Fotografia: Nicole Assis dá dicas para quem está começando na profissão

Sonha em ser fotógrafa? Só tem um celular em mãos? Isso não é um obstáculo! Inclusive, pode se tornar um diferencial

Por Blog da Galera Atualizado em 24 set 2021, 15h23 - Publicado em 24 set 2021, 15h22
topo da galera laisa
Barbara Marcantonio/CAPRICHO

Fotografia é minha paixão! Muitas fotógrafas me inspiram desde que eu comecei a fotografar, como a Nicole Assis, a principal delas. Quando iniciei, eu editava pelo celular e sentia muita vergonha disso, me achando menos profissional do que as outras fotógrafas. A Nicole me fez entender que esse era o meu maior diferencial, pois, editando pelo celular, eu chegava em resultados tão incríveis quanto alguém que editava pelo computador.

Em agosto, ela lançou um curso de edição pelo celular e eu não perdi a chance! Além de ser superacessível, ela oferece o maior suporte do mundo. Sem dúvidas, foi o maior e melhor investimento que já fiz! Fiquei muito feliz com o apoio da Ni, que é extremamente carinhosa e atenciosa com seus alunos.

Fotos da fotógrafa Nicole Assis. À esquerda, ela aparece fazendo carão, segurando uma câmera nas mãos. À direita, um ensaio conceitual mostra Nicole com flores e uma gaze tampando os olhos
Oi, essa é a Nicole! Nicole Assis/Instagram

Sendo uma das pessoas que eu mais admiro, não pude perder a oportunidade de entrevistá-la. A Nicole iniciou na fotografia cedo, e com certeza isso fez minha admiração por ela aumentar ainda mais, pois me identifico com sua história. Espero que vocês embarquem na história dela assim como eu!

CH: Como e quando você descobriu a sua paixão pela fotografia?

Nicole: Eu me lembro exatamente do momento em que eu me tornei fotógrafa. Não foi no dia em que eu recebi meu primeiro pagamento, foi muito antes, quando eu não tinha material de trabalho nenhum (câmera, computador, flashes). Eu ainda estava na escola, estudava em um lugar alto, a vista era sempre muito bonita, mas naquela tarde específica, parecia diferente, parecia que o céu tinha sido pintado por um artista, cada detalhe era de tirar o fôlego: o sol, as nuvens, o azul do céu… A essa altura eu já estava encantada com aquele pôr do sol maravilhoso. Foi quando vi um passarinho em um poste, e quase que instantaneamente peguei o meu celular e tirei uma foto.

Na época, eu tinha um celularzinho velho, era triste, bem simples, mas era o que eu tinha para fotografar. Logicamente, o resultado ficou péssimo, mas a partir dessa foto eu comecei a me apaixonar e a saber o que eu queria fazer da vida. E então eu decidi tirar mais fotos! Chamava minhas amigas para casa ou ia até a casa das minhas amigas, e fazíamos malas de roupas e ficávamos a tarde inteira tirando fotos. É claro que o resultado era horrível, usava aqueles efeitos do aplicativo Retrica, mas eu era feliz demais fazendo aquilo!

View this post on Instagram

A post shared by Nicole Assis / Fotógrafa MG (@nicoleassis.ph)

CH: Qual era o seu maior medo?

Nicole: Investir meu dinheiro, tempo e energia para no final, ninguém gostar do meu trabalho. Acredito que esse seja o medo de muitos fotógrafos(as) iniciantes, principalmente com o valores dos equipamentos tão caros! Como isso me atrapalhou muito no início, eu tento ajudar ao máximo os meus alunos e seguidores nesse ponto, recomendando certas câmeras bem abaixo do valor médio do mercado, mas que entregam uma qualidade excelente sabendo  usar.

CH: Você teve apoio da sua família e dos seus amigos?

Nicole: Sim, sempre tive! E sempre serei grata por isso, o apoio dessas pessoas faz toda a diferença! Mas entendo que muitos iniciantes não contam com essa sorte, sei disso porque muitos dos meus alunos me falam. Afinal, é difícil falar para a sua família que você vai arriscar tudo para seguir o seu sonho, muitos não conseguem compreender. E eu descobri como contornar isso, e como fazer seus familiares e amigos apoiarem você.

