O Guia Definitivo do Orgasmo: o que é, quais os tipos e como chegar lá

Esclarecemos as principais dúvidas sobre o tema e te mostramos os caminhos para você usufruir dos orgasmos múltiplos, uma exclusividade das mulheres!

Por Gabriela Junqueira - Atualizado em 2 ago 2020, 19h12 - Publicado em 31 jul 2020, 13h00

Você sabia que um terço das mulheres brasileiras nunca chegou a ter um orgasmo? É o que apontam as pesquisas da psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Programa de Estudos em Sexualidade da USP. Mas nem pense que a resposta da questão é biológica! Ela é, na realidade, psicológica e social. Durante séculos, o prazer feminino foi visto como algo dispensável e até mesmo errado, igualado a um pecado. A história mostra como a sociedade patriarcal tentou controlar e limitar a sexualidade das mulheres, assim como seus corpos, feitos na cabeça de muitos apenas para a reprodução.

Parece óbvio, mas é importante reforçar: as mulheres têm tanto direito de chegarem ao orgasmo quanto os homens. Assim como elas têm o mesmo direito de falar sobre sexo, buscar conhecimento e prazer, e ler um guia sobre orgasmo. Tcharãn! É empoderador! Afinal, se você também não sabe, o clitóris tem 8 mil terminações nervorsas e garante às mulheres prazeres exclusivos do sexo feminino. Uh, lalá!

Pensando nisso, a CAPRICHO responde de uma vez por todas as principais dúvidas sobre o assunto:

1. O que é o orgasmo feminino? Existe só um tipo?

O orgasmo pode ser definido como o momento em que o prazer da excitação sexual chega ao seu ápice. Tem mais: não existe só um tipo de orgasmo, não! Ele pode ser definido por regiões (clitoriano, vaginal, anal), pode ocorrer com estímulos em todo o corpo (como nos mamilos) e pode ser ejaculatório, único ou múltiplo. Ufa, quantos tipos! E ainda tem quem use desinformação para tentar limitar o corpo e o prazer feminino…

Continua após a publicidade

Segundo a ginecologista e sexóloga Nelly Kim Kobayashi, o tipo de orgasmo mais comum entre as mulheres é o único e clitoriano, por causa da “localização [fácil acesso e estímulo] e também pelo clitóris ser ricamente enervado e vascularizado” explica.

2. Qual é a diferença entre ter um orgasmo e gozar?

Muitas pessoas acham que ter um orgasmo e gozar são a mesma coisa, mas o significado dessas duas palavrinhas é diferente. “Gozar representa a ejaculação feminina ou squirt, que pode acontecer quando a mulher tem uma quantidade excessiva de lubrificação e também há a liberação de fluidos pela sua glândula. Já o orgasmo é a sensação máxima de prazer que a mulher pode atingir durante a relação sexual”, conta a médica Erica Mantelli.

Agora, não significa que você vá e deva liberar qualquer tipo de líquido quando gozar, viu? No ápice do orgasmo, a sensação é tão intensa que parece até que você vai fazer xixi, e não necessariamente sai algo da sua vagina. Na maioria das vezes, ela só fica mais lubrificada, diferentemente do que rola com os homens, que, quando gozam, sempre ejaculam.

Margarita Fedorenko/Getty Images

3. Afinal, o que é o clitóris?

O clitóris é uma parte da vagina cuja função é exclusivamente proporcionar prazer. Apesar da parte externa ser pequena, variando de 0,4 cm a 4 cm, de acordo com um estudo publicado pelo Journal of Minimally Invasive Gynecology, a parte interna pode chegar a 9 cm de altura. Como ainda existem muitos tabus pelo mundo sobre esse órgão, se informar, conhecer o corpo, sentir-se e tocar-se é um processo que resulta em muitas descobertas.

Continua após a publicidade

4. Como saber se tive um orgasmo?

No clímax do prazer, a respiração costuma ficar mais ofegante e acelerada, e é comum sentir o coração bater mais rápido. Quando se está quase chegando ao orgasmo, a lubrificação da vagina aumenta. Os músculos do útero, da vagina e do ânus têm contrações rápidas, e o clitóris fica mais inchado. Os bicos dos seios costumam ficar mais sensíveis e até enrijecidos. Algumas mulheres descrevem o orgasmo como uma sensação de energia por todo o corpo, liberdade, relaxamento… Há quem sinta vontade de gemer, gritar, fazer xixi, prender a respiração… O mais importante é que não existe regra: cada corpo sente e reage de um jeito!

5. O que são orgasmos múltiplos?

“Orgasmos múltiplos são a condição em que a mulher consegue ter vários orgasmos de maneira repetida e em maior quantidade durante o ato sexual“, explica Erica Mantelli. Qualquer mulher pode ter esse tipo de orgasmo, mas “nem todas conseguem vivenciar isso com certa frequência, porque depende de um nível elevado de excitação e envolvimento”, completa. Mais um detalhe interessante e empoderador: esse tipo de orgasmo também é uma exclusividade das mulheres.

Quem já viveu a experiência garante que conseguiu alcançar os orgasmo múltiplos após o(a) parceiro(a) continuar o estímulo depois do primeiro orgasmo acontecer. “A partir do momento em que a mulher vivencia uma relação sexual com prazer e consegue atingir o orgasmo, sendo único ou múltiplos, isso é o que importa: ter uma satisfação”, reforça a ginecologista Erica.

6. Quanto tempo dura o orgasmo?

De acordo com a médica e sexóloga Carmita Abdo, em entrevista à Exame, o orgasmo dura em média de 5 a 15 segundos. Mas existem algumas mulheres que conseguem estender esse tempo para mais de 20 segundos, caso o estímulo continue – e, consequentemente, venha a ter orgasmos múltiplos!

