da temporada, Zach está dividido entre manter o status ao lado dos amigos do time e fazer o que ele acha que é o correto. Então, cinco meses depois, ele teve tempo de lidar com tudo que aconteceu com a Hannah e seus amigos, após ouvir as fitas. Agora ele está mais confiante em fazer o que é certo para sua família, que é sua prioridade, ao invés de proteger seus amigos.

Miles Heizer: Obviamente eu não estou morto, eu sobrevivi. (risos) Tudo começa cinco meses após essa tentativa de suicídio, que com certeza vai ser uma grande parte de sua jornada neste ano, tentando lidar com isso e descobrir qual foi a causa que o levou a fazer algo como isso.

Zach terá que decidir de que lado está

Zach terá que decidir de que lado está (Instagram/Reprodução)

Quando um suicídio acontece, é muito comum aparecerem casos copiando e, no caso do Alex, foi isso que aconteceu com ele?

MH: Claro que o Alex estava lidando com muitas coisas, mas obviamente o fato da amiga dele ter se matado é algo que contribuiu para ele agir desta forma, e com certeza é algo que merece ser explorado.

Você fez muita pesquisa sobre o tema, de casos de tentativas de suicídio?

MH: Sim, mas também a produção é muito boa conosco, nos dando material, falando com a gente, até mesmo no aspecto físico, para me mostrar como o corpo fica após algo como isso. Com certeza fizemos muita pesquisa e tivemos muita gente boa nos ajudando com isso.

A segunda temporada vai lidar muito com o bullying, slut-shaming e outros assuntos pesados. O quão próximos vocês ficaram desses temas pessoalmente nesta temporada?

RB: Frequentar a High School nos Estados Unidos é algo que certamente muitos de nós do elenco, e alguns espectadores, certamente já passamos em nossas vidas quando éramos mais novos. E, recebendo mensagens dos fãs, ouvindo sobre suas experiências, com certeza é algo muito pessoal pra gente, muito próximo, e que merece toda essa discussão. Quando tanta gente se conecta com aquilo, é difícil saber que acontece em todos os lugares, mas também é confortante saber que todo mundo passa por isso, incluindo a gente.

CN: É uma responsabilidade. Eu tenho duas irmãs mais velhas, e ambas passaram pelo sistema educacional dos Estados Unidos. As duas assistiram à série e a facilidade delas em se identificar com alguns momentos horríveis é de partir o coração. Primeiro porque elas são minhas irmãs, e saber que eu não posso protegê-las, que isso é como são as coisas nas escolas dos Estados Unidos, realmente é de partir o coração e inaceitável. É nossa obrigação, como atores na série, de contar essas histórias, porque está acontecendo ao redor do mundo. Nós fomos ao Brasil, e percebemos que todo mundo está lidando com isso, todo mundo está vendo essas coisas acontecendo como na série e não fazendo nada, é inaceitável. Então é nossa obrigação. Como o Ross disse, a coisa mais importante de fazer uma série como essa é poder conversar com os fãs, ajudá-los, porque eles chegam em casa, após passar por um dia ruim e vão assistir 13 Reasons Why. Então temos que continuar fazendo isso na segunda temporada.

E como vocês fazem para não serem influenciados por esses temas?

MH: Na segunda temporada estamos lidando com um material bem pesado, lendo muito sobre isso, para se preparar para a série e filmar, mas o que ajuda muito é que todo mundo da equipe tenta manter as coisas leves o suficiente. No set, as coisas não são tão tristes como vocês viram, com todos os pôsteres contra suicídio espalhados pelos corredores, é bem intenso. Eu diria com certeza tem um efeito, mas você tem que ter um bom sistema de suporte pra quando você sair daqui.

CN: Acho que isso começa e termina com a gente, porque nós nos ajudamos muito. Às vezes gravamos uma cena que é trágica e todo mundo está em lágrimas e quando fala “corta!”, todos rimos e temos bons momentos. Isso faz com que tudo fique mais fácil pra chegarmos todos os dias e possamos nos comprometer 100%. Porque eu sei que o Mles vai estar ali pra mim, que o Ross vai estar ali pra mim, a Katherine. Isso significa muito.

Os novos episódios vão mostrar o outro lado do que aconteceu com a Hannah. O que vocês podem contar pra gente sem entregar tantos spoilers?

