Estas são as agressões verbais mais sofridas pelas mulheres brasileiras

Neste Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher, uma lista de frases que você, definitivamente, não pode aceitar e escutar calada

Por Isabella Otto 25 nov 2020, 11h15
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Quando a gente pensa em violência contra a mulher, pensamos logo em agressões físicas, mas as verbais e psicológicas são aquelas que normalmente aparecem antes em uma relação tóxica. “A primeira agressão chega em forma de linguagem. Ao reconhecer este fato, é possível aumentar a consciência social sobre a questão e, consequentemente, contribuir para menos violência”, explica Jennifer Dorman, especialista em sociolinguística do aplicativo de idiomas Babbel. O App, junto do Movimento #MeTooBrasil e do Instituto Maria da Penha, idealizou a campanha #PalavrasMachucam, lançada nesta quarta-feira, 25, Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher.

Matheus Aureliano/Arebo/Divulgação

O intuito do projeto é alertar as mulheres sobre as agressões verbais que ela podem sofrer ou estar sofrendo, e como essa violência psicológica é perigosa e, muitas vezes, minimizada, numa espécie de passagem de pano para homem machista e agressor. “São manifestações de violência psicológica por meio de um discurso verbal que desqualifica e desvaloriza. Precisamos estar atentos à violência verbal porque ela tem o poder de aniquilar a autoestima da mulher e causar depressão”, afirma Regina Célia, vice-presidente do Instituto Maria da Penha.

Apesar de mais comuns em relacionamentos heteronormativos, as agressões verbais e psicológicas podem aparecer em qualquer tipo de relação, seja ela homoafetiva ou não, monogâmica ou não.

  •  

    Abaixo, listamos as violências verbais e psicológicas mais sofridas pelas brasileiras. Elas foram levantadas pelo Instituto Maria da Penha, MeToo Brasil e Babbel.

    1. “Você é minha e de mais ninguém.”
    2. “Se você não ficar comigo, não ficará com mais ninguém.”
    3. “Ninguém vai acreditar em você.”
    4. “Não presta nem pra cozinhar.”
    5. “Mal sabe lavar uma roupa direito.”
    6. “Você não tem amigos, todos falam mal de você.”
    7. “Sua família acha você imprestável, você só tem a mim.”
    8. “Aquilo é mulher de malandro.”
    9. “Mulher tem que se dar o respeito.
    10. “Se você me deixar, me mato.
    11. “Se você me deixar, eu te mato.”

    A violência contra a mulher aumentou quase 45% durante a pandemia de coronavírus, de acordo com relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em abril. Hoje, sete meses depois, o Brasil continua em estado de quarentena, mesmo que flexibilizada, o que torna o cenário ainda mais perigoso para as mulheres.

    A verdade é que não há lugar seguro para ser mulher no Brasil. Em levantamento divulgado em 2019, também pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, naquele ano, 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no país, no período de 12 meses, e 22 milhões tiveram que lidar com algum episódio de assédio. 42% dos casos de violência doméstica aconteceram dentro de casa e 52% dessas vítimas sequer denunciaram o agressor, por uma série de razões que já citamos aqui anteriormente, como o fato de, no Brasil, a vítima de violência contra a mulher não poder confiar na Justiça.

    Continua após a publicidade
    Publicidade