Continua após a publicidade

7. Existe mesmo um ponto G? Onde ele fica?

A região batizada como ponto G, descoberta pelo médico Ernest Gräfenberg no século X, existe. “Em palavras simples, é uma área na entrada da vagina, próxima à uretra, ricamente enervada, que ao ser estimulada poderia proporcionar orgasmos mais facilmente. Assim como o clitóris“, explica Nelly. É como se ele fosse a parte de trás, o verso, do clitóris, que fica dentro do canal vaginal.

8. É preciso ter penetração para sentir um orgasmo?

A ideia de que “se não houver penetração, não há sexo e, assim, não é possível ter um orgasmo” é antiga e foi construída com base em uma visão heteronormativa e masculina do mundo. Como falamos anteriormente, existem vários tipos de orgasmo e você pode senti-los sozinha, durante a masturbação, experimentando tocar todo o corpo e percebendo onde sente mais prazer.

9. Se masturbar faz mal para a saúde?

Pelo contrário! A masturbação tem benefícios físicos e psicológicos. No Guia Definitivo da Masturbação Feminina Segura para Mulheres da CAPRICHO, a ginecologista Monique Novacek explica que, além de intensificar a líbido e prevenir a incontinência urinária, a masturbação também ajuda a aumentar a circulação sanguínea na região e a liberar estresse e ansiedade. “A mulher que se masturba acaba conhecendo muito mais seu corpo, tendo muito mais liberdade na hora de uma relação a dois, sabendo mostrar para o parceiro o que mais te dá prazer”, explica a médica.

Continua após a publicidade

É importante lembrar que utilizar objetos inapropriados, ou seja, que não foram feitos para a masturbação, pode ser bem perigoso e resultar em ferimentos. Monique explica que existem maneiras de não se limitar apenas às mãos mesmo sem sex toys. Dá para friccionar o clítoris em alguma almofada ou travesseiro limpo, esfregar a vulva no colchão da cama, ou até usar o jato de água do chuveirinho do banheiro (nunca introduzindo ele dentro da vagina).

10. Quais são os melhores vibradores para “chegar lá”?

Se você não se sente confortável ou confiante para ir a um sex shop (eles só permitem a entrada de maiores de idade, ok?), saiba que existem muitas marcas online, inclusive de pequenas empreendedoras, que entregam em embalagens discretas seus mimos. Ah! E existem outros sex toys, além dos famosos vibradores:

  • Bullet: pode ser usado tanto para estimular o clitóris quanto para a penetração, além de ser interessante para explorar outras áreas do seu corpo. Ele mede cerca de 8 cm e é recomendado para quem não sabe pode onde começar e quer um brinquedo discreto.
  • Sugador clitoriano: talvez este seja o sex toy mais popular do momento! O Satisfyer, nome de um sugador popular, foi um dos eletrônicos mais comprados no último Natal! Além de sugar, alguns produtos também vibram e fazem movimentos. A proposta desse produto é imitar o sexo oral, mas com velocidades e algumas possibilidade a mais, como causar um orgasmo em menos de dois minutos.
  • Anel peniano: esse acessório é uma opção interessante para os casais. Além de ajudar a aumentar o tempo de ereção, ele também vem com microvibrador que ajuda a estimular o clitóris.
  • Vibradores: apesar de já serem conhecidos, esses sex toys existem em vários formatos, tamanhos e materiais. Alguns, como o Rabbit, proporcionam tanto a penetração vaginal quanto o estímulo clitoriano. Lembre-se de usar preservativo e siga as recomendações de higienização de cada produto.
Barbara Marcantonio/CAPRICHO

11. As mulheres demoram mais para chegar ao orgasmo que os homens?

Sim, as mulheres demoram um pouco mais mesmo. Isso acontece porque o órgão feminino precisa receber 200 ml de sangue enquanto o masculino precisa de apenas 10 ml. Ou seja, as mulheres precisam de 20 vezes a quantidade de sangue que os homens necessitam para sentir o ápice do prazer. É por isso que as preliminares, como o estímulo do clitóris através do sexo oral, são tão importantes!

Mas, calma, que essa diferença de tempo nem é tão grande assim. Um estudo publicado no Journal of Sexual Medicine concluiu que as mulheres demoram menos de 15 minutos para chegar ao orgasmo. A pesquisa ainda apontou que, na maioria dos casos, só a penetração não é suficiente. Há ainda vibradores no mercado que garantem um orgasmo ~daqueles~ em até 3 minutos! Tudo depende da excitação e dos estímulos.

Continua após a publicidade

12. Quais são as principais curiosidades sobre o orgasmo?

  • Ele começa no cérebro. Ou seja, para ter um orgasmo é preciso se concentrar no momento, e não naqueles problemas que você precisa resolver na segunda-feira, ok?
  • As mulheres também ejaculam. O skirt (orgasmo ejaculatório) acontece quando um fluído é liberada pelas glândulas de skene.
  • Segundo um estudo realizado pela Universidade de Gronigen, na Holanda, estar com os pés aquecidos pode aumentar em 30% a possibilidade da mulher ter um orgasmo!
  • Apesar de raro, orgasmos podem acontecer em situações que não têm nada a ver com sexo, como na academia, fazendo abdominal. Eles são conhecidos como “coreorgasmos”.
  • Por causa da sensação de relaxamento e satisfação, algumas pessoas sentem sono depois de um orgasmo. Logo, a masturbação é uma ótima saída para quem sofre de insônia! 😉

 

Já segue a CH nas redes sociais?
INSTAGRAM | TIKTOK | TWITTER | FACEBOOK | YOUTUBE

Publicidade