CN: Eu fiquei muito animado em poder saber que poderíamos explorar muito mais do Tony. Porque, na primeira temporada, o Tony era apenas uma ideia, vimos apenas flashes dele, e agora finalmente vamos poder vê-lo como um ser-humano. Isso me deixou muito animado, e com certeza vai responder muitas perguntas que ficaram em aberto na primeira temporada.

RB: Todos os personagens tinham segredos e que agora serão revelados, muitos segredos pessoais, que coincidem com a primeira temporada. Então as pessoas vão poder voltar para a primeira temporada, juntar os pontos e dizer, “oh, agora faz sentido porque isso aconteceu”. Os roteiristas realmente fizeram um bom trabalho em fazer essas duas temporadas conectadas. E, vendo os acontecimentos pela nossa perspectiva, vai poder mostrar novos pontos de vistas das coisas ditas pela Hannah e outros que ela não necessariamente falou. Vamos poder ver a perspectiva completa de toda a história.

Atualmente na TV temos muitas séries voltadas para adolescentes, e muitas delas retratam esse período de uma forma meio boba, o que não acontece em 13 Reasons Why. Os assuntos são retratados de uma forma mais realista e pesada. Pra vocês, como jovens talentos, qual a importância de fazer parte de uma série como essa, com tantos adolescentes se identificando com os personagens?

MH: Me sinto muito sortudo por fazer parte dessa série, porque, como você falou, é uma série bem mais madura, mais realista, porque os adolescentes estão falando todo tipo de coisas horríveis, algo que geralmente é excluído de muitas séries de TV e filmes. E acho que 13 Reasons Why fez um bom trabalho em mostrar como é realmente usar palavrões, exatamente como as pessoas fazem quando elas são adolescentes. Acho que é muito legal poder fazer parte dessa série, mostrar todas essas coisas.

CN: Acho que muitas séries de TV, especialmente as que são voltadas para o público jovem adulto, estão cheias de estereótipos. Eu não assistiria a essas séries, mas veria a nossa, porque os personagens são multifacetados, eles cometem erros, eles não têm medo de cometer erros, não são perfeitos. Agora, mais do que nunca, precisamos mostrar o imperfeito na TV, em filmes, em livros que estamos lendo, porque essa é a maioria do mundo, pessoas que não são perfeitas. Não sou o típico astro de TV, não sou alto, sou um porto-riquenho do Bronx [bairro de Nova York]. Então, se eu posso fazer, algum garoto de South Boston pode também. Isso importa muito mais do que qualquer coisa, porque eu era aquele garoto sentando em casa, e eu não tinha alguém como eu, não tinha um porto-riquenho baixinho na TV. Então, se eu puder estar ali pra inspirar alguém, isso é o que importa.

Alex tentará se recuperar após tentativa de suicídio

Alex tentará se recuperar após tentativa de suicídio (Instagram/Reprodução)

Sobre o Alex, você acha que ele se sente culpado por estar vivo? Ele está feliz por ter sobrevivido?

MH: Acho que é mais uma mistura de emoções. Ele está lidando muito com a perda de memória e confuso, por causa do dano que ele causou em seu cérebro. Isso é algo que com certeza vamos ver nessa temporada. Culpa por sua família, por fazê-los passar por tudo isso, mas também tentando entender todos os sentimentos pelos quais ele estava passado.

Na cena que assistimos, deu pra ver que o Alex está usando um andador, debilitado fisicamente por causa da tentativa de suicídio. O quão fisicamente desafiador pra você foi isso?

MH: Agora já estou bem acostumado, nem penso muito mais nisso. Mas no começo tive o acompanhamento de um fisioterapeuta, me encontrei com alguns profissionais durante a filmagem da temporada. Também tive o contato com algumas pessoas que tiveram danos cerebrais. Claro que no começo foi estranho, mas agora está muito mais fácil.

No final da primeira temporada tivemos a mensagem de que os garotos precisam ser melhores, principalmente na forma como eles tratam as garotas. Pensando nisso, o quanto os garotos mudaram?

CN: Sinto que não consigo responder isso sem entregar muita coisa, mas eu posso te dizer, do fundo do meu coração, que estou muito orgulhoso. Tive um professor de atuação que dizia, “90% uma coisa, 10% outra coisa”. E todos os personagens são 10% uma coisa, e 90% outra coisa. O que fizemos esse ano foi pegar 10% de cada personagem da série, e invertemos essa conta. Pessoas que vocês pensavam que eram irrecuperáveis, ou os que mais conseguiriam redenção. Os garotos se tornaram homens, acho que é a melhor maneira de responder isso. Todos os garotos da série viraram homens no final dessa temporada. As pessoas estão tomando decisões.

