Coronavírus: como fazer, usar e higienizar corretamente a máscara caseira

O Ministério da Saúde destacou a importância das máscara de pano terem as medidas certas e serem higienizadas corretamente; descubra!

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 20 abr 2020, 11h40 - Publicado em 20 abr 2020, 10h02

Você sabia que as máscaras caseiras ajudam a diminuir a circulação do coronavírus no ambiente? É por isso que, em vários estados do Brasil, o uso delas se tornou obrigatório, como em Florianópolis, por exemplo. “As máscaras caseiras não garantem a mesma proteção que as cirúrgicas, mas elas ajudam a minimizar o risco [de contágio e transmissão]”, informou a otorrinolaringologista e foniatra Emi Murano para a Claúdia.

Para que o uso delas seja feito corretamente, são necessários alguns cuidados básicos de utilização e higiene:

1. Como usar e guardar sua máscara caseira
Antes de colocar a máscara, é preciso lavar as mãos com água e sabão por cerca de 20 segundos ou higienizá-las com o álcool em gel. Na hora de tirá-la, o cuidado precisa ser repetido. Também é importante trocar a máscara a cada duas horas de uso e evitar tocá-la enquanto está no rosto. Na hora de tirar, assim como na de colocar, segure-a apenas pelas alças. Se for guardar na bolsa, por exemplo, use um saco plástico para evitar a contaminação de outros ambientes.

2. Como fazer sua higienização
O Ministério da Saúde informa que a máscara precisa ser individual e higienizada corretamente. Depois da utilização, ela precisa ser lavada com água e sabão, ou água sanitária, e ficar de molho por 30 minutos. O recomendado é deixar secando no varal e depois passar com ferro. É importante só voltar a utilizá-la quando estiver totalmente seca.

  • 3. Como fazer sua máscara
    “A máscara serve de barreira física ao vírus. Por isso, é preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano (seja dupla face)”, explica um texto publicado no site oficial do Ministério da Saúde. O ideal é que cada pessoa tenha pelo menos duas máscaras e saia sempre com uma extra, principalmente se for se demorar na rua ou não estiver podendo praticar o isolamento social.

    A máscara pode ser produzida com algodão, TNT, tricoline e outros tecidos e precisa cobrir a boca e o nariz, e ficar ajustada corretamente ao rosto. “Se for de TNT, deve ser descartada após o uso. Se for de outro tecido, pode ser lavada e reaproveitada. Mas é preciso ver a gramatura e a espessura do tecido”, explica Margareth Dalcomo, pneumatologista da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fiocruz, para o jornal O Globo.

    Se preferir, pode comprar sua máscara de pano. É só prestar atenção a todas as exigências feitas pela OMS. Opte por comprá-las de pequenos e médios produtores, para incentivar a economia, já que grandes empresas correm riscos menores de quebrar.

    Continua após a publicidade
    Publicidade