Fãs de BTS mostram que não existe idade certa para gostar de K-pop

Conheça o livro Amor e Voz, que reúne relatos de fãs mulheres acima dos 30 anos

Por Gustavo Balducci Atualizado em 16 jul 2021, 17h51 - Publicado em 17 jul 2021, 10h00
de um lado, o hidratante, o perfume e a máscara facial hello stars, dispostos lado a lado. De outro, as frases: Cada estrela é única, como você. Conheça a nova linha Hello Stars. Todos os elementos estão em um fundo azul escuro com estrelas que brilham
CAPRICHO/Divulgação

O coletivo Delta Noonas, organizado por Tathianne Dias e Gabriela Reis, surgiu para reunir fãs de BTS acima dos 30 anos. Através do Twitter, o perfil vem criando dinâmicas com o objetivo de gerar encontros onde todos possam interagir e conversar sobre o grupo de K-pop. Depois de perceber a potência do projeto, a equipe decidiu abrir uma chamada aberta para que fãs adultos enviassem relatos contando como as músicas, discursos e mensagens de amor próprio do BTS tiveram um efeito positivo em suas vidas.

Com mais de 70 formulários preenchidos, a equipe selecionou 45 depoimentos que agora fazem parte do livro Amor e Voz: Histórias de Armys brasileiras, disponível gratuitamente no site oficial do Delta Noonas“Todo mundo que respondeu ao nosso contato para entrevista está no livro”, conta Gabriela. Segundo ela, conseguir os relatos não foi tarefa fácil já que as histórias eram tão pessoais. “Estamos felizes porque temos histórias de pessoas das cinco regiões do país. A gente espera que o livro tenha um bom alcance para encontrarmos mais Armys que queiram contar suas experiências e, assim, fazer uma 2ª edição que seja ainda mais plural e diversa”.

Montagem com a capa do livro
Fãs de BTS mostram que não existe idade certa para gostar de K-pop Divulgação/Divulgação

O livro ainda recebeu uma versão em inglês para que o fandom internacional também conheça o projeto. “Amor e Voz é uma resposta ao chamado feito pelo BTS em seu primeiro discurso realizado na ONU. Na ocasião, Namjoon disse para encontrarmos a nossa própria voz e contarmos nossas histórias. Para nós, contar a própria história é tomar em suas mãos a narrativa da sua vida, o que é muito importante e muito poderoso também. Através das nossas histórias, esperamos estimular mais pessoas a encontrarem sua voz”, disse. “A gente acredita que pode ser muito construtivo fãs de diferentes realidades sociais e culturais, e que falam diferentes línguas, mostrarem como foram tocados por uma mesma música, uma mesma mensagem. Encontrar a sua voz passa pelo encontro do amor próprio, pelo reconhecimento de que a sua vivência deve ser ouvida. É esse o ponto que queremos alcançar”.

  • Lançado no começo de julho, no dia oficial do fandom, o projeto foi um sucesso e a experiência de editar essas memórias femininas foi gratificante para toda a equipe. “Como historiadora, eu gosto de estudar fontes que sejam escritas por mulheres sobre suas próprias vidas. Então, estar atenta a narrativas femininas é algo constante. Eu já vinha percebendo que muitas mulheres fãs de BTS, em algum momento em que se sentiam mais à vontade, acabavam contando como elas se tornaram fãs do grupo e essas histórias eram casos pessoais de superação”. Além de Gabriela, Thais Duarte cuidou da revisão de texto, Gabriela Campello fez a capa e o projeto gráfico, e Inês Fraga e Jéssica Zanette assinaram a tradução para o inglês. “Ler os depoimentos foi um turbilhão de emoções. Sentir que você tem uma vivência que vale a pena ser contada é, como eu disse antes, parte do processo de encontrar a própria voz, é parte de compreender que você deve ser ouvida”.

    Mostrando que não existe idade certa para ser fã, o Delta Noonas deseja continuar o projeto no futuro e aumentar ainda mais a diversidade dos relatos. “Além da tradução para o inglês, já temos voluntários para traduzir o livro para o espanhol e estamos buscando alguém para o coreano. Estamos empenhadas em fazer o livro alcançar o fandom cada vez mais, além de pessoas de fora dele, para romper preconceitos em relação ao pop, especialmente o K-pop. Ler vivências nas quais a mensagem do BTS fez uma diferença positiva pode ajudar a entenderem que o potencial de algo não está em uma cultura elitizada e inacessível, mas na capacidade de comunicação, de chegar às pessoas, se fazer entender. E entreter também. A mensagem do BTS é simples. É sobre não desistir de você mesmo e se amar. E isso é universal”, completa.

    Não deixe de ler Amor e Voz e compartilhar com os amigos!

    Continua após a publicidade
    Publicidade