Desastres naturais devem aumentar 50% na próxima década, dizem cientistas

Além disso, é calculado um rombo de R$ 100 milhões por ano na economia global causado pela crise climática... Mas é tudo sensacionalismo, né, Salles?

Por Isabella Otto - Atualizado em 14 out 2020, 19h54 - Publicado em 14 out 2020, 10h27
colecao-roupas-capricho-marisa
Divulgação/CAPRICHO

Se você acha que 10 anos é tempo de sobra, saiba que essa noção temporal não passa de uma perspectiva. Para a Terra, 10 anos passa num piscar de olhos – assim como para nós seres humanos, vai? De acordo com o relatório Estado dos Serviços Climáticos, realizado pela Organização Meteorológica Mundial e lançado na última terça-feira (13/10), em 2030, a quantidade de desastres naturais deve crescer 50%.

O mar da ganância e do capitalismo que transforma os oceanos em águas sem vida Viaframe/Getty Images

A estimativa foi feita tendo como base os últimos anos de estudo, sendo que nos últimos 50, o número de desastres naturais aumentou cinco vezes, gerando um rombo de cerca de R$ 20 trilhões na economia mundial. Como a situação tem se intensificado em um passado recente, com o acelerado derretimento das calotas polares e as preocupantes queimadas, como as que estão ocorrendo no Brasil, nas regiões amazônica e pantaneira, o mais provável é que ela venha a degringolar.

Além do aumento de 50% na próxima década, especialistas calculam um rombo na economia de aproximadamente R$ 100 milhões por ano, indo contra o que as indústrias e o próprio governo pensam sobre as políticas verdes – que elas não geram lucros. Petteri Taalas, secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial, explicou ainda que o levantamento é importante para que haja uma “efetiva redução de risco de desastres e adaptação às mudanças climáticas”, tais como tsunamis e furacões.

 

Recentemente, o centro de pesquisas Copernicus Climate Change garantiu que 2020 deve ser o ano mais quente registrado na História. Alguns meses antes, a Agência Internacional de Energia já havia liberado um alerta informando que a humanidade tem até o final deste ano para evitar uma crise climática irreversível. Caso as coisas permaneçam iguais, com pessoas negando as mudanças climáticas, dizendo que são fake news ou sensacionalismo barato, em 30 anos, a humanidade pode enfrentar anualmente “20 dias letais de calor”. Lembrando que, atualmente, as ondas de calor já matam centenas de pessoas por ano em todos os cinco continentes.

Continua após a publicidade
Publicidade