Após ser apontada por racismo, Lea Michele é acusada de transfobia

A atriz Plastic Martyr revelou ao público um episódio de transfobia que sofreu nas mãos de Lea: "Ela é uma pessoa muito desagradável"

Por Amábile Reis Atualizado em 4 jun 2020, 20h15 - Publicado em 4 jun 2020, 10h34
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Eita, gente… Nesta semana, Lea Michele foi acusada de racismo por Samantha Marie Ware, colega de elenco de Glee. A revelação contou com o apoio de Amber Riley e Alex Newell, atores pretos que também participaram do seriado.

Apesar de ter reiterado que não se lembra dos episódios mencionados pelos parceiros de série, Lea pediu desculpas por seu comportamento. Acontece que, nesta quarta-feira (3/6), a americana esteve no meio de mais uma polêmica.

  • A atriz, modelo e cantora Plastic Martyr contou ter sido vítima da transfobia de Lea. Que tenso! Martyr revelou que as duas se conheceram no banheiro feminino do Emmy. Segundo o relato, ela estava no processo de transição na época do ocorrido. Quando Michele a viu, perguntou se ela sabia que estava no toilete destinado a mulheres.

    “Eu lembro que estava me sentindo linda aquele dia e saí daquele banheiro me sentindo extremamente envergonhada”, escreveu.

    Instagram/Reprodução

    Vale lembrar que, nos últimos dias, outros participantes do seriado musical expuseram o quão difícil era trabalhar com Lea Michele. Heather Morris, que interpretou Brittany, disse que a intérprete de Rachel deve ser, sim, chamada a atenção por suas atitudes. E Melissa Benoist, que fez Marley, curtiu os posts que apontavam os erros de Michele.

    Por ora, Lea não respondeu as novas acusações.

    Continua após a publicidade
    Publicidade