TikToker de 18 anos morre por suicídio e pais lamentam falta de diálogo

"Gostaria que ela tivesse falado comigo sobre seu estresse e seus pensamentos suicidas", escreveu o pai de Dazharia Shaffer, a Dee, nas redes sociais

Por Isabella Otto 11 fev 2021, 14h40
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Na última terça-feira, 9, a influenciadora norte-americana Dazharia Shaffer, de 18 anos, morreu por suicídio na cidade de Baton Rouge, no estado de Louisiana, EUA, conforme confirmou o pai da jovem, Raheem Alla, em postagem nas redes sociais. “Gostaria que ela tivesse falado comigo sobre seu estresse e seus pensamentos suicidas“, escreveu.

TikToker de 18 anos morre por suicídio e pais lamentam falta de diálogo
Dee, como era chamada, comemorando a conquista de um milhão de seguidores no TikTok @dazhariaa/Instagram

A garota, que tinha mais de um milhão de seguidores no TikTok e mais de 100 mil inscritos no YouTube, criou um destaque no Instagram, onde acumulava mais de 160 mil seguidores até então, intitulado “Último post”. Nele, ela adicionou Stories dublando algumas músicas e um final em que diz: “Eu sou feia na vida real, não deixe a maquiagem te enganar“.

Jennifer Shaffer, a mãe da adolescente, também usou as redes sociais para se pronunciar sobre a tragédia. “Realmente, não posso acreditar que você se foi(…) Eu gostaria de ter morrido ao invés de você. Descanse em paz, meu anjo. Todos falam sobre nossos momentos ruins, mas nunca falam sobre os momentos bons”, escreveu. Bastante abalado, o pai da jovem disse que Dee era sua melhor amiga e iniciou uma vaquinha online para arrecadar fundos para o velório. “Ela era tão feliz”, lamentou.

  •  

    De acordo com a OMS, hoje, a 3ª maior causa de morte entre adolescentes é o suicídio, sendo que 98% das pessoas que morrem pelo ato apresentam algum tipo de transtorno mental – mesmo que aparentem ser muito felizes no dia a dia ou nas redes sociais. Segundo os especialistas, o comportamento suicida é dividido em três fases [pensar em suicídio, tentar o suicídio e consumar o suicídio] e uma morte afeta em média seis pessoas ao redor da vítima, como mostra levantamento da empresa Fleishman.

    Por mais difícil que seja falar sobre o que você está sentindo, lembre-se de que colocar para fora é a melhor maneira de lutar contra o suicídio e os transtornos mentais, como a depressão. Você nunca está sozinho e há sempre pessoas prontas para te escutar. Inclusive, o CVV (Centro de Valorização da Vida) funciona 24h e oferece apoio emocional de maneira voluntária e gratuita. Para entrar em contato, basta ligar 188 ou entrar em contato com o serviço pelo chat ou por e-mail.

    Continua após a publicidade
    Publicidade