Diário de Intercâmbio: minha vida de universitária na Espanha!

Catharina Doria assume o blog Diário de Intercâmbio e conta como é o seu dia a dia estudando em uma universidade fora do Brasil.

Por Catharina Doria - 8 fev 2018, 16h31

Oi! Tudo bom? Meu nome é Catharina Doria, tenho 19 anos e a partir de hoje estarei aqui na CAPRICHO toda semana para falar sobre a minha experiência estudando em uma faculdade na Espanha!

Aproveitando o solzinho de Outono no jardim da faculdade. Arquivo Pessoal/Reprodução

Antes de me mudar de país, cursei um semestre de Publicidade e Propaganda na ESPM, em São Paulo. Eu amava a faculdade, meus amigos e minha rotina, mas tinha uma vozinha dentro de mim que me dizia todos os dias que aquele não era o meu lugar. Então, comecei minha busca por faculdades internacionais. Descartei os Estados Unidos logo de cara, porque eu amo viajar e, uma vez na Europa, conseguiria visitar mais países, porque eles ficam próximos e teria uma liberdade maior durante os finais de semana, por exemplo. Dentro das minhas pesquisas, uma instituição em especial roubou meu coração: a IE University! Ela é uma faculdade relativamente nova, mas muito reconhecida na Espanha. A grade curricular é incrível e o ensino é todo em inglês. Mais uma informação em especial chamou minha atenção: 70% dos alunos ali matriculados vem de outros países.

Quando li isso, já sabia que esse era o meu lugarzinho dos sonhos para cursar Comunicação. Algo que me incomodava muito na minha faculdade brasileira e no meu ensino médio era a falta de diversidade. Eu só convivia com pessoas brancas de classe média alta, que tinham o mesmo pensamento e as mesmas experiências de vida. Era uma bolha. E eu tinha certeza que a vida era mais do que isso. Hoje, na IE University, tenho amigos libaneses, portugueses, franceses, alemães, italianos, irlandeses… São mais de 95 nacionalidades no campus! São pessoas com histórias de vida, costumes, opiniões e etnias diferentes.

Parece Nárnia, mas é o meu caminho pra faculdade durante este Inverno! <3 Arquivo Pessoal/Reprodução

Mas nem tudo são flores, né? Uma coisa que me deixava muito preocupada era o fato de que, para estudar nessa facul, precisaria morar dois anos em Segóvia, uma cidade pequenininha, com mais ou menos 50 mil habitantes, perto de Madrid. Logo eu, que morava em São Paulo, cercada por quase 12 milhões de habitantes!? Uma mudança e tanto! Me assustou, mas hoje, já morando aqui há alguns meses, posso dizer que me apaixonei por Little (apelido carinhoso que dei para Segóvia).

Vista lateral do aqueduto romano, o ponto turístico mais conhecido de Segóvia. Arquivo Pessoal/Reprodução

Em relação a minha acomodação, escolhi morar em uma residência estudantil. Eu achava que ia ser melhor, porque eu não teria que dividir o quarto com mais ninguém. Pensei que o fato de eu me mudar de país já era um passo grande demais e que preferia me adaptar sozinha. Me arrependo todos os dias dessa escolha (#risos), mas falo mais sobre isso em postagens futuras.

O Diário de Intercâmbio vai ser um cantinho em que vou contar mais sobre as minhas escolhas, experiências e meus motivos para mudar de país. Vou falar sobre amizades internacionais, diferenças culturais, comida, idiomas, a procura por um apartamento novo, dificuldades de adaptação e tudo o que vocês quiserem saber – inclusive, valores dessa aventura. Então, bem-vinda a minha vida!

Um beijo e um cheiro diretamente de Little,
@cahdoria

Continua após a publicidade
Publicidade