Guia prático para curtir o Carnaval sem passar aperto (ou ser o aperto)

Seguindo esses 10 passos, não tem erro nem desculpa para cometer um "sem querer querendo"

Por Isabella Otto Atualizado em 15 fev 2020, 19h33 - Publicado em 15 fev 2020, 10h02

O Carnaval é uma das festas mais 8 ou 80 que existem: ou você ama loucamente ou você prefere ficar em casa assistindo a séries e filmes. É difícil ter um meio termo. Ainda assim, algumas pessoas se aventuram em blocos menos lotados para ver qual é que é. Não importa o tamanho da folia: algumas coisas são inaceitáveis. Outras, entretanto, ainda passam, mas podem ser evitadas para que o feriado ocorra da melhor maneira possível – para os foliões e para o planeta!

Sempre bom reforçar… NurPhoto/Getty Images

Abaixo, fizemos uma lista com algumas dicas simples pra todo mundo poder curtir o Carnaval, o pré e o pós só com alegria:

1. Respeite o espaço do outro
Isso inclui seu direito de ir e vir, e seu direito de existir. Evite julgar os outros pelas roupas que vestem, por exemplo. Isso vale para o período do Carnaval e para todos os outros. Além disso, é importante deixar algumas coisas claras, mais uma vez: (1) não é porque a menina está sozinha no bloco que ela está esperando alguém chegar nela, (2) racismo e homofobia são crimes, (3) cada um veste aquilo que gosta e isso não é da sua conta, (4) pedir licença e desculpa nunca é demais, mesmo que ninguém te escute, (5) falar “por favor” e “obrigada” é tudo de bom, e (6) cada pessoa sabe das bocas que beija e deixa de beijar.

2. Não é não
Cada ano que passada, campanhas antiassédio durante o Carnaval se tornam mais fortes. Lembre-se de que você não é obrigada a nada, garota! E você, macho escroto com autoestima de hétero branco, não insista caso a mina não queira ficar com você. Paquera e assédio são coisas diferentes, mas a linha pode ser bastante tênue para algumas mulheres. Por isso, na dúvida, siga sempre os conselhos do tópico anterior.

  •  

    3. Vá de tênis
    Curtir os bloquinhos (ou blocões) com um calçado confortável é uma das melhores coisas que você pode fazer por si mesma. Tudo bem, pode querer caprichar no look? Pode. Mas prefira não estrear sapatos ~em plena avenida~. Opte por aquele velho tênis de guerra, que não vai te deixar na mão nem comer seu calcanhar, e vai te proteger dos pisões alheios.

    4. Prefira glitter biodegradável
    Hoje, não é difícil encontrar glitter biodegradável no mercado. Os de plástico ainda são mais em conta, mas saem beeeem mais caro se colocados na balança do meio ambiente, principalmente se você for passar o Carnaval em lugares de praia. Respeito não é só legal quando praticado com seres humanos, viu? A natureza também merece ser respeitada.

    Continua após a publicidade
    Confetes e serpentinas de papel são menos nocivos para o meio ambiente. Sebastian Condrea/Getty Images

    5. Leve consigo um copo reutilizável
    Pode ser qualquer um que você já tenha em casa, não precisa ser um especial. Na falta de um cordão estilizado para prender o copo ao pescoço ou a tiracolo, use um barbante ou um cadarço de tênis. Dessa maneira, você não precisa usar um novo copinho plástico descartável a cada bebida que consumir (no Brasil, é ilegal a venda e o consumo de bebidas alcoólicas por menores de idade).

    6. Invista na pochete
    Até os blocos mais sossegadas costumam ser cheios! (risos) Por isso, é importante que você mantenha seus pertences, principalmente os de valor, à vista. Ou seja, nada de levar mochila, viu? Prefira bolsas laterais ou pochetes, que ficam sob o seu olhar o tempo inteiro. Evite exageros! Leve o documento de identidade, o celular, um dinheirinho trocado, cartão de crédito e o bilhete do transporte público, se tiver. Celular no bolso JAMAIS!

  •  

    7. Estabeleça um ponto de encontro
    Ahh, nada melhor que curtir o bloco com os amigos! Mas, sabe como é, sempre tem aquele meio perdido, né? Que, inclusive, pode ser você. Para evitar maiores apuros – e ficar tirando o celular da pochete o tempo todo -, marque um ponto de encontro para quando o bloco acabar. O melhor é que ele não seja no meio da muvuca, mas em um lugar mais afastado, para que seja mais fácil identificar os parças.

    8. Seja uma mulher prevenida
    E, para isso, basta seguir os conselhos a seguir da Débora Amorim, ginecologista e obstetra formada pela USP e especialista em Ginecologia e Uroginecologia no Hospital das Clínicas: “Tenha um kit na bolsa para se prevenir de certas situações, com camisinhas, lenço de papel e álcool em gel. Esses são itens são essenciais para quem vai passar o dia na folia”. Sabemos que pode ser meio complicado, mas evite ao máximo segurar o xixi por muito tempo, porque, “quanto mais tempo você prende a urina, mais riscos corre de ter uma infecção”, alerta Débora, que complementa a discussão:  “Não sente no vaso sanitário. Esse contato pode gerar risco de contaminação pela água ou ainda causas micoses, doenças de pele ou infecção bacteriana”.

    Estar confortável e não deixar ninguém desconfortável Reprodução/Reprodução

    9. Conheça seus limites
    Isso é essencial em qualquer ocasião e momento de vida. Esse conselho também serve para aqueles que estão comprometidos no Carnaval ou pero no mucho. Para não se machucar nem machucar ninguém, converse, exponha suas dúvidas e até os seus medos, escute o que o outro tem a dizer, e chegue a um consenso. É aquele velho ditado: o combinado não sai caro.

    10. Não pense que tudo pode virar fantasia
    Lembra o primeiro tópico da lista, aquele sobre respeito? Então, ele também vale aqui. Está se perguntando se sua fantasia pode ofender alguém? Será que seu look de Carnaval pode ser ofensivo para a cultura, a etnia e/ou a religião de alguém? Na dúvida, não arrisque. Não é só porque é Carnaval que vale tudo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade