12 marcas criadas por mulheres negras que você precisa conhecer

Lojas de roupas, sapatos e acessórios comandadas por empreendedoras incríveis!

Por Sofia Duarte - Atualizado em 19 ago 2020, 11h31 - Publicado em 13 jun 2020, 10h00

De todos os empreendedores brasileiros, 40% são pretos ou pardos, enquanto 35% são brancos, e o resto inclui amarelos e indígenas, segundo a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) de 2018, realizada pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP) em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). No entanto, deste número, 45,5% dos negros abrem o próprio negócio por necessidade, enquanto, em relação aos brancos, esse recorte é de 28,5%.

O estudo Empreendedorismo Negro no Brasil, feito pela PretaHub, do Instituto Feira Preta, em 2019, mapeia os perfis dos empreendedores, divididos em necessidade, vocação e engajado. Algumas das descobertas são que 81% dos empreendedores negros entrevistados se autodeclaram pardos; 52% são mulheres; 69% têm de 18 a 39 anos; 40% é do Sudeste e 31% do Nordeste; 49% estudou até o Ensino Médio e 37% possui renda familiar entre R$ 2 mil e R$ 5 mil.

Pesquisa Empreendedores Negros no Brasil 2019, da PretaHub, hub da Feira Preta PretaHub/Feira Preta/Divulgação

Adriana Barbosa, CEO da PretaHub e presidente do Feira Preta, contou à CH qual é o maior desafio dos empreendedores negros. “O Brasil negro é empreendedor em sua essência, esse é o maior legado dos povos africanos para o país. O grande desafio é transcendermos da necessidade para oportunidade. Somos a maioria como micro empreendedores e precisamos ser maioria como empresários em médias e grandes empresas. O teto de vidro do micro precisa quebrar. Está na hora de essa gente preta mostrar o seu valor”, disse.

A empreendedora negra, de acordo com Adriana, evidentemente passa por mais dificuldades. “O empreendedorismo por necessidade é mais forte entre as mulheres negras em comparação às brancas, e a informalidade também é marcante nesse perfil. No entanto, elas têm mais escolaridade do que os homens negros e estão mais preparadas em termos de educação empreendedora. Mesmo assim, as mulheres negras ganham menos do que todos os outros grupos, quase cerca de metade do rendimento das empreendedoras brancas.”

Pesquisa Empreendedores Negros no Brasil 2019, da PretaHub, hub da Feira Preta PretaHub/Feira Preta/Divulgação

O consumo de negócios criados por empreendedores negros é um dos passos que podemos tomar em colaboração à luta antirracista. Pensando nisso, separamos 12 marcas desenvolvidas por mulheres negras para você apoiar! Confira:

Zâmbia

A marca carioca foi criada em 2017 pela estilista Vívian Ramos, que cresceu em uma família que tinha o artesanato como renda extra e sempre quis montar o seu próprio negócio. Hoje, ela pretende valorizar não só a mulher empoderada que usa suas peças, mas as artesãs da baixada fluminense que as confeccionam. “O conceito por trás da marca é criar produtos autorais com temas brasileiros e, principalmente, mostrar a força da mulher negra. As fotos e campanhas são feitas 100% com mulheres negras, porque eu quero me ver representada na minha marca e quero que as outras marcas se espelhem nisso”, Vívian disse à CH.

View this post on Instagram

Aquele mix de colares mais perfeito e atemporal que poderíamos pedir, Choker madre pérola, com colar Patuá, para trazer boas vibrações nesse momento que estamos passando! ⠀ No momento essas duas peças estão esgotadas, mas dia 16 tem reposição delas no site 🖤 ⠀ Lembrando que estamos com frete grátis nas compras acima de R$ 200,00 para Rio e R$ 250,00 para o restante do Sudeste, mais um desconto de 15% off usando o cupom #vamosjuntos20 Unidos passaremos por mais essa!!! Compre de quem faz/ Compre do pequeno produtor!!! ⠀ ⠀ ⠀ ⠀ ⠀ ⠀ #sejalivre #sejazambia #modaautoral #compredequemfaz #feitoamao #feitonobrasil #compredopequeno #feitopormulheres #naturalgemstone #agatas #pedrasnaturais #necklace #excelencianegra #jewelry #naturalgemstone #compredequemfaz #modasustentavel #feitopormulheres #feitonobrasil #handmade

A post shared by Zâmbia (@zambiabrand) on

Azulerde

A marca de acessórios, fundada pela pernambucana Karla Batista em 2015, tem a maioria de sua produção feita a partir do upcycling, reaproveitando resíduos sólidos coletados no Recife. Os itens são urbanos, modernos e cheios de personalidade!

View this post on Instagram

Colar Borbulho // Brinco Masque // Euforia surgiu com o intuito de dar visibilidade para artistas negres no mercado independente que nós cercam, e graças não somos poucos. Mas, sim a oportunidade que é escassa. Foto: @santoivson Modelo: @uanamahin

A post shared by AZULERDE (@azulerde) on

Sr. Biju

Lançada pela dupla de Niterói, no Rio de Janeiro, Sarah e Carla Fonseca, em 2012, a Sr. Biju vende acessórios divertidos e descolados que fazem a diferença no look!

View this post on Instagram

Colar Chave escrito “Be Brave” 🔑

A post shared by Sr. Biju (@sr_biju) on

Xiu!

A cantora Tássia Reis revelou à CH que sua vontade de criar uma marca surgiu com “a percepção de que o mercado da moda é bastante restrito aos padrões eurocêntricos que não atendem ao Brasil em sua plenitude diversa.” O nome da etiqueta faz referência à famosa expressão “lugar de fala” e significa que ela mesma vai contar a sua história. “Xiu, me escuta, pois eu tenho a minha própria voz“, completou Tássia.

https://www.instagram.com/p/BpSdBDbnEeN/

Angela Brito

A estilista Angela Brito, natural de Cabo Verde e moradora do Rio de Janeiro, criou sua própria marca de roupas em 2014. Suas coleções na pegada minimalista têm muita originalidade e itens elegantes e diferentões ao mesmo tempo.

