10 curiosidades sobre a versão live-action de A Bela e a Fera

Você sabe por que a aldeia de Bela se chama Villeneuve? Ou tinha ideia de que Frozen tinha sido uma inspiração pro filme?

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 21 mar 2017, 18h24 - Publicado em 18 mar 2017, 18h15

Se você, assim como a gente, é muito fã de A Bela e a Fera já deve ter corrido para o cinema e se emocionado com o novo longa com Emma Watson e Dan Stevens, né? Animadíssima com versão live-action, a CAPRICHO decidiu reunir algumas curiosidades sobre o filme descobertas durante uma visita ao set de gravações em Londres. Vem ver!

1. Dan Stevens teve que dançar em pernas de pau

Tumblr/Reprodução

Tanto na animação quando na versão live-action, a Fera é um ser bem mais alto do que a Bela (ou qualquer humano comum). Para dar essa impressão no filme, o ator Dan Stevens teve que gravar suas cenas, inclusive a do baile, com pernas de pau! “Se eu pisasse no pé da Emma (Watson) com essas estruturas de aço, ela poderia perder os dedos”, disse Dan à CAPRICHO. Ainda bem que isso não aconteceu, né?

2. Be Our Guest levou mais de um ano para ficar pronta

Tumblr/Reprodução

O número musical em que Lumière (Ewan McGregor) oferece um jantar para a Bela (Emma Watson) precisou de 18 meses para ficar pronto! De acordo com o coreógrafo Anthony Van Laast, o maior desafio foi imaginar como os objetos dançariam. “Foi um longo processo: primeiro pensei no movimento dos objetos, então usei dançarinos de verdade para mostrar minhas ideias para a equipe de efeitos visuais. Aí eles recriaram as ideias no computador e, depois de muitos ajustes, deu tudo certo”, contou. Que trampo, hein?

3. Apesar de se passar na França, o filme foi gravado em Londres

Tumblr

Ao ver a aldeia da Bela, a gente se sente quase que transferido para dentro de uma vila francesa, né? Mas nenhuma cena do filme foi gravada no ~país das baguetes~! De acordo com o co-produtor Greg Yolen, a equipe optou por construir a aldeia e o castelo da Fera nos estúdios Shepperton, em Londres, para que o coreógrafo Anthony Van Laast e o diretor Bill Condon tivessem mais liberdade de movimento para fazer as cenas e os números musicais.

4. A aldeia da Bela tem um nome especial

Tumblr/Reprodução

Na versão live-action, a aldeia onde moram Bela, Maurice (Kevin Kline), Gaston (Luke Evans) e LeFou (Josh Gad) tem um nome: Villeneuve. Essa é uma homenagem da Disney à Gabrielle-Suzanne Barbot de Villeneuve, que foi quem escreveu a primeira versão da fábula de A Bela e a Fera, em 1740.

+ Leia mais: EXCLUSIVO: a história por trás dos personagens de A Bela e a Fera

5. O castelo da Fera teve várias inspirações

Tumblr

Muitos dos castelos dos filmes da Disney foram inspirados em construções de verdade espalhadas pela Europa, mas não foi o caso da morada da Fera. “Na verdade, a casa da Fera na versão live-action é um híbrido de vários castelos franceses do século 18”, contou a designer de produção Sarah Greenwood. Apesar disso, você vai encontrar no longa algumas referências ao castelo de Chambord, que fica na região central da França.

Continua após a publicidade

6. Os objetos eram de verdade!

Tumblr/Reprodução

É claro que Lumière, Horloge (Ian McKellen) e a Sra. Potts (Emma Thompson) foram criados por computador (CGI), mas o que muita gente não imagina é que existiam versões reais de cada objeto nos sets. “Ter esses objetos de verdade à nossa volta nos fazia lembrar que eles eram personagens importantes do filme, além de nos ajudar a posicionar as câmeras e as luzes nos lugares corretos”, explicou Sarah Greenwood. Ah, todos foram inspirados em peças encontradas em antiquários, sabia?

7. Ewan McGregor foi o último do elenco a ser escolhido

Divulgação/Disney

Alguns atores como Emma Watson e Josh Gad já estavam com papéis garantidos quando o filme começou a ser pensado, mas isso não aconteceu com o simpático candelabro. “Ewan McGregor foi o último a ser escalado”, contou o produtor David Hoberman. “Nesta etapa, a internet já estava surtando, imaginando quem interpretaria esse personagem e dando um monte de palpites. Foi um alívio e uma benção quando descobrimos que Ewan estava interessado no papel. Ele sabe cantar, dançar e ainda faz sotaque francês”, confessou.

8. Os looks eram sustentáveis

Tumblr/Reprodução

O departamento de figurino se preocupou em criar roupas sustentáveis a partir de tecidos feitos com materiais orgânicos, vindos de fornecedores que pagam um salário justo a seus funcionários e respeitam o meio ambiente. Além disso, foram usados pigmentos naturais e de baixo impacto no figurino do filme. Alguma dúvida de que Emma Watson teve um dedinho nessa decisão? A atriz só usou looks sustentáveis na turnê de divulgação de A Bela e a Fera.

+ Leia mais: EXCLUSIVO: Um raio-x pelo vestido amarelo de A Bela e a Fera

9. Ações do bem

Tumblr/Reprodução

Além de tentar produzir um figurino com pouco impacto no meio ambiente, a produção do filme resgatou um cãozinho de um abrigo animal para interpretar Froufrou, o cachorro de Madame de Garderobe (Audra McDonald) e do Maestro Cadenza (Stanley Tucci). Na vida real, o animalzinho de chama Gizmo!

10. Frozen teve um grande impacto no filme

Tumblr/Reprodução

Acredite: apesar da nova versão de A Bela e a Fera ser um live-action, ela foi muito baseada no sucesso de Frozen. “Nós estávamos desenvolvendo uma versão do filme em 2013 e, inicialmente, ele seria bem diferente do que acabou sendo”, contou o produtor David Hoberman. “Mas aí um filme chamado Frozen foi lançado e a Disney decidiu fazer o que sabe de melhor: uma versão musical de A Bela e a Fera, praticamente transformando a animação em algo real”, explicou. Além disso, Josh Gad, que interpreta o LeFou, já tinha um papel garantido no filme depois de brilhar muito ao dar voz ao Olaf.

 BÔNUS: OS NÚMEROS DO FILME 

Você tem ideia de quantas rosas foram usadas no longa? A gente traz alguns números curiosos sobre a produção de A Bela e a Fera abaixo:

Lidia Anjos/CAPRICHO
Lidia Anjos/CAPRICHO
Continua após a publicidade
Publicidade