Brian Yorkey fala sobre denúncias de assédio contra Jay Asher

Após acusações, autor do livro que inspirou 13 Reasons Why foi expulso da Sociedade de Escritores e Ilustradores de Livros Infantis (SCBWI)

Por Bruno Dias Atualizado em 23 mar 2018, 11h48 - Publicado em 23 mar 2018, 11h47
Jay Asher e Selena Gomez na premiere de 13 Reasons Why, em Los Angeles Eric Charbonneau/Invision for Netflix/AP Images/Netflix

 

Em fevereiro desse ano, a agência de notícias Associated Press revelou que o escritor Jay Asher, autor do livro Os 13 Porquês, que inspirou 13 Reasons Why, havia sido expulso da Sociedade de Escritores e Ilustradores de Livros Infantis (SCBWI) após denúncias de assédio. Em entrevista exclusiva à CAPRICHO, Brian Yorkey, produtor executivo e showrunner da série da Netflix, comentou o caso e disse que Asher não participou do processo criativo da segunda temporada, ainda sem data de estreia.

  • “Não falei com o Jay a respeito disso. Confesso que não sei muitos detalhes do que realmente aconteceu, então a melhor coisa é eu não comentar algo diretamente sobre isso”, afirmou Brian Yorkey à CH, durante evento de 13 Reasons Why em Nova York. “Jay nos deu o livro, e obviamente iniciou tudo isso, mas ele não está envolvido criativamente na segunda temporada. Espero que essa situação seja resolvida da melhor maneira possível.”

    Quando a Associated Press divulgou a notícia, o diretor da SCBWI, Lin Oliver, enviou o seguinte comunicado à agência: “Tanto Jay Asher quando (o ilustrador) David Diaz violaram o código de conduta da SCBWI no que diz respeito ao assédio. As denúncias contra eles estão sendo investigadas e, por isso, eles não são mais membros da Sociedade, nem vão aparecer em eventos organizados por ela no futuro”.

    jay-asher-13-reasons-why-acusações-assédio
    O escritor Jay Asher com os atores Dylan Minnette e Katherine Langford, de 13 Reasons Why Reprodução/Instagram

    Na época em que as denúncias foram divulgadas, Jay Asher negou as acusações e disse que que ele não foi expulso da SCBWI, mas decidiu deixá-la após “sofrer assédio” das pessoas que fizeram a denúncias há “cerca de 10 anos”. “Eu tive relações consentidas com adultos, e elas acabaram anos atrás”, disse Asher. Ele contou ainda que se sentiu como se tivesse sido “jogado contra um ônibus” pela Sociedade.

    A CAPRICHO viajou a Nova York à convite da Netflix.

    Continua após a publicidade
    Publicidade