Tendências dos anos 70, 80, 90 e 2000: quais são e como usamos hoje?

Peças oversized, estampa tie-dye, calça baggy e outros hits que voltaram à moda

Por Sofia Duarte - Atualizado em 28 jun 2020, 16h26 - Publicado em 28 jun 2020, 10h00
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Você já reparou que várias tendências da moda atual foram febre nas décadas passadas? A estampa tie-dye, por exemplo, era um símbolo do movimento hippie dos anos 1970, as cores néon foram resgatadas dos anos 1980, e a logomania bombou nos anos 2000. Para trazer explicações sobre esses comebacks fashionistas, conversamos com o professor de moda Márcio Banfi, da Faculdade Santa Marcelina.

As tendências nas décadas anteriores

Calça boca de sino, cinturas baixas e batas eram destaque nos anos 70, além do estilo boho, que contava com peças em veludo, marcadas por bordados e estampas psicodélicas. Uma famosa que é referência desse estilo hoje em dia é a Paris Jackson, já percebeu?

Paris Jackson com visual boho Vivien Killilea/Teen Vogue/Getty Images

Na temporada de outono-inverno da Semana de Moda de Nova York, em setembro de 2019, Zendaya apresentou uma coleção com a Tommy Hilfiger toda inspirada nos anos 70 – com direito a estampa de poá e terninhos de veludo.

Desfile de outono-inverno Tommy Hilfiger x Zendaya na semana de moda de Nova York Tommy Hilfiger x Zendaya/Divulgação

Já nos anos 80, os hits seguiram o estilo punk da época, e foi quando rolou a valorização das tachas, dos coturnos e das peças com rasgos, cores fortes e flúor, ombreiras, oversizes, calças baggy e cinturas altas. A série Stranger Things se passa nessa década e tem muuuitas referências de música e filmes que bombavam nos anos 80, fora tendências como scrunchies, suspensórios, listras…

Terceira temporada de Stranger Things
Foto de cena da terceira temporada de Stranger Things Netflix/Divulgação

Na década seguinte, nos anos 90, veio a moda da desconstrução. Observamos o minimalismo, elementos do grunge e do sporty, referências do streetwear como a Adidas, as cores vibrantes dos movimentos clubbers, sapatos com plataformas altas e a volta do mix de alguns elementos das três décadas anteriores. Nos anos 90, o estilo de Jennifer Aniston e da princesa Diana faziam bastante sucesso, e atualmente peças como mom jeans, gargantilhas e coturnos ainda são queridinhas das it-girls, principalmente das modelos Bella Hadid e Kaia Gerber.

Bella Hadid com cardigan, mom jeans, coturno, shoulder bag óculos retangular e Kaia Gerber com cropped branco, blazer, mom jeans, coturno, bucket hat e óculos de lentes amarelas Backgrid/Getty Images

Por fim, nos anos 2000, período do crescimento da globalização, notamos o branding, a explosão das grandes marcas e as logos em evidência. Essa década também contou com as calças largas, bastante uso de tênis, além de roupas mais sexy, justas e curtas, a ainda as polêmicas cinturas baixas. Quem se lembra dos ícones Paris Hilton, Avril Lavigne e Britney Spears nesse período?

Continua após a publicidade
Anos 2000: Paris Hilton usando calça de cintura baixa, Avril Lavigne com calça cargo militar e Britney Spears de conjuntinho azul de plush Getty Images/Reprodução

Por que as tendências costumam voltar à moda?

Já provamos que muitos itens que usamos hoje foram, na verdade, trazidos de décadas anteriores. Mas por que isso acontece?

“As tendências são revistas, mas sempre voltam. Elas vêm e vão. A certeza que temos é de que se trata de um processo cíclico e em constante movimento. Os anos 70, por exemplo, foram uma releitura da década de 20. A moda da época foi retrabalhada e reinserida no mercado para o público consumidor. A isso eu costumo chamar de ‘tendenciologia’, quando os estilistas observam o comportamento da sociedade e veem oportunidades de trazer tendências anteriores em uma nova proposta“, explica Márcio Banfi.

A relação da moda com aspectos culturais e históricos de determinado período

O professor também afirmou que as tendências voltam de acordo com o período cultural e histórico em que estamos vivendo.

“As coleções e tendências sempre são uma resposta do público. O que dá certo em um momento acaba voltando em algum outro momento e, consequentemente, o que não dá certo recebe uma releitura e ainda tem possibilidade de retorno. Se está acontecendo uma guerra, por exemplo, a moda será militar e com a valorização dos camuflados. Outro indicador de tendências são as celebridades: se a Lady Gaga ou a Kim Kardashian inventam de usar alguma peça diferenciada, ou, ainda, um personagem de novela, isso pode ser avaliado pelas marcas e estilistas para a inserção no mercado.” Faz sentido, né?

Kim Kardashian é a rainha da moda vintage. Na foto da esquerda, ela está usando um vestido Thierry Mugler de 1998 e, na da direita, um modelo da coleção de 1995 da Versace Getty Images/Getty Images

A moda vintage

Segundo ele, o sucesso do vintage está relacionado à atual necessidade de desaceleração no mundo. A pauta da sustentabilidade, por exemplo, que inclui o incentivo de um consumo consciente, é uma das mais presentes no universo da moda hoje.

“Temos visto e vivenciado situações de emergência, seja na economia que está em constante movimento, a pandemia provocada pelo coronavírus ou recentes incidentes ecológicos. Diante desse cenário, mais caótico, é normal que queiramos ‘voltar’ aos velhos tempos, a um período mais romântico, de maior naturalidade e menor ansiedade perante os acontecimentos. Esses movimentos vão e vêm, e se aplicam de formas diferentes e com expressões diferentes a cada época.”

E aí, qual tendência das décadas passadas é a que você mais usa hoje em dia?

Continua após a publicidade
Publicidade