O que o estresse causado pelo término do namoro faz com nosso corpo

A síndrome do coração partido está aí para provar que a dor no peito não é apenas metafórica

Por Isabella Otto Atualizado em 10 dez 2021, 14h11 - Publicado em 11 dez 2021, 10h02

Términos de ciclos costumam ser sempre sofridos. Quando a gente fala sobre relacionamentos, talvez uma das partes sempre sinta mais – mas ambas têm sintomas parecidos que a ciência explica.

Uma ruptura, principalmente se for brusca, causa um nível de estresse muito grande no corpo, que, literalmente, entra em colapso: o cérebro não entende de onde veio tanta dor repentina e começa a liberar altos níveis de cortisol no sangue, conhecido como o hormônio do estresse.

Molde uma uma molécula de cortisol feito no computador. O fundo é vermelho, e a molécula é amarela com pontinhos em verde e azul
Representação digital de uma molécula de cortisol KATERYNA KON/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images

E a dor no coração… Bem, ela não é apenas metafórica. Términos de namoro resultam numa condição chamada cardiomiopatia de Takotsubo, ou “síndrome do coração partido”. Seu miocárdio, devido ao estresse emocional alto, fica enfraquecido e você pode até sentir algumas arritmias. O peito fica mesmo apertado e rola até uma dificuldade de respirar, além de sentir mais cansaço do que o normal.

A seguir, você encontra outros problemas físicos causados por uma separação amorosa:

1. Perda de apetite

Não estranhe caso você fique sem fome por uns dias. É perfeitamente normal! Isso porque, ao ficar com níveis mais elevados de cortisol e adrenalina no corpo, você automaticamente sente como se não conseguisse comer – e talvez queira comer apenas besteiras, como uma panela de brigadeiro, para compensar a perda.

Continua após a publicidade

2. Insônia

Sem novidades, né? Se coisas menos importantes já tiram nosso sono, imagina um término, especialmente o de uma relação que você achava que tinha tudo para dar certo?! Contudo, o perigo está no ciclo vicioso que essa privação de sono causa. O estresse tira o sono. Quanto mais estressada, menos sono. Quanto menos se dorme, mais estressada se fica. Por mais difícil que seja, é importante evitar pensar demais antes de dormir, distrair a mente e tentar relaxar mesmo. Transporte-se para um lugar feliz.

3. Baixa imunidade

Todos esses sintomas anteriores te deixam tanto física quanto psicologicamente mais fraca, o que faz o seu sistema imunológico enfraquecer. É como se o cérebro estivesse ocupado demais lutando contra a dor latente que você está sentindo e se esquecesse de cuidar das outras áreas. De novo, por mais impossível que pareça, é importante tentar se alimentar bem (na medida do possível), controlar os nervos e tomar um própolis, por via das dúvidas.

Ilustração de um casal separados por uma parece. Eles estão sentado, com a cabeça no joelho e sofrendo muito
Aleksei Morozov/Getty Images

4. Queda de cabelo e acne

Novamente, o estresse alto pode fazer loucuras com nosso corpo! Além da queda capilar, que pode ficar mais acentuada por conta do nervosismo contínuo e da baixa imunidade, a acne emocional pode acabar dando as caras. Quadros de rosácea e psoríase também podem se agravar.

5. Problemas digestivos

Comer menos e de forma menos regrada já seria um problema por si só, mas daí junta com o emocional em crise e boom! Alô, gastrite e outros probleminhas! Isso porque o excesso de cortisol no organismo desvia o sangue do seu aparelho digestivo, deixando-a com essa sensação gastrointestinal incômoda.

+: 11 coisas que você não deve fazer logo após um término de namoro 

Tem quem diga que a parte boa é que esses sintomas todos têm prazo de validade: em média, duram de seis meses a dois anos. Mas para quem está sofrendo hoje, parece uma eternidade! Por isso, é importante viver um dia de cada vez e entender que você experienciará momentos de altos e baixos, que devem ser sentidos. Afinal, separações geram luto e ele precisa ser vivido. Mas, se perceber que a coisa está durando tempo demais ou que precisa de ajuda por agora, não hesite em buscar apoio profissional – além do suporte dos amigos e familiares, é claro.

Continua após a publicidade

Publicidade