Viraram homens bons?

CN: Sim, homens bons. Quase não acreditei quando li a primeira vez.

* A CAPRICHO viajou à Califórnia a convite da Netflix.

26 curiosidades sobre 13 Reasons Why

A CAPRICHO foi ao set de filmagens da série da Netflix e conversou com a equipe de produção

Detalhe do corredor do Liberty High School

Detalhe do corredor do Liberty High School (Bruno Dias/CAPRICHO)

Falta menos de uma semana para a segunda temporada de 13 Reasons Why estrear na Netflix e, para dar uma acalmada na ansiedade, resolvemos trazer algumas curiosidades sobre a produção da série.

A CAPRICHO foi ao set de filmagens de 13RW, em novembro do ano passado, e conversou com membros da equipe de produção, que deram detalhes sobre os figurinos usados pelos personagens, construção de cenários e coisas que muitas vezes passam despercebidas pelos espectadores quando a série está prontinha.

Dá uma olhada:

1. Nove dias de gravação por episódio.
2. Por causa dos flashbacks, nada podia ser jogado fora.
3. Caroline B. Marx, responsável pelo figurino da série, contou que pensou as roupas dos paramédicos que atenderam Hannah para eles se parecerem com anjos.
4. Para pensar no o figurino do Cyrus (Bryce Cass), garoto novo e meio punk, Marx conversou com membros de bandas do estilo como Jello Biafra, do The Dead Kennedys, e com os caras do Circle Jerks. Ele é um dos novos personagens.
5. 14 pessoas trabalham no departamento de figurino de 13 Reasons Why.

Moletons usados pelos alunos da Liberty High

Moletons usados pelos alunos da Liberty High (Bruno Dias/CAPRICHO)

6. Clay é um dos personagens que mais tem trocas de roupas, pois ele usa muito dublê para as cenas.
7. Existem de cinco a seis roupas de cada que o Clay usa, ele tem uma parede inteira na sala de figurino, enquanto os outros personagens dividem espaço no local.
8. Tony usa sapatos número 38.
9. As roupas de todo o elenco geralmente são compradas em lojas de fast-fashion como Urban Outfitters, Forever 21, Zara, H&M, Free People.
10. Os uniformes da equipe de corrida de Liberty High foram feitos pela Adidas, exclusivamente para 13 Reasons Why. Já os moletons e os uniformes de beisebol são da Champion. Uma notícia boa, existem planos de tudo isso virar merchan oficial da série.

Mais detalhes da Liberty High School

Mais detalhes da Liberty High School (Bruno Dias/CAPRICHO)

11. Somente no último episódio da segunda temporada rolaram 210 trocas de roupas!
12. As cenas externas da 13RW foram filmadas em Sebastopol, na Califórnia, cidade localizada no condado de Sonoma.
13. Os campos de atletismo, beisebol e futebol americano da Liberty High, assim como sua fachada, existem na vida real, eles são da Analy High School, em Sebastopol.
14. Já as cenas internas foram feitas nos estúdios da Paramount em Vallejo, também na Califórnia, no condado de Solano. O local é uma base militar desativada.
15. No mesmo local foi filmado um dos filmes da franquia Transformers.
16. Scott Cobb, designer de produção de 13RW, contou que leva de três semanas a um mês e meio para criar os cenários.

Painel de recados da Liberty High School

Painel de recados da Liberty High School (Bruno Dias/CAPRICHO)

17. Todas as casas das cenas externas existem de verdade, mas suas fachadas e interiores foram recriadas em estúdio. As residências estão espalhadas por toda a Bay Area, Vallejo e Sebastopol.
18. Cada plano sequência do roteiro de 13RW conta com pelo menos cinco páginas de diálogos.
19. Dentro do estúdio, os quartos do Tyler, Clay, Jessica e Hannah ficam bem perto um dos outros.
20. Clay tem pôsteres de bandas como Arcade Fire, The Shins, The Cure e Broken Social Scene em seu quarto.
21. Apesar da mudança de equipe de cenário de uma temporada pra outra, o quarto da Hannah foi recriado de forma idêntica. Inclusive a banheira onde ela cometeu suicídio.

