Atriz de The Office se desculpa por ter ido a baile ligado à Ku Klux Klan

O caso ocorreu quando Ellie Kemper tinha 19 anos, mas viralizou apenas agora; "Ignorância não é desculpa", pontuou a atriz arrependida de decisão

Por Isabella Otto Atualizado em 9 jun 2021, 16h59 - Publicado em 9 jun 2021, 15h16
Ao centro, modelo usa cropped azul de manga comprida. Ela está com uma das mãos na cintura, sorrindo. De um lado, a frase
Marisa/Divulgação

Ellie Kemper, estrela de Unbreakable Kimmy Schmidt e The Office, se pronunciou após polêmicas envolvendo seu nome e uma organização ligada à Ku Klux Klan, seita norte-americana que defende e prega a supremacia e o nacionalismo branco. O caso ocorreu quando a atriz, hoje com 41 anos, era adolescente, mas foi apenas recentemente que imagens de Ellie na celebração viralizaram nas redes. Não demorou muito para ela ser apelidada de “Rainha da KKK” na internet.

Imagem de divulgação da série The Office; personagens estão olhando incrédulos uma tela do computador
Ellie Kemper no papel da Erin de The Office The Office/Divulgação

O evento em questão é o Veiled Prophet Ball (“Baile do Profeta Velado”, em tradução livre), fundado em 1878 por um ex-cavaleiro da Ku Klux Klan. Patrocinado pela Veiled Prophet Organization, uma sociedade que existe até hoje, ele é uma espécie de “baile de debutantes” – na visão de alguns, para aqueles que compactuam com os preceitos da sociedade semissecreta constituída por homens brancos, ricos e conservados de extrema Direita.

  •  

    “Aos 19 anos, decidi participar de um baile de debutantes em minha cidade natal [St. Louis, no Missouri]. A organização centenária responsável por sediar o baile tinha um passado indiscutivelmente racista, sexista e elitista. Eu não conhecia essa história na época, mas ignorância não é desculpa“, falou a atriz. Ellie ainda garantiu que tinha idade suficiente para ter ido atrás de mais informações após receber o convite e antes de se envolver com a causa. “Deploro, denuncio e rejeito inequivocamente a supremacia branca. Ao mesmo tempo, reconheço isso por causa de minha raça e meu privilégio, sou o beneficiada por um sistema responsável por reforçar justiça e recompensas desiguais“, escreveu em publicação nas redes sociais. A norte-americana finalizou o pronunciamento pedindo desculpas a todos aqueles que ela decepcionou com tal atitude.

    Na postagem, a atriz recebeu o apoio de fãs e colegas de profissão, como Tituss Burgess, que atua com ela na série Unbreakable Kimmy Schmidt. Ele disse amar “sua Ellie” e brincou pedindo para, da próxima vez, ela o consultar antes de tomar qualquer atitude do tipo. Rainn Wilson, Mindy Kaling, Angela Kinsey e Oscar Nuñez, que contracenaram com a atriz em The Office, também demonstraram apoio e compreensão.

    Confira a seguir o pronunciamento completo da atriz:

    Ver essa foto no Instagram

    Uma publicação compartilhada por Ellie Kemper (@elliekemper)

    Ainda hoje, o Missouri é considerado pela Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor como um dos estados dos EUA mais perigosos para pessoas negras existirem. “A raça, o gênero e os crimes baseados na cor têm uma longa história no Missouri, que fomenta as disparidades raciais e étnicas em educação, saúde, economia, distribuição de poder e justiça criminal”, alertou a NAACP em 2017.

    Continua após a publicidade
    Publicidade