Carnaval não é desculpa para você se tornar um babaca

TodoAnoAGenteTendoQueExplicarAMesmaCoisaPraMachoBababa.jpeg

Por Isabella Otto - Atualizado em 28 fev 2019, 17h10 - Publicado em 28 fev 2019, 17h00

Oi, amiga! Tudo bom? Com a gente está tudo ótimo e vai ficar ainda melhor se não nos depararmos com notícias de assédio e agressão durante bailes e bloquinhos de Carnaval. Este é um guia rápido, com sete dicas simples mas muito eficazes, para você disseminar na internet e ajudar aqueles ~boyzinhos~ que estão um pouco (ou muito) perdidos e ainda acham que Carnaval é sinônimo de pegar geral sem consentimento.

Carnaval não é desculpa para você se tornar um babaca
Obrigada é a única coisa que você NÃO é, miga! Reprodução

O QUE NÃO FAZER/SER NO CARNAVAL 2019 (E DURANTE TODOS OS OUTROS DIAS DA SUA VIDA):
1. Ser machista
Uma pesquisa recente realizada pelo Instituto Data Popular, para a Campanha Carnaval Sem Assédio, revelou que 49% dos entrevistados acreditam que “bloco de carnaval não é lugar para mulher direita”. O levantamento usou como base 3,5 mil jovens nascidos no Brasil com idade igual ou superior a 16 anos. 61% dos caras também deixaram claro que mulher solteira que pula Carnaval não tem o direito de se ofender com cantadas ou possíveis manifestações de assédio. Afinal, se elas saíram de casa, estão a fim de beijar na boca. Se elas querem beijar na boca, vão aceitar qualquer um que chegar. E se elas estão aceitando qualquer um, consequentemente, não vão ligar para abordagens mais brutas. Esperamos que vocês tenham sentido e identificado toda a ironia dessas últimas frases.

2. Desrespeitar o espaço do outro
Carnaval, folia, bloquinhos de rua, trios elétricos, empolgação, mar de gente. Não tem jeito: é inevitável não receber algumas cotoveladas e pisões no pé durante a festa. Mas nada que um pedido de desculpa não resolva, né? Contudo, existem os famosos ~meninos isqueiros~ que adoram botar fogo e tumultuar. Ei, cara, não seja uma dessas pessoas, tenha você ingerido bebida alcoólica ou não. Ei, garota, você não é obrigada a lidar com esse tipo de gente. Cuidado com a abordagem, pois essas pessoas brutas podem apresentar comportamentos perigosos. Não compre briga! O melhor que você pode fazer é deixar os ~isqueirinhos~ para lá e sair andando, pois isso vai apagar o fogo deles rapidinho.

Carnaval não é desculpa para você se tornar um babaca
A estudante Mary Brandon foi agredida durante o Carnaval de Notting Hill, em Londres, na Inglaterra. O machismo é um problema mundial. Reprodução

3. Não aceitar não como resposta
Qual é a dificuldade que alguns rapazes têm de entender que não é não? Como identificar o Complexo de Gastão, personagem de A Bela e a Fera? Fácil. Esse tipo de menino se acha a última bolacha do pacote, confia muito na própria aparência e não faz questão de usar a cabeça para puxar o mínimo de papo possível. Nem “Oi!”, nem “Tudo bem?”. E quando recebe um não como resposta, se sente ofendido, como se nunca tivesse ou pudesse levar um fora na vida. Uó!

4. Achar que a menina só está fazendo doce
Muitas vezes, para não dizer na maioria dos casos, um não significa simplesmente não. Ou seja, a garota não está fazendo charme, sensualizando, pagando de princesa ou dando uma indireta para você continuar insistindo e usando toa a sua lábia, porque, em breve, vai dar o braço a torcer. Não existem mensagens subliminares. Não é não. Simples assim. Dá uma segurada aí, migo!

5. Comprar briga para ver quem é mais ~machão~
Pre-gui-ça.

Carnaval não é desculpa para você se tornar um babaca
Tão cansativo ter que explicar isso sempre, né? Tumblr

6. Pensar que toda garota curte cantadas
Algumas meninas não se importam e até acham certas cantadas engraçadinhas, como aquelas meio nerd, divertidas, que não ofendem nem insultam. Em contrapartida, há quem não curta cantadas at all e se sinta, sim, invadida até mesmo com o mais sincero “Que linda!”. É claro que você, menino, não precisa deixar a magia do Carnaval morrer, mas use a sua sensibilidade e, o mais importante, ponha o respeito em prática.

7. Achar que mulher é propriedade
Pessoas são seres humanos e não objetos para pertencerem ou não a alguém. Não faz diferença se a menina é sua ficante, sua atual namorada, sua ex, sua noiva ou até mesmo sua esposa: ela não é sua posse! Em alguns países orientais, é verdade, essa regra não se aplica. Mas são lugares culturalmente ainda muito machistas, e se machismo é andar para trás… Bom, você não quer se espelhar em alguém ou algo retrógrado, certo? 

Publicidade