Jovem que fez ataques racistas a Titi cumprirá liberdade assistida

Em 2016, a jovem publicou comentários racistas numa foto da filha de Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso

Por Gabriela Zocchi - Atualizado em 12 abr 2018, 15h52 - Publicado em 12 abr 2018, 15h51

Vocês lembram que, em 2016, Titi Gagliasso foi alvo de ataques racistas provocados por uma adolescente de 14 anos? Na época, a garota fez comentários bastante preconceituosos numa foto de Titi postada por sua mãe, Giovanna Ewbank. A atriz e seu marido, Bruno Gagliasso, decidiram denunciar o crime na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro.

Reprodução/Instagram

Após a denúncia, a autora do crime foi rapidamente encontrada e foi aí que descobriram que ela era uma garota de 14 anos, também negra. A menina confessou o crime e precisou responder por ato infracional análogo ao crime de injúria racial.

Nesta quinta-feira (12), a Vara da Infância e Juventude determinou que a adolescente terá que cumprir liberdade assistida. A informação foi dada pela advogada de Bruno Gagliasso, a doutora Mariana Zonenschein, ao UOL.

titi gagliasso look de princesa
Instagram @gio_ewbank/Reprodução

“O Estatuto prevê vários tipos de penalidades para o menor que comete alguma infração ou crime, desde advertência até uma internação em uma instituição. Então a juíza, como a jovem era ré primária e se arrependeu, concedeu a ela liberdade assistida, que não é tão frágil como assistência, mas também não é uma internação. Ela tem que cumprir as medidas que a lei impõe. Ela tem que comparecer ao orientador, cumprir suas tarefas. Se ela descumprir essas regras, a penalidade que foi imposta a ela, ela pode vir a ter uma penalidade mais intensa, que seria a internação. Mas eu não acredito que isso vá acontecer, diante do arrependimento dela”, disse a advogada.

Na época em que os ataques aconteceram, Bruno Gagliasso agradeceu à polícia pela ajuda e declarou: “temos consciência de que ela (Titi) é apenas mais uma das milhares de pessoas vítimas de preconceito todos os dias nesse país, um país que também é vítima recorrentemente de falta de investimento em educação e de ações afirmativas contra o preconceito racial”.

Continua após a publicidade
Publicidade