Sempre a mesma roupa? As tradições dos batizados da família real britânica

Como tudo na vida da família real, é claro que os batizados também são cheios de protocolos

Por Gabriela Zocchi - Atualizado em 6 jul 2019, 11h18 - Publicado em 6 jul 2019, 10h00

Vocês sabem que a família real britânica adora criar um protocolinho aqui, outro ali, né? Eles têm regras e tradições para praticamente todos os eventos e é claro que batizados não fugiriam desta lista. Já que o caçulinha da família, Archie Harrison, será batizado neste sábado (6) na capela real do Palácio de Windsor, na Inglaterra, decidimos relembrar algumas das tradições envolvendo esta cerimônia. Mas já avisamos: como Meghan Markle e o príncipe Harry, os pais do bebê, vivem quebrando algumas regras reais, tudo pode ser bem diferente desta vez, viu?

1. A roupinha do bebê é sempre a mesma há centenas de anos

Seja menino ou menina, os bebês da família real sempre são batizados usando uma réplica do vestido de rendas e cetim usado primeiramente pela filha mais velha da rainha Victoria, também chamada Victoria, em seu batizado, em 1841. O look é tão tradicional que também foi usado pela bisavó de Archie, a rainha Elizabeth II, seu avô, o príncipe Charles, seu tio, o príncipe William, e seu pai, príncipe Harry.

Em 2004, após ser usado por Lady Louise, neta da rainha, o vestido já estava em condições mais precárias, por isso foi criada uma réplica, que voltou a ser usada de geração para geração. Tanto os príncipes George e Louis quanto a princesa Charlotte também vestiram a réplica do look em seus batizados.

george-charlotte-louis-mesma-roupa-batizado
George, Charlotte e Louis: os três usaram o mesmo vestido, uma réplica do look da princesa Victoria, em seus batizados WPA Pool e Dominic Lipinski/Getty Images

2. A água para a aspersão é trazida do Rio Jordão

Desde o batizado do príncipe George, em 2013, a família real passou a trazer água do rio Jordão, onde acredita-se que Jesus Cristo foi batizado, para o momento da aspersão (aquele em que o arcebispo derrama um pouco de água na cabeça do bebê). Para o batizado dos irmãos de Louis e também de Meghan Markle, que decidiu entrar para a igreja Anglicana antes de se casar com Harry, a água foi trazida de avião.

3. A Fonte de Lírio sempre é usada

A tal água do rio Jordão é sempre colocada na Fonte de Lírio, que faz parte dos tesouros da família real britânica. A fonte, banhada a ouro, é usada em batizados reais há 179 anos e tem esse nome porque simula uma flor aberta. Estima-se que a peça custe cerca 14,6 mil dólares, algo em torno de 55,7 mil reais! A fonte foi desenhada pelo príncipe Albert em 1840 e fica guardada na Casa de Joias da família real, na Torre de Londres, sendo retirada de lá apenas para batizados da monarquia.

Continua após a publicidade

4. Os padrinhos costumam ser muitos

Ao contrário do que acontece com famílias de plebeus, na família real britânica a tradição é que os bebês tenham muito mais do que apenas dois padrinhos. O príncipe George tem sete e a princesa Charlotte, cinco. Louis ficou com um meio termo: seis, três homens e três mulheres. Neste quesito, Kate e William gostam de quebrar uma tradição: eles nunca escolhem membros da família real para serem padrinhos de seus filhos, mas sim amigos pessoais. Tudo indica que o mesmo acontecerá com Meghan e Harry.

5. A cerimônia é celebrada pelo Arcebispo de Canterbury

Qualquer bispo da Igreja Anglicana pode celebrar batizados, mas as cerimônias reais são sempre feitas pelo Arcebispo de Canterbury, a autoridade máxima da Igreja Anglicana, da qual a rainha Elizabeth II é governadora suprema. Atualmente, o cargo é ocupado por Justin Welby, que realizou os batizados dos príncipes George e Louis e da princesa Charlotte, além do casamento de Harry e Meghan Markle.

arcebispo-de-canterbury-casamento-meghan-markle-principe-harry
Justin Welby, o Arcebispo de Canterbury, realiza todos os eventos religiosos da família real Owen Humphreys - WPA Pool/Getty Images

BÔNUS: A tradição que foi quebrada no batizado de Louis

Em geral, os bebês que serão batizados são levados pelos pais até a porta da igreja num carrinho antigo que pertenceu à rainha Elizabeth II quando era bebê. Esse caminho também costuma ser feito ao ar livre, na frente do público. Foi assim que aconteceu nos batizados mais recentes, de George e Charlotte, mas no de Louis, a família real apareceu diretamente dentro do palácio de St. James. Por que será que essa tradição foi quebrada, hein? Vale lembrar que Meghan e Harry já anunciaram que o batismo de Archie será uma cerimônia privada, então eles não devem aparecer para o público.

batizado-princesa-charlotte
Kate Middleton, príncipe William e príncipe George se dirigem à capela no batizado da princesa Charlotte Chris Jackson/Getty Images
Continua após a publicidade
Publicidade