Covid-19: Governo nega que Carlinhos Maia foi convidado a tomar vacina

O influenciador disse que recebeu o convite como uma forma de divulgação, mas Governo de Alagoas negou em nota no Twitter

Por Da Redação Atualizado em 19 jan 2021, 15h02 - Publicado em 19 jan 2021, 13h04

Mais uma vez Carlinhos Maia deu o que falar. Nesta segunda-feira, (18), o influencer recebeu críticas no Twitter após dizer que havia sido convidado para ser um dos primeiros a tomar a vacina contra Covid-19 em Alagoas. Os internautas foram até o perfil do governo do estado buscando confirmação, mas a página negou o convite.

Apesar de o influenciador digital ter dito que recusou o chamado, algumas pessoas ficaram indignadas, pois recentemente o ele foi alvo de críticas após realizar uma festa de Natal com aglomeração, enquanto o número de casos confirmados de pessoas com coronavírus aumentava no Brasil.

  • No Twitter, Carlinhos comentou que havia recebido o convite de vacinação para divulgar a campanha, mas recusou em consideração à quem ficou em casa. “Me convidaram aqui no meu estado para ser um dos primeiros a tomar a vacina. Não acho justo com quem ficou em casa todo o esse tempo, não aceitei. Mas filmarei mesmo assim para incentivar ainda mais a vacinação dentro do público que me segue”, escreveu. 

    Logo depois ele tentou amenizar dizendo que o convite foi para ele fazer a divulgação. Lembrando que a ideia, era pela divulgação, porque tem gente que ainda tem medo de tomar a vacina. Mas farei a divulgação mesmo assim”, comentou.

    A nota da Secretaria de Comunicação do Governo de Alagoas enfatizou que não convidou nenhuma pessoa que não estivesse entre os grupos prioritários que irão receber a primeira dose da vacina. “Estão neste grupo os profissionais de saúde que atuam na linha de frente no combate à COVID-19, indígenas e idosos residentes em abrigos. Não procedem informações de convites feitos a qualquer cidadão fora deste grupo”, esclareceu.

    Carlinhos Maia recebeu novamente várias críticas e foi até chamado de mentiroso. Em um post de uma página no Instagram, que enfatizava a posição do Governo de Alagoas, o influenciador não ficou quieto e rebateu. “Mas em qual momento citei que foi o governador que me chamou? A ideia partiu de outro órgão, na intenção de influenciar as pessoas que não querem tomar a vacina, se inspirando na Indonésia, que teve atitude parecida. Mas a ideia foi descartada por ambos, a intenção era só divulgar. Mas se precisar, estarei lá filmando. Só fiz o comentário sobre, para não parecer incoerência, caso precisasse de divulgação da vacinação”, comentou. 

    Nos Stories da rede social, o influenciador voltou a comentar o caso. “Aconteceu essa conversa sim, que foi com a prefeitura de Maceió na melhor intenção do mundo, não ataquem o prefeito, ele é muito revolucionário nesse negócio de internet… Com a melhor das intenções ele conversou comigo e disse ‘Carlinhos, pelo número de pessoas que te segue seria interessante que você fosse um dos primeiros a tomar a vacina para filmar porque tem muita gente com medo e isso ia incentivar as pessoas, principalmente as pessoas que moram lá no interior’, graças a Deus essas pessoas me assiste. Estou deixando claro que jamais tomaria essa vacina e eu só quis colocar lá pra vocês porque aceitei fazer a campanha, inclusive filmar os idosos que iam tomar. Pedi para ele colocar minha mãe, a dona Madalena, que já tem 70 anos, e minha rede social estaria à disposição.  O governo estadual desmentiu uma coisa que não partiu nem deles. Isso foi algo conversado com o prefeito de Maceió e foi uma ideia que eu quis passar, justamente para que me vissem lá filmando as pessoas tomando a vacina, incentivando as pessoas”, afirmou nos vídeos.

    Ele continuou ressaltando que não aceitaria tomar a vacina, justamente porque saberia que receberia muitas críticas. “Quis me precaver de as pessoas dizerem ‘que hipocrisia, aglomera, mas está aí’, era só isso. Minhas redes sociais seriam usadas para divulgar a vacina. Peço desculpas ao prefeito de Maceió pelo constrangimento, mas é isso”, explicou. “Não sou maluco de ir lá tomar vacina na frente das pessoas“, finalizou.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade