Cientistas transformam lixo plástico em aroma de baunilha usando bactéria

Criação pode ser usada no setor alimentício, farmacêutico e de produtos de limpeza

Por Gabriela Junqueira 23 set 2021, 17h26

Um grupo de cientistas da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido, conseguiu alcançar uma conquista que pode ajudar a lidar com o excesso de resíduos plásticos no futuro. Os pesquisadores foram capazes de transformar, com o auxílio de bactérias geneticamente modificadas, garrafas plásticas em aroma de baunilha – o mesmo usado em sorvetes, por exemplo.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Biotec Brasil (@biotecnologiabrasil)

De acordo com a responsável do projeto, Joana Sadler, o grande destaque no estudo foi conseguir criar um sistema biológico capaz de transformar resíduos plásticos em um produto interessante para a indústria. Além de ser usado no setor alimentício, o aroma também é importante no setor farmacêutico e de produtos de limpeza.

  • Os cientistas usaram a bactéria E. coli, modificada geneticamente para converter o ácido tereftálico [uma molécula derivada do tereftalato de polietileno] em vanilina. A descoberta, caso seja aplicada em larga escala, pode ter um grande impacto positivo para o meio ambiente. Atualmente, um milhão de garrafas de plástico são vendidas por minuto no mundo, o que representa 20 mil descartáveis por segundo, sendo que apenas 14% delas são recicladas. 

    Imagem da transformação química do PET em aroma de baunilha
    Transformação química do PET em vanilina usando a bactéria E. coli University of Edinburgh/Divulgação

    “Este é o primeiro exemplo de uso de um sistema biológico para transformar resíduos plásticos em um produto químico industrial valioso e isso tem implicações muito interessantes para a economia circular”, garantiu Sadler.

    E aí, você tomaria um sorvete de baunilha feito com a aroma modificado?

    Continua após a publicidade
    Publicidade