Diário de Intercâmbio: o lado positivo de morar em residência estudantil

Catharina Doria, nossa intercambista na Espanha, conta agora o lado positivo de deixar de lado a casa de família.

Por Catharina Doria - 14 jun 2018, 18h18

Faz exatamente uma semana que eu oficialmente dei tchau para a minha casa (leia-se quarto), onde vivi durante 9 meses. Tive muito altos e baixos, não vou mentir. Foram momentos muito intensos de felicidade, raiva, amor, desprezo e muitos outros sentimentos. Mas já que eu já reclamei o que tinha que reclamar sobre morar em residência estudantil no intercâmbio, decidi escrever o lado positivo dessa experiência. Ficou curiosa? Então, vamos lá!

Reprodução/Reprodução

1. O impacto de mudar de país fica menor
Toda residência estudantil tem um pacote com serviços inclusos: contas de luz, água e calefação já pagas. E, normalmente, o jantar e o serviço de limpeza estão inclusos. Já ter esses boletos pagos no dia a dia faz muita diferença! Se você for pensar bem, mudar de país em si já é um ato que vira sua vida de cabeça para baixo, porque você vai para um lugar totalmente diferente com pessoas desconhecidas. Daí, imagina só: além de fazer amigos e se adaptar à cultura, você tem que pagar as contas, limpar, fazer compras no mercado… Quando você escolhe ir para uma residência estudantil, você acaba tendo mais tempo para investir em amigos, explorar a cidade e dormir sem se preocupar com nada, porque tudo já está resolvidíssimo!

2. Você está sempre rodeado de amigos
É realmente muito difícil se sentir sozinha em um lugar assim. São centenas de alunos morando em quartos espalhados em um prédio: é muita gente mesmo! Então, fazer amizades e estar sempre acompanhado fica superfácil. Eu lembro que minha melhor amiga sempre, sempre mesmo, vinha para o meu quarto bater papo, assistir a filmes ou a vídeos no Youtube. É realmente uma delícia poder ter vários amigos a uns dez passos de distância – até porque, no dia em que você tiver mais tristinha, não tem que pegar um ônibus, andar na chuva ou coisa parecida. É só bater na porta da sua amiga e pronto! Problema, mais uma vez, resolvidíssimo.

3. É uma oportunidade única
Ser intercambista é algo temporário, infelizmente. Ter a chance de morar em uma residência estudantil é realmente uma coisa que tem grandes chances de só acontecer uma vez na vida. Isso ocorre porque, muitas vezes, residência estudantis são vistas como um lugar de transição – da escola para a faculdade. Então, ninguém do segundo ou até mesmo terceiro ano moram em uma moradia do tipo. Cada um já tem seu apartamento ou casa. Se você não escolheu morar em uma residência estudantil no seu primeiro ano ou semestre de faculdade ou intercâmbio, é quase impossível você poder fazer isso depois. Fica a dica!

https://www.instagram.com/p/Bj-zJ30FyS6/?hl=pt-br&taken-by=cahdoria

4. É também bem emocionante
Este é o ponto mais importante da lista. Eu odiei morar em uma residência estudantil? Sim, odiei. Mas eu tive essa experiência. Eu consegui! Eu chorei, ri, me irritei, me alegrei… Eu vivi. Poder dizer que eu passei por essa experiência é muito legal e uma prova de superação mesmo e, apesar de eu não ter gostado, pelo menos, eu sei passei por isso. Posso viver com a consciência tranquila de ver que eu me arrisquei e me aventurei. Eu tentei. Tentar vale à pena.

5. Na real, é uma experiência única
O que eu quero dizer com isso? Não é porque eu não gostei que você não vai gostar. Na verdade, você pode amar! Existem muitas residências no mundo e bem diferentes. O principal ponto é avaliar os prós e contras (porque o lado financeiro conta muito na hora do intercâmbio, todos sabem disso). Ah! E independentemente do que você decidir, vai na fé. Tudo são experiências que vão te ajudar a amadurecer no futuro. Faça chuva ou faça sol, vai dar tudo certo!

Beijos, amores
@cahdoria

Continua após a publicidade
Publicidade