Modelo negra denuncia preconceito nos backstages de desfiles

Para mostrar o que rola nos bastidores, Londone Myers fez um vídeo durante a semana de moda de Paris

Por Da Redação - 4 out 2017, 18h07

Felizmente, cada vez é maior o número de marcas preocupadas com a diversidade no mundo da moda e da beleza – mas não podemos negar que muito ainda precisa ser feito, né? Prova disso é um vídeo recente que a modelo Londone Myers, que é negra, fez durante um backstage da Paris Fashion Week.

Londone Myers disse que os cabeleireiros evitam mexer no cabelo dela Reprodução/Instagram

A gravação, feita em time-lapse, mostra a garota sentada e esperando por um tempão até que algum cabeleireiro viesse fazer seu cabelo. Atrás dela, diversas pessoas vão passando, inclusive modelos prontas para a apresentação. “Eu não preciso de tratamento especial de ninguém. O que eu preciso é de cabeleireiros que aprendam como fazer o cabelo de uma negra. Estou tão cansada das pessoas evitando mexer no meu cabelo durante os desfiles“, escreveu na legenda.

View this post on Instagram

I don't need special treatment from anyone. What I need is for hairstylists to learn how to do black hair. I'm so tired of people avoiding doing my hair at shows. How dare you try to send me down the runway with a linty busted afro. We all know if you tried that on a white model you'd be #canceled 👌🏽 If one doesn't stand we all fall. If it isn't my fro it'll probably be yours 👊🏽👊🏽👊🏽 #modelsofcolor #fashionweek #noexcuse #naturalhair #blackhair #naturalhaircare #hair #jesustakethewheel #hairstylist #hairstyling

A post shared by Londone LUN-DONE(she/her) ☹ (@londonemyers) on

Que absurdo! No fim, ela ainda deixa um recado para outras meninas negras: “Se não fosse o meu afro, provavelmente poderia ser o seu”. Em entrevista à Teen Vogue, Londone contou que costuma arrumar seu cabelo sozinha antes de cada desfile, só que, dessa vez, resolveu não fazer nada, assim como as outras pessoas que participam da apresentação. Não é à toa que a modelo disse que ficou muito frustrada, né?

A garota afirmou que, por diversas vezes, perguntou se havia algum especialista em cabelo afro na sala, até que a sentaram na cadeira de um cabeleireiro que não soube como arrumar seus fios.

A gente torce para que o desabafo dela ajude a mudar tudo isso!  

Continua após a publicidade
Publicidade