12 curiosidades sobre a história do batom que você nem imagina

O item de beleza existe há muito tempo e já foi motivo de exaltação e proibições ao longo da história. Conheça mais sobre ele!

Por Thais Varela - Atualizado em 12 set 2020, 10h12 - Publicado em 12 set 2020, 10h04

Você sabia que o batom existe há muito tempo e marcou a história em diversas ocasiões ao longo da sua existência? Pois é, esse produto que faz parte da maquiagem e ajuda a deixar o visual ainda mais incrível já foi sinônimo de divisão de classes, associado à poderes mágicos e até instrumento para estudar a economia.

Ficou interessada em saber mais sobre a história desse cosmético tão querido? Então confira 12 curiosidades sobre o batom!

1. Os primeiros registros de pintura labial entre seres humanos datam da região da Suméria aproximadamente 5.000 a.C.

2. Tanto homens quanto mulheres utilizavam o batom no Egito Antigo como símbolo de status e ele era usado diariamente pelas pessoas. Inclusive, Cleópatra era fã do batom que, na época, era feito com flores, insetos esmagados e outros materiais encontrados na natureza.

3. Na Grécia antiga, o batom era visto como algo escandaloso e era usado principalmente por prostitutas. O item era tão associado a essas trabalhadoras, que foi criada uma lei que proibia que elas andassem por aí sem a maquiagem para que fossem identificadas o tempo todo.

4. Assim como no Egito, no Império Romano os lábios pintados também eram uma forma de diferenciar as classes sociais. 

5. Durante a Idade Média, o batom foi proibido pela Igreja Católica por ser considerado imoral e um pecado.

Continua após a publicidade
gif-batom-vermelho
GIF/Reprodução

6. A Rainha Elizabeth I era fã do batom vermelho e ignorou as regras da Igreja, popularizando o item durante seu reinado. A monarca era tão apaixonada pelo item que chegou a acreditar que ele tinha poderes mágicos e que poderia curar doenças. A ironia, porém, é que, naquela época, as pinturas labiais possuíam entre seus componentes pó de chumbo, um ingrediente tóxico que envenena o sangue e pode levar à morte.

7. Em 1770, o parlamento britânico criou uma lei que condenava a pintura labial por associá-la à feitiçaria para “seduzir os homens ao casamento”. Eita!

8. Em 1880, Guerlain criou o primeiro batom que foi vendido comercialmente.

9. Durante o movimento sufragista em Nova York, em 1912, as mulheres que estavam na rua protestando pelo direito de votar usaram batom vermelho nos lábios como forma de simbolizar a emancipação e a independência feminina, além de ser uma maneira de desafiar às autoridades de todas as áreas que reprimiam as mulheres.

10. Durante a Segunda Guerra Mundial, o primeiro ministro britânico, Winston Churchill, via o batom como um item essencial pois ajudava a levantar a moral das mulheres que tiveram que ocupar os postos de trabalho e também dos soldados que estavam lutando na guerra, além de trazer um senso de normalidade à vida das pessoas que passavam por esse momento difícil.

11. “Efeito batom” é uma teoria que diz que durante uma crise econômica, as pessoas estarão menos dispostas a consumir itens luxuosos caros e irão preferir gastar dinheiro com produtos de luxo mais acessíveis, como batom. A ideia por traz desse estudo é que, apesar de uma crise, os consumidores ainda comprarão mercadorias caras.

12. Com o fim da Segunda Guerra Mundial, o batom passou a ser cada vez mais popular e a aparecer em anúncios de revistas e nos lábios de personalidades famosas. Estrelas de Hollywood, como Marilyn Monroe e Elizabeth Taylor, ajudaram a difundir ainda mais os lábios pintados.

Gostou de saber mais sobre esse cosmético tão presente no nosso dia a dia?

Continua após a publicidade
Publicidade