+: 7 aplicativos de foto para quem ama o estilo retrô

Primeiro, esteja 100% comprometido com a profissão e deixe que vejam seu comprometimento. Segundo, seja bom no que você faz, para que as pessoas ao seu redor notem que seu trabalho é de qualidade. Terceiro, tenha resultados! Não tem como não conseguir apoio das pessoas que você gosta, se você está tendo resultados. Apesar de contar com o apoio da família e amigos, eu sempre me esforcei para seguir esses três passos, mas é claro que, para isso, eu precisei me esforçar e aprender como ser uma boa fotógrafa.

Continua após a publicidade

View this post on Instagram

A post shared by Nicole Assis / Fotógrafa MG (@nicoleassis.ph)

CH: Quais comentários você mais ouviu, tanto positivos quanto negativos?

Nicole: Felizmente, a maioria dos comentários foi positivo, elogiando minha edição, minha criatividade e meu trabalho de forma geral. Mas é claro que não dá para agradar todo mundo… Já ouvi pessoas dizendo que meu trabalho não ia para frente ou então que fotografia não dava dinheiro, já ouvi até mesmo que as cores que uso nas minhas edições não são boas. Para a maioria desses comentários negativos, eu só ignorava educadamente e seguia trabalhando, porque eram de pessoas que não sabiam do que estavam falando. Mas para alguns, eu prestava atenção, porque eu podia aprender com eles. É preciso saber diferenciar um comentário maldoso de uma crítica construtiva, e isso me fez crescer muito.

  • CH: Como você lidou e conciliou sua profissão com a pandemia?

    Nicole: Foi nesse período tão caótico que veio a virada de chave da minha carreira. Eu percebi que estava meio acomodada com os resultados que já tinha e que não estava trabalhando como eu poderia. Então, passei a investir mais na minha carreira, investir mais no meu conhecimento teórico e prático, também passei a investir mais na minha presença online, fiz mais conteúdos para o meu Instagram… E foi nesse momento que apareceram mais clientes, mais pessoas interessadas em aprender comigo, os ensaios foram surgindo – mas, no início da pandemia, eu estava com muito medo, então não fazia ensaios, só quando a situação foi acalmando, eu voltei a fazê-los, com todo o cuidado.

    CH: No momento, qual a sua maior meta?

    Nicole: Dar a ajuda que eu sempre precisei! Quando eu estava iniciando, muita coisa era abstrata, eu não sabia muito bem o que fazer ou como. Coisas que para mim são simples hoje, naquela época eram muito complicadas, como por exemplo dirigir modelos, edição, luz, etc… Se eu tivesse a ajuda de alguém, com certeza não teria desperdiçado tanto tempo e energia a toa, fora toda a frustração que teria evitado. Por isso, eu decidi fazer a minha Comunidade “Do celular para o mundo”, que é destinada a aspirantes a fotógrafos e fotógrafos iniciantes, que querem se tornar profissionais requisitados no mercado, mas não sabem como fazer isso, e o melhor, investindo muito pouco ou até mesmo nada em equipamentos. Ou seja, sou pra eles quem eu queria ter tido no meu começo.

    View this post on Instagram

    A post shared by Nicole Assis / Fotógrafa MG (@nicoleassis.ph)

    CH: Se você pudesse dar um conselho para a Nicole de antigamente, o que você diria?

    Nicole: Escolha apenas um(a) mentor(as), escute o que ele tem a dizer, coloque em prática os ensinamentos teóricos que aprendeu, um por vez. Não adianta querer abraçar o mundo, faça uma coisa de cada vez, mas faça com qualidade e disciplina. E não se preocupe, no final vai acabar tudo bem.

    CH: Para finalizar, que recado você gostaria de dar para quem está iniciando na fotografia?

    Nicole: Não meça o seu sucesso com a régua dos outros, pare de se comparar, cada um tem seu tempo. Esse é realmente o seu sonho? Então, trabalhe dia após dia para realizá-lo, sem se preocupar com concorrentes. E considere dar uma olhada nas minhas redes sociais, porque todos os obstáculos que você está passando agora, ou vai passar, eu tento solucioná-los lá!

    E aí, curtiram? Impossível não amar essa mulher incrível! Ela nos entrega diariamente várias dicas em seu Instagram, então não se esqueça de segui-la.

    Continua após a publicidade
    Publicidade