Denúncias de violência doméstica já cresceram 17% durante quarentena

Governo está ciente de que, agora, muitas mulheres estão presas em casa com seus agressores; medidas estão sendo tomadas

Por Isabella Otto - Atualizado em 30 mar 2020, 17h31 - Publicado em 30 mar 2020, 14h36
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Como infelizmente era de se esperar, as denúncias de violência doméstica neste período de distanciamento social subiram 17% até o momento. Os dados são do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, que analisou a primeira e a segunda quinzena de março.

violência doméstica, agressão
Aleksei Morozov/Getty Images

A taxa passou de 829 para 978. O número de ligações para o 180 também aumentou consideravelmente e passou de 3.045 ligações diárias para 3.303, de acordo com o governo federal.

Para Damares Alves, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, era de se esperar que isso acontecesse, já que a maioria dos agressores se encontra dentro do lar, podendo ser maridos, namorados ou pais. O isolamento faz com que, muitas vezes, a vítima fique presa em casa com seu violentador. “Durante a quarentena, estamos reforçando os mecanismos que ajudam essas mulheres a denunciar”, informou em nota.

Para relatar um caso de violência doméstica, basta ligar 180, na Central de Atendimento à Mulher, e fazer uma denúncia anônima. Também é possível denunciar a qualquer hora por e-mail (ligue180@mdh.gov.br), pelo aplicativo “Proteja Brasil” e pela ouvidoria Online, no site Humaniza Redes.

Publicidade