Corredor da Liberty Hall School

Corredor da Liberty Hall School (Bruno Dias/CAPRICHO)

22. 13 Reasons Why usa dois locais enormes dentro do galpão da Paramount. No Stage A ficam a escola, as casas e os quartos. No Stage B estão os armários dos alunos e o tribunal da segunda temporada.
23. Segundo a produtora uma das produtoras executivas da série, Joy Gorman Wettels, Justin Prentice (Bryce Walker), tinha um terapeuta para ajudá-lo a interpretar um estuprador em 13RW. Mesma coisa aconteceu com Katherine Langford (Hannah) e Alisha Boe (Jessica), por causa das cenas de estupro.
24. Por causa dos incêndios que atingiram as regiões de Napa, na Califórnia, tiveram que refazer muitas cenas externas, o que atrasou parte das gravações.
25. Três pessoas da equipe de 13 Reasons Why perderam suas casas durante os incêndios.
26. Atores e equipe da série levantaram muito dinheiro para a comunidade por causa dos incêndios. Na época, atores como Dylan Minnette e Katherine Langford usaram suas redes sociais para lamentar a tragédia e mostrar solidariedade.

* A CAPRICHO viajou à Califórnia a convite da Netflix.

Katherine Langford: "Hannah não merecia aquele destino"

Em entrevista para a CH WEEK, Dylan Minnette e Katherine falam sobre a segunda temporada de 13 Reasons Why... E o futuro de Hannah e Clay, obviamente

Katherine Langford está linda na capa da CH WEEK!

Katherine Langford está linda na capa da CH WEEK! (CH WEEK/Getty Images)

A espera foi longa. Um ano e 18 dias depois, finalmente estreia na Netflix a segunda temporada de 13 Reasons Why. No dia 18 de maio, os 13 novos episódios estarão no ar e vão mostrar as consequências dos acontecimentos vividos pelos alunos da Liberty High School – com um terrível histórico de bullying, abusos sexuais e agressões físicas, mas, principalmente, o outro lado da história que levou Hannah Baker (Katherine Langford) a tirar a própria vida, em uma das cenas mais polêmicas já mostradas em uma série de TV adolescente.

Além de passar um dia no set de filmagens, na Califórnia, em novembro do ano passado, a CAPRICHO conversou com Katherine Langford e Dylan Minnette, que, dentro do possível (e sem dar muitos spoilers), contaram como será a evolução de seus personagens nesta nova temporada. Os dois também falaram do impacto da série (a mais popular da Netflix) vida deles, e de como a equipe de produção fez para que temas tão pesados não os afetasse na vida real.

Veja também

CAPRICHO: Sabemos que nesta temporada muitos segredos serão revelados, principalmente alguns envolvendo a Hannah. O que vocês podem nos contar sem dar tantos spoilers?

KATHERINE: Nossa! (risos) Por onde eu começo… Como eu falei, nós contamos praticamente toda a história da Hannah na primeira temporada, então não sobrou muita coisa a mais para ser falada. Agora vamos ver como esses eventos afetaram a vida das outras pessoas. Nesta temporada, a imagem da Hannah está destruída. Ela foi desconstruída, depois moldada para mostrar o pior e o melhor dela, e todas essas facetas diferentes dela, que meio que te fazem pensar quem ela realmente era. Acho que uma das coisas mais doidas desta temporada é que você vai ouvir coisas sobre a Hannah que vão te chatear, te surpreender ou até mesmo te chocar. Mas é essa jornada de ouvir todas essas coisas que vai fazer você se dar conta de que nada disso realmente importa. Não importa quem ela era ou as coisas que ela pode ter feito, ela não merecia o destino que teve.

A entrevista completa você lê na CH WEEK desta semana, que também traz:

Dad sneaker ou mom jeans? Qual tendência retrô você prefere? Nós te ajudamos a decidir! Tem cabelo crespo? Cacheado? Pegamos o estilo de sete famosas para você se inspirar!

No NEW STAR, você vai conhecer um pouco mais sobre a dupla Vini & Lucas. Já o Colírio da semana é Tim Chung, o ex-segurança de Kylie Jenner que está bombando na web.

Pra fechar, você vai se apaixonar pelos produtos da linha Witch Please, da CAPRICHO para Zona Criativa!