View this post on Instagram

| FUGA | Camisa ROSETTA Legging Estampa por @marcos_________ As peças da Coleção FUGA já estão disponíveis no nosso E-COMMERCE: ANGELABRITOBRAND.COM.BR/SHOP FOTOS @msabah Produção @rafaelapinah Modelo @jesenra

A post shared by ANGELA BRITO (@angelabritobrand) on

A-AURORA

O objetivo de Izabella Aurora Suzart, fundadora e diretora criativa da A-AURORA, é unir moda, arte e política em sua marca. Estamos falando de bolsas e calçados com um design único, feito para mulheres contemporâneas.

View this post on Instagram

Ruth salmão, edição exclusiva e ilimitada.

Continua após a publicidade

A post shared by A-AURORA (@sigaaaurora) on

370

Se você gosta de conforto, a gente garante que a 370 vai te conquistar! Glaucia Lopes abriu o empreendimento ao lado de sua mãe e sua tia, que é costureira. O melhor de tudo é que são roupas sustentáveis, feitas sob medida para qualquer tamanho a partir do reaproveitamento de garrafas plásticas. Incrível, né?

View this post on Instagram

Mais uma peça da nossa mini coleção de inverno. Essa é novidade, nunca tínhamos fabricado. Ainda dá tempo de pedir para o dia dos namorados 😘✨ Feito em moletom ecológico proveniente do reaproveitamento de garrafas PET 🌱. Macio e 20% mais durável do que os moletons comuns. Curtiu? Direct! . . . R$229,00 . . #modaslow #modasustentavel♻️

A post shared by Loja 370 | Moda confortável (@370oficial) on

Xongani

A marca foi fundada por mãe e filha: Cris Mendonça, gerente de produção, e a ativista e estilista Ana Paula Xongani. Agora, devido à pandemia do coronavírus, a Xongani está revertendo 100% do seu lucro ao plano de apoio emergencial da associação Lar Maria Sininha, atuante na zona sul de SP.

View this post on Instagram

[2×25] Dois pares de brinco da coleção Sheron por 25,00!!!! Quer ajudar o @larmariasininha e ainda arrematar dois pares de brincos dessa coleção que é um arraso? Chama no WhatsApp 11 98799-8960 que a gente te mostra as opções de estampa! >>Envio<< Motoboy Correios Retirada agendada Vem com a gente na ação #xonganisolidaria

A post shared by XONGANI (@ateliexongani) on

Baobá Brasil

A paulistana Tenka Dara criou a Baobá em 2006, após sua viagem para Moçambique. “Lá, as mulheres têm uma relação muito forte com os tecidos. Eu fiquei apaixonada pela infinidade de temas que as estampas têm e os diferentes usos desse tecido, a capulana”, afirmou à CH. A empreendedora também disse que o conceito de sua marca está muito ligado à sua relação com o continente africano. “Eu vi que a África é viva, dinâmica, as pessoas estão produzindo arte e cultura contemporâneas muito interessantes, e eu voltei dedicada a falar sobre essa África urbana. Criei uma moda brasileira com base na cultura afrocontemporânea.”

Baobá, o nome escolhido para a etiqueta, é uma árvore africana que representa o conhecimento ancestral e pode viver até 6 mil anos.

View this post on Instagram

Baobá no Mundo ❤ Essa estampa tem pássaros saindo da gaiola e representa a liberdade feminina. Desfile inesquecível no @afwlondon Muito amor envolvido. #modaafrourbana #afrofashion #baobabrasil

A post shared by Baobá Brasil (@baobabrasil) on

Adriana Meira Atelier

Estamos apaixonadas pelas roupas feitas sob encomenda pelas mãos da baiana Adriana Meira. As estampas das saias, blusas, jaquetas e vestidos são exclusivas e muito maravilhosas! <3

View this post on Instagram

Um #tbt de 2014 , 4 anos depois de chegar a São Paulo e ter trabalhado com tantas marcas bacanas….Decidir ter uma empresa não é moleza. Fazer ela funcionar tendo mão de obra artesanal mais ainda… contar histórias através dos tecidos, aproveitando cada pedacinho de retalho , abraçando minhas raizes nordestinas sempre foi um desafio para mim e pro cliente, que é uma forma de educar a ambos.FARIA TUDO DE NOVO, inclusive é uma resposta à crise que vivemos, sem previsões , sem uma luz ao longo do futuro incerto pro mercado… Só há uma certeza: Não haverá empenho sem cooperativismo. Um vai ajudando o outro para que assim o novo movimento aconteça❤️

A post shared by Adriana Meira (@adrianameiraatelier) on

A Julia Costa Shop

Para quem ama tendências como top curtinho, saia bandagem, biker shorts, conjuntinho de moletom, neon e holográfico, a loja da Julia Costa tem tudo isso!

View this post on Instagram

Kit elástico por $140 – o kit completo. Atendimento via wpp ON. Já pode nos chamar 💕🔌

A post shared by @AJULIACOSTASHOP (@ajuliacostashop) on

Afro Beach Brasil

Estava sentindo falta da moda praia nessa lista? A marca da designer Edna Correa Rosa resgata as raízes africanas por meio de seus maiôs e biquínis com estampas étnicas e mistura de cores.

View this post on Instagram

A post shared by AfroBeachbrasil (@afrobeachbrasil) on

E aí, sua próxima comprinha vai rolar em qual dessas lojas?

Continua após a publicidade
Publicidade