Bridgerton: Regé-Jean Page revela como conseguiu o papel do duque na série

O ator do sucesso da Netflix também comentou sobre suas primeiras impressões ao ler o roteiro

Por Vitória Macedo Atualizado em 14 jun 2021, 17h48 - Publicado em 14 jun 2021, 13h14
Ao centro, modelo usa cropped azul de manga comprida. Ela está com uma das mãos na cintura, sorrindo. De um lado, a frase
Marisa/Divulgação

Regé-Jean Page alavancou sua carreira ao interpretar Simon Basset, o Duque de Hastings em Bridgerton. Em participação no talkshow “Actors on Actors” da Variety, o ator revelou como conseguiu o papel na série, comentou quais foram suas primeiras impressões ao ler o roteiro e ainda fez uma comparação inesperada sobre a produção. 

Quando as coisas são para acontecer, elas acontecem. Regé disse que quando conseguiu o papel já estava trabalhando com a produtora da Shonda Rhimes, responsável pela série, em um outro projeto. “Eu estava trabalhando com Shondaland, em um espetáculo. Foi uma espécie de bom timing, Tínhamos terminado a série For The People, enquanto eles estavam escalando o elenco de Bridgerton, Eu estava saindo pela porta e eles me agarraram pelo colarinho, tipo: ‘Volta aqui. Temos este projeto e é britânico'”, revelou.

Regé-Jean Page como Simon Basset na série Bridgerton, está em uma mesa, segurando os talheres diante da refeição e olhando para frente.
Regé-Jean Page em Bridgerton Netflix/Reprodução

O ator comentou as impressões que teve ao ler o roteiro pela primeira vez. “Eu fiquei tipo: ‘Ok, legal. É um drama de época. É quase Jane Austen. Porque é que estamos fazendo isto agora? O que é que isso tem a contribuir? Temos algumas centenas de anos entre Jane Austen e o ponto em que estamos agora, o que significa que temos cinco ou seis ondas de feminismo desde então’”, contou Page. Mal sabia ele o sucesso que a série faria. Podemos ter avançado em muitas questões sociais, mas amamos um drama de época.

Além disso, Regé também fez comparação entre Simon e outros personagens de clássicos da literatura, como Orgulho e Preconceito de Jane Austin e O Morro dos Ventos Uivantes de Emily Brontë. “E assim, ao assumir o trabalho, precisamos fazer algo diferente com ele. Porque Simon é um padrão que já existe. Ele é Darcy. Ele é Heathcliff. Ele é um homem alto, sombrio, chocante e emocionalmente atrofiado”, disse.

  • Emma Corrin, que interpretou Princesa Diana em The Crown também estava na conversa e comentou que o Duque de Hastings foi muito importante para “desencaixotar e “desmistificar” a masculinidade. Page concordou e falou sobre a ideia de “heróis românticos”. “Quando se diz a palavra ‘herói’, implica-se que se trata de alguém que se admira. Falamos muito na série sobre o fato de ser centrado na mulher, mas também, o que é que os homens estão procurando? O que estou fazendo com este ícone da masculinidade? O que está fazendo com que esta refeição valha realmente a pena?”, continuou. 

    Por falar em refeição, Rege fez uma relação um tanto quanto inesperada sobre a série. Penso em Bridgerton como um McLanche Feliz, mas com vitaminas secretas colocadas lá dentro. É como um hambúrguer secretamente saudável e orgânico”, afirmou. Regé com certeza deu um tempero especial à esse lanche. É por isso que a 2ª temporada da produção terá um sabor diferente, já que o ator não fará mais parte do elenco, o que deixou alguns fãs bem chateados. Mas não se preocupe, pois ainda poderemos vê-lo em projetos futuros como no filme The Gray ManDungeons & Dragonsambos sem data de estreia definida. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade