6 motivos para você assistir Para Todos os Garotos que Já Amei

A comédia romântica conta com uma protagonista asiática e chega à Netflix na sexta, dia 17.

Por Melissa Ery 15 ago 2018, 16h25

Eu nunca tinha lido a trilogia de Para Todos os Garotos que Já Amei, mas tenho que confessar que, desde que saiu o trailer do filme, meus olhos brilharam muito! O longa é a adaptação do livro da autora Jenny Han, que já havia comentado com a CH sobre colocar uma protagonista asiática em sua obra.

A atriz Lana Condor é descendente de vietnamitas e interpreta Lara Jean, uma adolescente de dezesseis anos que vive com seu pai e suas duas irmãs. Ela escreve cartas para os seus crushes para expressar seu sentimento, mas, um dia, as cartas misteriosamente são enviadas para eles. O filme chega à Netflix na próxima sexta-feira, 17, e eu vou listar alguns motivos para você ver.

para-todos-os-garotos-que-ja-amei
Cena de “Para Todos os Garotos que Já Amei”. Divulgação/Netflix

1. Representatividade
É muito legal ver o filme pela perspectiva de uma pessoa birracial, todas as situações que aconteceram com ela ficaram ainda mais interessantes quando comecei a me identificar (independente da etnia, ela é uma representação que a mídia quase nunca mostra). A intensidade da personagem me surpreendeu bastante, porque ela poderia ter caído muito em um clichê ou um estereótipo, mas, pela escritora Jenny Han ser americana descendente de coreanos, acabou traduzindo suas vivências para o livro e elas foram para o filme, o que deu bastante fluidez para a história.

  • 2. A cultura é importante
    Quando você vive uma cultura diferente, acaba passando por algumas situações muito específicas. Por exemplo: eu tenho doces favoritos que só encontro na Liberdade, um tradicional bairro asiático de São Paulo, ou em lojas de produtos japoneses. No filme, eu percebi o quanto a cultura coreana foi colocada de um jeito muito natural para Lara e a família dela – e como, às vezes, ela e as irmãs precisam explicar sobre algumas dessas coisas para as pessoas que não vivem a mesma realidade delas.

    3. Existem contrapontos
    Apesar da Lara Jean ser uma adolescente tímida, isso não acabou caindo no estereótipo de ela ser tímida porque é asiática. O filme contrapõe essa ideia mostrando como a mãe dela era extrovertida quando gostava de dançar no meio da lanchonete, por exemplo. Ela não era uma má motorista porque é asiática, mas porque ainda é uma adolescente inexperiente.

    4. Você torce pela Lara Jean
    Essa é uma comédia romântica daquelas que te faz suspirar, chorar e torcer pela personagem o tempo todo. Você quer que a Lara Jean se dê bem, quer consolá-la e ser amiga dela. É demais!

    Kitty, Margot e Lara Jean, personagens do longa. Awesomeness Films / Masha Weisberg

    5. A trilha sonora é muito boa
    Se você gostou da música que toca no trailer (obrigada, Lauv!), vai se impressionar e se envolver com as outras músicas que tocam durante o filme. Eu prometo!

    6. A protagonista não é estereotipada
    Ter uma protagonista asiática não estereotipada é muito simbólico. O filme mostra que é possível você ser quem você quiser sem estar presa a um estereótipo e isso é muito importante para que as pessoas se sintam representadas.

    Alô, Netflix! Já queremos continuação, hein?

    Continua após a publicidade
    Publicidade