Enem na pandemia: veja as regras de segurança e como aumentar sua proteção

Confira as medidas de biossegurança que serão aplicadas nos dias de prova e o que muda no Enem 2020 (tem novidade obrigatória, hein?)

Por Isabella Otto Atualizado em 15 jan 2021, 19h11 - Publicado em 15 jan 2021, 14h49
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Divulgação

Com medo, os estudantes hoje se encontram em um beco sem saída. Apesar do trágico cenário atual do Brasil, com pessoas morrendo por falta de oxigênio nos hospitais de Manaus e maior média móvel de infectados pela COVID-19 desde o início da pandemia, o Inep e o MEC ignoraram os apelos dos órgãos estudantis, profissionais da saúde e políticos, e confirmaram que o Enem 2020 será realizado nos próximos domingos, 17 e 24. O Enem Digital, que será aplicado pela primeira vez neste ano e que também tem locais físicos de avaliação, segue confirmado nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Enem na pandemia: veja as regras de segurança e como aumentar sua proteção
onurdongel/Getty Images

O Ministério da Saúde disse que um novo adiamento atrapalharia o cronograma do Enem 2021 e a inscrição de estudantes em programas do governo para entrar em universidades, contudo talvez o real motivo dele não acontecer seja o custo total do exame, que, segundo o Portal da Transparência, ficou em  R$ 679.615.105 – muito por causa das medidas de segurança que foram aplicadas. Mas seriam elas suficientes para garantir a segurança dos quase 6 milhões de candidatos inscritos?

“O Exame terá álcool em gel e reedição em fevereiro para casos emergenciais”, informa o Inep. Além disso, mais salas foram reservadas, para que a ocupação delas seja de apenas 50%, evitando assim maiores aglomerações nos locais de prova. O instituto ainda informa que “as pessoas consideradas de grupos de risco [idosos, gestantes e pessoas com doenças respiratórias ou que afetam a imunidade] receberão tratamento diferenciado no ensalamento. A ocupação nessas salas será de até 25% da capacidade máxima”. Entretanto, o trajeto até o exame não pode ser ignorado e os perigos dele preocupam bastante os alunos, que participaram ativamente da campanha #AdiaEnem.

Como posso aumentar minha proteção?

Não tem jeito: a máscara facial é a sua maior aliada. É aconselhável que você leve mais de uma consigo para trocar depois de 4 horas de uso, levando em conta o tempo da prova e o de deslocamento até o local de aplicação dela. As cirúrgicas, de algodão com duas camadas e de pano são as mais eficazes, sendo que a eficiência delas varia de 98% a 99,5%, de acordo com os infectologistas. “O participante que não utilizar a máscara cobrindo totalmente o nariz e a boca, desde sua entrada até sua saída do local de provas, ou recusar-se, injustificadamente, a respeitar os protocolos de proteção contra a COVID-19, a qualquer momento, será eliminado do exame”, garante o Inep.

  • Ficou com sede ou fome? Tudo bem, você pode retirar a máscara para beber água ou comer alguma coisa. Evite tocar na parte da frente dela e tente manuseá-la usando apenas as alças laterais. Além disso, não se esqueça de fazer a higienização das mãos antes e depois. Apesar de o MEC garantir que os locais de prova fornecerão álcool em gel, é indicado levar um próprio na bolsa.

    Respeitar o distanciamento também é algo importantíssimo para a sua saúde e a dos outros candidatos. O Ministério da Educação informou que sinais no chão serão colocados, para que não haja aglomeração. Tente respeitá-los ao máximo e, se vir alguém não fazendo sua parte, chame a atenção diretamente ou então comunique a situação para algum fiscal. Os portões serão abertos às 11h30 (horário de Brasília), 30 minutos antes do previsto nos editais. Assim, o participante terá até 1h30 para acessar o local de prova”, informa o Inep.

    Estou com sintomas da COVID-19. O que devo fazer?

    Candidatos com suspeita de COVID-19 devem pedir a remarcação do exame, que será aplicado nos dias 23 e 24 de fevereiro. É preciso entrar na Página do Participante, no site do Inep, acessar a aba “Doenças Infectocontagiosas”, abrir uma solicitação com seu caso e anexar nela um atestado legível que comprove sua infecção ou suspeita.

    Entre os sintomas que merecem atenção estão febre, tosse seca, dores no corpo, na garganta e de cabeça, diarreia, perda de olfato e/ou paladar. Vale lembrar que, no Enem 2020, pela primeira vez a inclusão de foto no sistema de inscrição será obrigatória. Já checou se fez isso na Página do Participante?

    Continua após a publicidade
    Publicidade