Curtiu? Para baixar a CH WEEK é bem fácil: é só entrar na App Store (iOS) ou na Google Play (Android) e procurar por Capricho Week. Aí, é só baixar e escolher a edição que você quer ler. Se preferir, assine e leia tudo com um superdesconto! Corre lá e depois conta pra gente o que achou.

Um dia no set de filmagem de 13 Reasons Why

A CAPRICHO acompanhou duas cenas da segunda temporada e conta pra você como foi a experiência

Moletons usados pelos alunos da Liberty High

Moletons usados pelos alunos da Liberty High (Bruno Dias/CAPRICHO)

Em novembro de 2017, a CAPRICHO foi ao set de filmagens de 13 Reasons Why, na região de Napa, na Califórnia. Pudemos ver de perto alguns detalhes dos cenários, andar pelos corredores da Liberty High School e ver duas cenas sendo gravadas por Clay (Dylan Minnette), Alex (Miles Heizer), Zach (Ross Butler) e Tony (Christian Navarro). Ambas eram bem rápidas e tinham pouco diálogo.

Como já dissemos aqui, as cenas internas de 13RW são filmadas nos estúdios da Paramount em Vallejo, no condado de Solano. O local é uma base militar desativada, um galpão enorme, onde a série ocupa dois espaços, chamados de Stage A (onde ficam a Liberty High, as casas dos personagens e os quartos) e Stage B (onde estão os armários dos alunos e o tribunal da segunda temporada).

Veja também

Foi um dia inteiro por lá, para conversar com o elenco – as entrevistas foram feitas dentro de uma das salas de aula -, e andar por todos os espaços. Deu pra entrar nos quartos da Jessica (Alisha Boe), Clay, Tyler (Devin Druid) e Hannah (Katherine Langford) – vimos de perto a banheira em que a personagem tirou a própria vida na primeira temporada.

Secretaria da Liberty High School

Secretaria da Liberty High School (Bruno Dias/CAPRICHO)

Para assistir as cenas, todos os jornalistas ficaram dentro do vestiário do colégio, que não estava sendo usado no dia e servia como local da produção, com monitores para ver tudo sem atrapalhar a gravação.

A primeira – que fazia parte do 12° episódio da segunda temporada -, mostrava os personagens conversando do lado de fora do tribunal, durante o julgamento para provar que a escola foi negligente no caso de Hannah. Clay, Alex e Tony comentam sobre o depoimento de Justin (Brandon Flynn), que não aparece na cena. Como tiveram que a refazer várias vezes, tudo para ficar o mais perto da perfeição, eles sempre davam um jeito de interagir entre eles.

Após uma das tentativas, Christian Navarro deu uma zoada em Dylan Minnette, brincando com o suspense da cena, já que Clay fala na cena que tem uma ideia, mas não fala nada depois. Dylan deu risada e respondeu que estava morrendo de fome, que queria comer um bagel com cream cheese. Ao assistir a série finalizada, deu pra perceber que o texto usado no dia foi modificado.

Um dos corredores da Liberty High School

Um dos corredores da Liberty High School (Bruno Dias/CAPRICHO)

Eles voltaram a gravar, mas um barulho no áudio de Christian fez com que a cena fosse interrompida novamente. Para aliviar a tensão, Chris cantou um pouquinho, enquanto Ross mostrou um meme no celular para Miles, e os dois riram bastante, tudo para aliviar a tensão da cena.

A outra cena que tivemos a chance de ver mostrava Clay sendo interrogado sobre Hannah no tribunal pela advogada da Liberty High School, Sonya Struhl (Allison Miller), mais uma personagem nova da segunda temporada. Ela perguntou para o Clay por que ele não fez nada quando Hannah falou que queria morrer. Tenso!

Na sequência, rolou um intervalo e, quando a produção nos levava de volta para uma nova bateria de entrevistas, deu pra esbarrar alguns dos atores e até interagir com eles. Christian passou e, todo simpático, falou com todo mundo, fazendo piadas com um ator do elenco de apoio que, curiosamente, interpretava um jornalista na cobertura do julgamento de Hannah.

Pôster do baile pros alunos da Liberty High School

Pôster do baile pros alunos da Liberty High School (Bruno Dias/CAPRICHO)

Após um novo tour pelos cenários, ainda deu pra cruzar os atores novamente nos corredores da Liberty High School, e tirar algumas fotos no colégio. E depois voltar para Napa, cidade próxima, onde ficava o nosso hotel.

* A CAPRICHO viajou à Califórnia a convite da Netflix.