Fogo no Pantanal: arara-azul corre novo risco de ser ameaçada de extinção

Bióloga especialista na espécie explica que, além de morrerem carbonizadas, as aves estão ficando sem alimentos e perdendo seus ninhos

Por Isabella Otto Atualizado em 7 out 2020, 19h17 - Publicado em 6 out 2020, 10h03
colecao-roupas-capricho-marisa
Divulgação/CAPRICHO

A arara-azul, uma das espécies mais icônicas do Pantanal, junto com a onça-pintada, pode retornar para a lista de animais ameaçados de extinção por causa das queimadas na região, as maiores registradas desde que o Inpe começou a fazer levantamento dos focos de calor, em 1998. A informação é da bióloga Neiva Guedes, maior especialista em araras-azuis do Brasil.

Neiva chegou a tal conclusão após sobrevoar o Pantanal em setembro e estudar as situações decorrentes dos incêndios – a maioria deles causado por ações humanas. A presidente do Instituto Arara Azul explicou que, além de morrerem carbonizadas, muitas aves estão ficando sem alimentos, os frutos das palmeiras acuri e bocaiuva, por causa do fogo. Além disso, quando encontram algo para comer, esse algo está geralmente queimado. Essas sementes causam feridas parecidas com queimaduras na coacla. A perda de ninhos também preocupa os especialistas.

  • “Houve um misto de emoções ao sobrevoar o Pantanal por cinco dias. (…) Talvez nem tudo esteja perdido, porém, elas [araras-azuis] poderão voltar para a lista dos animais brasileiros ameaçados de extinção“, disse a bióloga em entrevista à jornalista Graziele Rezende, do G1 MS.

    O futuro das onças-pintadas também é preocupante. Isso porque, até meados de setembro, o fogo no Pantanal já havia consumido 85% do Parque Estadual Encontro das Águas, em Poconé, maior abrigo da espécie do mundo.

    View this post on Instagram

    #araraazul #pantanal #pantano #queimadas #fire #shame #criminalfire #desctrution #forest #nature #natureza #savetheplanet#forestlife #godscreation #pantanalemchamas #photograph #fotografias #momentodoclick #agrobusiness #ecossistema #biomabrasileiro #bioma #Brazil

    A post shared by J Nilson Santos (@jnilsonsantos) on

    No momento, o Pantanal precisa, além de ajuda financeira, para comprar itens para os brigadistas lutarem contra o fogo e arcarem com os custos de logística (hospedagem, transporte e alimentação), de água potável, que está em falta. Para ajudar, entre em contato com o Instituto Homem Pantaneiro, com o SOS Pantanal ou até mesmo com o Instituto Arara Azul.

    Continua após a publicidade
    Publicidade